GUMARC
AGORA EU SEI (NOTÍCIAS DO DIA A DIA)

fonte: Planeta News Online 28.07.2022
ROBERTO CARLOS RECUSA DAR FLOR A FÃ QUE TENTOU PUXAR SUA MÃO
Artista também ficou impaciente com a antecipação das fãs
indo à frente do palco para o momento

Roberto Carlos estreou na noite desta quarta-feira (27), sua turnê Suítes. No palco, o cantor e compositor de 81 anos repercutiu com a plateia os acontecimentos que o levaram a virar assunto nas redes sociais nas últimas semanas. Roberto chegou a negar entregar rosa a uma fã e ficou impaciente com a antecipação delas indo à frente do palco para o tão esperado momento da entrega da flores.
Na estreia da temporada paulista, que começou na casa Vibra São Paulo, e que segue nos próximos dias 28 e 31 de julho, no Espaço Unimed, além de 5 e 6 de agosto, voltando em 5 e 6 de novembro, o cantor de Emoções, Detalhes, Lady Laura e Cavalgada presenteou o público com um repertório cheio de sucessos – e mais algumas amostras de perda de paciência.
Durante a apresentação, o cantor pediu que as pessoas não tenham medo de ir ao seu show, depois de viralizar nas redes sociais em trechos de vídeos em que aparece um pouco irritado distribuindo rosas, e até mesmo mandando um fã calar a boca, em show passado.
Roberto chamou a atenção das fãs que se dirigiram para a frente do palco enquanto ele cantava a música Como É Grande o Meu Amor Por Você. O cantor já tinha avisado que só distribuiria as rosas depois de cantar Jesus Cristo, que seria logo depois. Também pediu que elas ficassem “quietinhas” durante a música, já que as senhoras que já estavam aglomeradas à frente começaram a cantar junto com o Rei.
Quando finalmente começou a famosa distribuição das rosas, momento comum (e esperado) em todos os shows, uma dessas fãs tentou puxar uma das mãos de Roberto, que se negou a dar a rosa à mulher.


fonte: Metrópoles Online 21.07.2022
ROBERTO CARLOS CULPA SUPERSTIÇÃO COM DATA POR ATAQUE DE FÚRIA EM SHOW
O cantor ficou no centro dos holofotes
após mandar um fã "calar a boca" durante um show no Rio de Janeiro

Nos últimos dias, o cantor Roberto Carlos virou assunto na web após mandar um fã “calar a boca” durante um show no Rio de Janeiro, na última quarta-feira (13/7). Nesta quinta-feira (21/7), a polêmica ganhou um novo capítulo com rumores de que o artista teria atribuído o ataque de fúria a uma superstição.Nos últimos dias, o cantor Roberto Carlos virou assunto na web após mandar um fã “calar a boca” durante um show no Rio de Janeiro, na última quarta-feira (13/7). Nesta quinta-feira (21/7), a polêmica ganhou um novo capítulo com rumores de que o artista teria atribuído o ataque de fúria a uma superstição.
De acordo com o colunista Ancelmo Gois, do jornal O Globo, o cantor teria afirmado nos bastidores que receber uma punição divina por realizar a apresentação no dia 13. O número é relacionado ao azar, fato que o artista acredita fielmente. “Nada deu certo. Os deuses me desafiaram para eu aprender”, teria dito o cantor. Esta foi a primeira apresentação de Roberto Carlos em um dia 13, segundo o colunista.
“Nunca mais vai fazer show com esse número terrível”, teria dito ainda o cantor.
Na ocasião, Roberto se irritou após os fãs gritarem na frente do palco, e mandou que um dos espectadores do show “calasse a boca”. Na mesma ocasião, ele apenas jogou as rosas vermelhas que distribui em suas apresentações.


fonte: Terra Online 21.07.2022
ROBERTO CARLOS SE MANIFESTA APÓS MANDAR FÃ CALAR A BOCA: "SAIU SEM QUERER"
O artista voltou a se apresentar no mesmo local do incidente na noite de quarta-feira (20)

Roberto Carlos se pronunciou pela primeira vez após mandar fã calar a boca durante show
Roberto Carlos comentou pela primeira vez o episódio em que mandou um fã calar a boca e aparentava estar incomodado enquanto distribuiu rosas durante show no Rio de Janeiro. O artista voltou a se apresentar no mesmo local do incidente, o Qualistage, na capital carioca, na noite de quarta-feira (20), e lembrou o episódio de 13 de julho.
"Quero falar um negócio... Depois do que aconteceu semana passada, para quem vier pegar as rosas, espera acabar a canção "Jesus Cristo". É que se não, eu posso estar nervoso né. E quando eu fico nervoso, porra... (risos). Saiu sem querer, viu?! Meu negócio não é falar, é cantar. Quero cantar falando tudo o que sinto", disse o Rei.
A assessoria de imprensa de Roberto Carlos já havia definido o acontecimento como "coisa atípica". "Tudo o que Roberto faz gera auê. Mandei tudo o que saiu na mídia e na internet a respeito desse assunto. Roberto viu e não fez comentários. Foi mesmo uma coisa atípica. O que realmente o incomodou foi o fato de os fãs estarem atrapalhando o show", contou o assessor do cantor ao O Globo.


fonte: Garagem Online 18.07.2022
GARAGEM DE ROBERTO CARLOS TEM CARROS QUE VOCÊ NEM IMAGINA

Dono de inúmeras canções que exibem sua paixão por automóveis, o cantor Roberto Carlos é dono de uma garagem repleta de veículos que vão desde os clássicos até aos mais esportivos. Confira alguns exemplos.
CARROS DO CANTOR ROBERTO CARLOS: PAIXÃO POR AUTOMÓVEIS NÃO SE RESTRINTE ÀS LETRAS DE MÚSICAS
O cantor Roberto Carlos é sem dúvidas um importante nome de peso para a música brasileira. Entre as mais famosas do artista, “O Calhambeque” exibe bem a paixão do cantor pelos automóveis.
Nesse caso, o modelo inspiração para a música que virou marca registrada do cantor é o Cadillac Eldorado vermelho de 1959. Porém, na mesma canção o “Rei”, fala de sua nova paixão, o carinhosamente chamado de calhambeque. No entanto, trata-se de um Chevrolet Coupé de 1933. Atualmente, o cantor possui em sua garagem uma réplica do modelo e tem o carro como seu verdadeiro xodó, assim como se declara na canção já citada.
Ainda na pegada dos clássicos, o artista também foi visto conduzindo um Crysler Imperial conversível de 1965. O clique compartilhado em suas redes socais foi feito na Flórida, nos Estados Unidos, em uma das viagens que o artista fez ao local.
O modelo da foto adota uma carroceria esverdeada e o coração do automóvel é um V8 6.8 litros que pulsa até 345 cv de potência.
Na lista também devem ser inclusos outros nomes como o Chevrolet Impala Sedan de 1964 e um Cadillac Limousine de 1962.
Também há marcas britânicas presente na ilustre coleção de carros que já pertenceu ao cantor. O Jaguar E-Type é um deles. O automóvel em questão foi um presente da CBS ao artista.
REI TAMBÉM CURTE ESPORTIVOS
No entanto, não é só de clássicos que se faz a garagem do artista. Roberto Carlos também é dono alguns modelos esportivos. Entre eles está o Audi RS 5 Coupé na cor azul. O cantor foi visto dirigindo o modelo em uma das vezes que saiu para tomar a vacina do Covid-19.
Outro veículo que fez sucesso recentemente nas mão de Roberto Carlos foi o Audi R8 Spyder vermelho com motor V10. O artista ganhou as redes sócias após ficar sem gasolina no carro.
Porém, não é só a Audi que compõe a coleção de esportivos do cantor. Outro modelo que está presente na garagem do artista é um exemplar do Lamborghini Gallardo S de 2012. Atualmente o carro é avaliado em mais de R$ 1,2 milhão.

Roberto Carlos foi visto com seu Audi R8


fonte: Metrópolis Online 16.07.2022
ROBERTO CARLOS REAGE APÓS REPERCUSSÃO DE XINGAMENTO CONTRA FÃ EM SHOW
O assessor do cantor afirmou que o Rei está ciente de toda a repercussão
e dos vídeos que circulam nas redes sociais

O cantor Roberto Carlos já está ciente de toda a confusão envolvendo seu nome após vídeos de um show no Rio de Janeiro, que aconteceu no último dia 13, circularem na web. O Rei, no entanto, não se importou muito com a repercussão, de acordo com seu assessor.
O assessor do Rei, que não foi identificado pela reportagem, informou ao jornal O Globo que o cantor não demonstrou preocupação com a repercussão. Ele ainda diz que o artista reconheceu que a atitude “foi uma coisa atípica”.
“Tudo o que Roberto faz gera auê. Mandei tudo o que saiu na mídia e na internet a respeito desse assunto. Roberto viu e não fez comentários. Foi mesmo uma coisa atípica. O que realmente o incomodou foi o fato de os fãs estarem atrapalhando o show”, disse o funcionário de Carlos.
Entenda a confusão
Durante um show de Carlos na última quarta-feira (13/7), o cantor mandou que um fã fizesse silêncio enquanto cantava a música Como é Grande o Meu Amor por Você.


fonte: Blog Mauro Ferreira 10.07.2022
ENIGMA INDECIFRÁVEL, ROBERTO CARLOS ARRASTA E
PÕE MULTIDÕES AOS SEUS PÉS NA VOLTA AOS PALCOS NO RIO
Aos 81 anos, artista faz show na casa Qualistage com repertório infalível que atravessa gerações
Roberto Carlos em show apresentado no sábado, 9 de julho, na casa carioca Qualistage

Resenha de show
Título: Roberto Carlos
Artista: Roberto Carlos
Local: Qualistage (Rio de Janeiro, RJ)
Data: 9 de julho de 2022
Cotação:****

“Por que me arrasto a seus pés?”, gritou uma espectadora na plateia da casa carioca Qualistage antes de o próprio Roberto Carlos cantar o verso inicial de Desabafo (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1979), música em que o artista regeu o coro masculino no verso final “Na hora que você quer” para mostrar que, no reino de Roberto, quem manda são as mulheres.
Aos 81 anos, completados em 19 de abril, o cantor ainda arrasta multidões para os shows que vem apresentando no Brasil e no mundo nas tréguas da pandemia.
Entronizado há seis décadas no panteão dos cantores mais populares do país, Roberto Carlos reiterou o magnetismo ímpar na noite de ontem, 9 de julho de 2022, ao estrear temporada no Rio de Janeiro (RJ), cidade que abriga o artista capixaba desde a década de 1950.
Durante duas horas, Roberto pôs o público aos seus pés antes mesmo de entrar em cena, como comprovou o coro popular na canção Como é grande o meu amor por você (1967) durante a abertura instrumental regida pelo maestro Eduardo Lages.
À medida que as emoções foram se repetindo, como o próprio cantor sinalizou ao dar voz afinada ao fox Emoções (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1981) com arranjo sinatriano, foi ficando claro que Roberto Carlos é enigma que permanece indecifrável em 2022.
Em essência, o show de ontem foi o mesmo que o cantor vem fazendo há décadas com o já notório conservadorismo e com sutis variações no roteiro. “No Qualistage, é a primeira vez”, gracejou Roberto, em alusão à recente mudança de nome da casa de shows inaugurada em 1994 como Metropolitan.
À frente de big band formada por músicos que o acompanham desde os anos 1960 e que foram apresentados um a um pelo cantor ao som de tema que caiu em suingue jazzy, Roberto fez o habitual jogo de cena com o público majoritariamente feminino – e, não por acaso, a apresentação deste domingo, 10 de julho, é exclusiva para mulheres.
O cantor explicou a inspiração da canção Você em minha vida (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1976), fingiu mistério sobre a identidade da musa inspiradora ao cantar Olha (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1975) com Eduardo Lages ao piano, sensualizou no toque flamenco de Mulher pequena (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1992) e celebrou a memória da mãe em Lady Laura (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1978).

Roberto Carlos se emociona ao cantar 'Detalhes' em show na casa Qualistage
Tantas repetições de emoções, canções e falas poderiam sugerir um cantor acionado pelo piloto automático. SQN. Os olhos marejados de Roberto na inevitável canções Detalhes (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1971) indicaram que, sim, as emoções ainda são reais e estão impressas em cada música do roteiro déjà vu. E talvez estejam nelas, as canções, a chave do mistério.
Se O calhambeque (Road hog) (John Loudermilk e Gwen Loudermilk, 1962, em versão de Erasmo Carlos, 1964) ligou o motor da nostalgia da modernidade das jovens tardes de domingo, Nossa Senhora (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1993) foi a oração em feitio de canção. E que canção!
Ouvir em 2022 aquelas canções do Roberto é constatar a grandeza de compositor – muitas vezes minimizado pela elite da MPB (mas nunca por Caetano Veloso, Gal Costa e Maria Bethânia) – que atravessa gerações com petardos sempre certeiros quando miram o coração como Sua estupidez (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1969).
Se Ilegal, imoral ou engorda (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1976) soou mais atual do que há 46 anos, soprada pelos metais da banda do cantor, Do fundo do meu coração (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1976) mostrou, pela enésima vez, que o compositor domina a língua popular da canção de amor embutida no inconsciente coletivo.
Música mais recente do roteiro, Esse cara sou eu (Roberto Carlos, 2012) comprovou esse domínio um número antes de a sensual canção Cavalgada (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1977) inebriar a plateia com arranjo de progressiva intensidade.
Nesse momento, já perto do fim do show encerrado com o spiritual Jesus Cristo (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1970), o público já está aglomerado na beira do palco, aos pés de Roberto Carlos, o cantor que arrasta multidões há 60 anos em fenômeno enigmático que muitos tentam em vão decifrar.

Roberto Carlos canta 20 músicas no roteiro de show que inclui números instrumentais
Eis o roteiro seguido em 9 de julho de 2022 por Roberto Carlos na estreia da temporada do cantor na casa carioca Qualistage:
1. Overture
2. Emoções (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1981)
3. Como vai você? (Antonio Marcos e Mario Marcos, 1972)
4. Além do horizonte (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1975)
5. Ilegal, imoral ou engorda (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1976)
6. Você em minha vida (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1976)
7. Detalhes (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1971)
8. Desabafo (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1979)
9. Outra vez (Isolda, 1977)
10. Lady Laura (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1978)
11. Nossa Senhora (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1993)
12. O calhambeque (Road hog) (John Loudermilk e Gwen Loudermilk, 1962, em versão de Erasmo Carlos, 1964)
13. Olha (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1975)
14. Fera ferida (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1982)
15. Sua estupidez (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1969)
16. Mulher pequena (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1992)
17. Do fundo do meu coração (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1986)
18. Tema instrumental de apresentação da banda
19. Esse cara sou eu (Roberto Carlos, 2012)
20. Cavalgada (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1977)
21. Como é grande o meu amor por você (Roberto Carlos, 1967)
22. Jesus Cristo (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1970)


fonte: Nossa Voz Online 03.07.2022
ROBERTO CARLOS TESTA NEGATIVO PARA COVID-19, MAS SHOWS SÃO ADIADOS

A assessoria do cantor Roberto Carlos informou através das redes sociais que o artista se recuperou do Covid-19, mas precisará adiar os shows que aconteceriam no início do mês para outras datas.
“A assessoria de imprensa do artista Roberto Carlos comunica que o cantor, mesmo negativado para o Covid 19, ainda permanece com sintomas gripais. Para a segurança e proteção de todos, manteremos a decisão de transferir os próximos 03 (três) shows que seriam realizados no Qualistage/RJ”, diz comunicado.
Confira as novas datas dos shows do rei:
De 02/07 para 23/07 – 20h (sábado)
De 03/07 para 24/07 – 20h (domingo)
De 06/07 para 13/07 – 21h30 (quarta feira)
As datas de 9 e 10 de julho permanecem confirmadas.


fonte: O Globo Online 22.06.2022
PRÊMIO FAZ DIFERENÇA: 'PRA MIM É UMA HONRA MUITO GRANDE',
DIZ ROBERTO CARLOS, VENCEDOR NA CATEGORIA MÚSICA
Cantor, que fez 80 anos em 2021, não compareceu à cerimônia por estar com Covid-19,
mas mandou mensagem de agradecimento

Mauricio Ayres, assessor de Roberto Carlos,
entre os editores Daniel Biasetto e Marcelo Balbio Alexandre Cassiano

Dono de uma das carreiras mais longevas — e bem sucedidas — da história da música brasileira, o cantor e compositor Roberto Carlos recebeu o prêmio Faz Diferença na Categoria Segundo Caderno/Música. Em 2021, o artista completou 80 anos e voltou a realizar o seu especial de fim de ano na TV Globo, após hiato causado pela pandemia da Covid-19.
Roberto, que está com a doença mas apresenta sintomas leves, não pôde comparecer à cerimônia.
Maurício Ayres, assessor de Roberto Carlos, recebeu o prêmio pelo cantor e reproduziu uma mensagem de áudio do "Rei", que se disse emocionado com a homenagem.
- Muito obrigado a todos do grupo Globo pelo prêmio. Pra mim é uma honra muito grande, agradeço de coração. Meu amor, meu carinho e meu abraço a todos - agradeceu.
Conhecido no Brasil e no exterior como "Rei", Roberto Carlos começou a sua carreira no início da década de 1960 sob influência do samba-canção e da bossa nova. Em parceria com Erasmo Carlos e Wanderléa fundou o movimento musical conhecido como Jovem Guarda, tido como uma espécie de gênese do rock brasileiro.
Em mais de 60 anos de carreira, Roberto Carlos vendeu mais de 120 milhões de discos e acumula sucessos. No ano passado, o artista também voltou aos estúdios e lançou duas gravações: a nova canção “A cor do amor”, dueto com a cantora Liah Soares, que teve direito a clipe com os dois artistas; e “Outra vez”, versão com arranjos atualizados.
O Prêmio Faz Diferença é uma iniciativa do GLOBO, em parceria com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).


fonte: Site Oficial RC 22.06.2022
SHOWS EXTRAS



fonte: Site Oficial RC 22.06.2022
SÓ PARA MULHERES



fonte: Site Oficial RC 22.06.2022
ROBERTO CARLOS CONTRAI COVID-19
shows transferidos



fonte: Site Oficial RC 20.06.2022
ROBERTO CARLOS CONTRAI COVID-19.
show transferido



fonte: Minha Cultura Online 19.06.2022
ROBERTO CARLOS REALIZARÁ SHOW NO QUALISTAGE NESTA SEMANA
Sucessos que marcaram a carreira do artista estão confirmados no repertório.


Na próxima quarta-feira, dia 22 de junho, o cantor, compositor e empresário Roberto Carlos,
considerado como um dos maiores nomes da música brasileira,
realizará uma apresentação no Qualistage, no Rio de Janeiro.

O cantor marcou a história da música falando sobre o amor, e completou 81 anos em 2022. No repertório dos shows, são confirmadas músicas como: “Splish Splash”, “Parei na contramão”, “O calhambeque” e “É proibido fumar”, além das faixas “Debaixo dos Caracóis dos Seus Cabelos”, música que fez em homenagem a Caetano Veloso, que estava exilado durante a ditadura; “Além do Horizonte”, que foi Lançada em 1975 e foi regravada pela banda Jota Quest em 2005 e “Lady Laura”, uma homenagem para a mãe do cantor.
A música foi composta em 1976, em momento de solidão num hotel de Nova York e se tornou uma de suas músicas que mais fazem sucesso fora do Brasil.
Recentemente, o artista anunciou as próximas datas para seus shows. Entre os locais confirmados estão: São Paulo, nos dias 24 e 25 de junho, além de mais uma vez no Rio de Janeiro, nos dias 2, 3 e 9 de julho.
No dia 31 o show será realizado em São Paulo, em 5 de agosto também, enquanto em Recife, a apresentação será realizada no dia 12 d agosto, às 21h, no Ginásio Geraldão.
Enquanto o Projeto Emoções Praia do Forte, teve sua 20° edição confirmada e rapidamente os ingressos esgotaram. Nas redes sociais, o artista comemorou o feito.


fonte: Correio do Interior 04.06.2022
ROBERTO CARLOS COMPRA JATO DE US$ 61 MILHÕES QUE ESTEVE EM SÃO ROQUE

O cantor Roberto Carlos comprou um novo jato para seu uso particular, e sobretudo para trabalho. De acordo com informação da ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil, o cantor já fez a matricula de seu novo avião (PS-CRC).
Contudo o modelo que Roberto Carlos vai comprar é um mega jato que já esteve em São Roque, interior de São Paulo. Aeronave já esteve em São Roque no aeroporto Catarina, sendo do mesmo modelo de Elon Musk.
Aeronave é Gulfstream G550 (GV-SP). O modelo tem alcance de aproximadamente 12.500 quilômetros, podendo voar do Brasil para qualquer lugar dos Estados Unidos e da Europa. Recentemente em visita ao Brasil, Elon Musk usou o mesmo modelo de avião, em viajem do Taxas para São Roque.
O Gulfstream G550 é considerado um jato executivo de luxo, e longo alcance. Contudo mais de 600 unidades foram produzidas e vendidas ao redor do mundo. Além disso é o modelo de maior sucesso da história da Gulfstream até os dias atuais.
Dependendo de sua configuração, o G550 pode transportar até 19 passageiros. Há opções para ter até quatro áreas de estar distintas, incluindo uma área de descanso da tripulação dedicada, uma cabine privada, área de conferência e espaço de entretenimento.
A cabine tem 14 janelas ovais exclusivas da Gulfstream, proporcionando muita luz natural ao longo de seus 13,39 m de comprimento. Para tudo isso o mega jato conta com dois motores Rolls-Royce BR710 C4-11. O valor jato, dito por muitos como um grande investimento é de US$ 61,5 milhões (R$ 250 milhões).
Por fim vale ressaltar que Roberto Carlos já tem outros dois jatos, sendo um Learjet 45 (PP-CRC ) além de um Gulfstream G280 de apenas oito anos de idade, sob registro PR-CRC.
O comentário é que Roberto viu o modelo no aeroporto de São Roque.


fonte: Grupo Um Milhão de Amigos 28.05.2022
GRAVAÇÃO INÉDITA
Essa música do Carlos Imperial foi gravada por Roberto Carlos, nunca foi lançada, mas informações de historiadores
como Paulo César Araujo e Marcelo Froes são de que esta gravação existe nos arquivos da CBS.

Garota Zona Norte

Garota Zona Norte
Do meu Rio aflito
Sorriso gentil tão bonito
Zona Norte agora é um jardim
Porque a flor mais linda que existe é você

Garota Zona Norte
De olhares risonhos
Final feliz dos meus sonhos
Porque garota vive lá
Zona Sul por Zona Norte vou trocar
Eu quer ser Carlos Renato
Pra botar o seu retrato
Todo dia no jornal

O Sol Zona Norte queimou
A Lua Zona Norte inspirou
Essa boneca original
Garota Zona Norte que tem a cidade a seus pés
Garota, eu lhe dou nota dez


fonte: O Globo Online 28.05.2022
ROBERTO CARLOS GANHA O FAZ DIFERENÇA NA CATEGORIA MÚSICA
Um dos maiores nomes da música brasileira fez 80 anos em abril de 2021,
voltou aos palcos no fim do ano e está com a agenda lotada para 2022

No último fim de semana, Roberto Carlos estava nos Estados Unidos terminando uma extensa turnê no país. Em junho e julho, se apresenta na Bahia, no Rio e em São Paulo. Em agosto, parte para o México. Aos 81 anos, a agenda está lotada. Também pudera. Fazia tempo que os súditos não assistiam ao Rei ao vivo no palco.
A pandemia de Covid-19 não só o deixou longe dos microfones, como também o fez comemorar os 80 anos, em 19 de abril de 2021, fechado em casa, no bairro da Urca, Zona Sul do Rio de Janeiro. Mas, graças ao avanço da vacinação, ele pôde terminar o ano com um especial inédito na TV Globo.
Roberto também lançou duas gravações: a nova canção “A cor do amor”, dueto com a cantora Liah Soares, que teve direito a clipe com os dois artistas; e “Outra vez”, versão com arranjos atualizados.
Por esse retorno triunfal à TV e aos palcos, um dos maiores nomes da música popular brasileira é o vencedor do Faz Diferença na Categoria Segundo Caderno/Música.
— O Brasil é a canção do Roberto, a voz do Roberto, o programa de Natal do Roberto. Que ele esteja aqui, aos 81, para nos lembrar de onde viemos, e para onde podemos ir, é um daqueles privilégios que se deve celebrar — diz Silvio Essinger, repórter e crítico do Segundo Caderno do GLOBO.
Em abril do ano passado, época da comemoração pelos 80 anos, Roberto Carlos concedeu entrevista ao GLOBO e falou sobre o passar do tempo: — O importante é que eu me sinto bem e com menos idade do que a que tenho. Sou um cara com muitos sonhos — disse o artista de Cachoeiro do Itapemirim, no Espírito Santo, afirmando estar cheio de inspiração. —Tenho trabalhado bastante em casa compondo novas canções. Na ocasião, Roberto Carlos, tal qual Frank Sinatra em “My way”, repassou a vida a limpo (“Me arrependo de algumas coisas que não fiz e outras poucas coisas que fiz”) e fez um exercício de imaginação sobre a música que faria se tivesse 20 anos de idade agora: — O mesmo tipo que faço hoje. “Esse cara sou eu” e “Sereia” são exemplos disso.


fonte: Extra Online 22.05.2022
BRENO SILVEIRA TRABALHAVA EM PROJETO DE SÉRIE COM QUATRO EPISÓDIOS SOBRE ROBERTO CARLOS

Breno Silveira com Roberto Carlos e Nelson Motta
Ajudar a levar a vida de Roberto Carlos para as telas era um projeto especial para Breno Silveira, que morreu de infarto, aos 58 anos, no último sábado. Quando terminasse de filmar "Dona Vitória", com Fernanda Montenegro no papel principal, o próximo trabalho do diretor seria uma série de quatro episódios sobre a vida do Rei. O projeto, pensado inicialmente como um longa-metragem, conta com um roteiro escrito por Nelson Motta e Patrícia Andrade, e narra a trajetória do cantor, da infância pobre em Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo, à consagração nacional. O trágico acidente, um assunto tabu durante anos para o artista, também está presente na história. Cineasta Breno Silveira morre de infarto aos 58 anos durante filmagem de 'Dona Vitória' em Limoeiro, Pernambuco

Roberto Carlos quando criança
O próprio Nelson Motta contou detalhes do projeto em entrevista a Washington Olivetto no podcast W/ Cast, em novembro de 2021. O jornalista e escritor, que teve vários encontros com Roberto, ainda detalhou como seria a sequência inicial da série. "É dia de festa em Cachoeiro de Itapemirim, com a bandinha da cidade tocando e crianças correndo pelas ruas. O trem vem vindo, apitando, e surge um menino na frente. Ao fundo, Roberto Carlos canta à capela a música 'O divã', com os versos 'relembro bem a festa, o apito, e na multidão um grito, o sangue no linho branco, a paz de quem carregava, em seus braços quem chorava, e no céu ainda olhava'".

O cineasta Breno Silveira tinha 58 anos
Nelson Motta revelou também que Roberto Carlos não teve mais problemas em falar do acidente e que ainda detalhou como foi sua infância depois, até conseguir uma prótese, aos 14 anos. "Roberto contou que com 13/ 14 anos ele não tinha nem uma prótese na perna. Era aquela calça com alfinetinho e a muleta. Ele ia para o colégio, brincava. Depois, o pai dele ouviu falar que no Rio havia um médico que fazia prótese. Ele foi lá com o pai, mas não deu em nada. No terceiro hospital que eles foram, ouviram falar de um médico alemão. Vai ver foi treinado em algum campo de concentração ou era um inocente só. O fato é que o cara era um craque. O alemão botou uma bola de tênis para amenizar e construiu uma prótese para o Roberto. Ele contou que saiu correndo, tropeçando, foi correndo pela praia. No dia seguinte, ele foi a um baile e dançou a noite inteira. Ele não teve nenhum problema em falar da perna, do acidente", revelou o jornalista e escritor, que esclareceu ainda a mudança de formato do projeto: "Tive uma notícia mais recente que não vai rolar o filme, mas que será agora uma série de quatro episódios para a televisão". Na mesma entrevista, Nelson Motta disse que seu compromisso era fazer o primeiro tratamento do roteiro, e que Patrícia fez outras versões: "Agora não falta mais nada. Falta só o OK dele mesmo".

Roberto Carlos no show que fez em 2009 em sua terra natal, Cachoeiro do Itapemirim


fonte: Folha de Pernambuco Online 20.05.2022
ROBERTO CARLOS GRAVA PARTICIPAÇÃO EM SÉRIE SOBRE DANIELLA PEREZ
Amigo de Glória Perez, mãe da atriz que foi assassinada em 1992
e com quem ele dividiu o palco, cantor abriu exceção para dar depoimento

O cantor Roberto Carlos gravou uma participação na série inédita sobre a atriz Daniella Perez, assassinada aos 22 anos por Guilherme de Pádua, seu par romântico na novela "De corpo e alma", em 1992. Entusiasta do trabalho da artista e amigo da novelista Glória Perez, mãe da atriz, o Rei cantou ao lado de Daniella em diferentes edições do tradicional Especial de Fim de Ano que ele apresenta na TV Globo.
Avesso a entrevistas, Roberto Carlos abriu uma exceção para os diretores Tatiana Issa e Guto Barra, que têm conversado com dezenas de pessoas que eram próximas a Daniella Perez. A produção documental estreia em 2022 na plataforma HBO Max. Nomes como Fabio Assunção, Claudia Raia, Cristiana Oliveira, Maurício Mattar, Wolf Maya e Eri Johnson, além da própria Glória Perez e de Raul Gazolla, viúvo da atriz, participaram das gravações. Roberto Carlos tem uma longa relação de amizade com Glória Perez. Músicas do Rei já embalaram a trama de grandes personagens da novelista, que muitas vezes faz pedidos especiais de composição a ele. Em "A força do querer" (2017), por exemplo, Roberto Carlos compôs "Sereia" para a personagem Ritinha, de Isis Valverde. Em "Salve Jorge" (2012), o artista fez "Esse cara sou eu", tema romântico dos personagens de Nanda Costa e Rodrigo Lombardi. Recentemente, a autora foi chamada por Roberto Carlos para supervisionar um filme sobre a vida dele.


fonte: O LIberal Online 12.05.2022
PRIMEIRA CNH DO CANTOR ROBERTO CARLOS FOI REGISTRADA EM BELÉM
O primeiro documento de habilitação do artista foi emitido em Belém
no dia 12 de maio de 1964

Realizou os últimos exames para sua CNH no dia 12 de maio de 1964,
6 meses após o lançamento do album "Splish Splash", que alavancou sua carreira
O cantor Roberto Carlos comemora hoje (12/05) o 58° aniversário de sua primeira Carteira Nacional de Habilitação (CNH), emitida no ano de 1964 pelo Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran-PA), em Belém. Relembre o caso:
No ano de 1963, o cantor Roberto Carlos lançou o disco "Splish splash", que alavancou sua carreira de forma drástica e lhe encaminhou ao sucesso nacional. Entre as músicas presentes na obra, destacam-se os hits "Parei na contramão”, "O calhambeque" e "É proibido fumar".
Um ano depois, o artista chegou a Belém para realizar seu primeiro show no Pará. Após este, aproveitou sua estadia na capital para retirar sua primeira CNH. No dia 12 de maio, Roberto Carlos entregou ao Detran-PA as últimas documentações necessárias e recebeu sua habilitação, numerada 30.510.
Até hoje, o Departamento de Trânsito do Estado expõe no seu Memorial do Trânsito diversos documentos, fotos e objetos utilizados por Roberto Carlos na sua passagem pelo Pará e na emissão de sua habilitação. Entre estes, destacam-se fotos com a cantora Wanderleia, tiradas no Complexo dos Mercedários.


fonte: ABC do ABC Online 11.05.2022
ROBERTO CARLOS ANUNCIA TRÊS SHOWS NO ESPAÇO UNIMED
Vendas abrem na quinta, 12 de maio, para shows nos dias 31 de julho, 5 e 6 de agosto.

Roberto Carlos em show no Espaço Unimed, em 2019, novo nome do Espaço das Américas.
Nesta quinta-feira, 12 de maio de 2022, iniciam as vendas de ingressos para três shows do cantor Roberto Carlos, que ocorrerão nos dias 31 de julho, 5 e 6 de agosto de 2022, no Espaço Unimed, novo nome do Espaço das Américas, em São Paulo. Os ingressos poderão ser comprados nas bilheterias do Espaço Unimed ou online pela Eventim, com preços a partir de R$ 380,00.
A tradicional casa de espetáculos paulistana assume pela primeira vez novo nome, em uma ação de naming rights completamente alinhada aos valores da Central Nacional Unimed e ao seu propósito de cuidar não só da saúde física, mas também da saúde mental, promovendo cultura, lazer, diversidade e encontros entre as pessoas. Um investimento que tem como objetivo principal contribuir com experiências positivas para a cidade e o grande público, em sintonia com o olhar de crescimento e diversificação de parcerias estratégicas da marca Unimed.
Espaço Unimed, uma casa de shows ainda mais moderna e vibrante
Ao mesmo tempo em celebra 20 anos de existência, o Espaço Unimed está em constante evolução, tornando-se melhor a cada dia. Inspirados em Athos Bulcão, novos conceitos visuais reúnem grafismos e cores que reforçam a ideia de uma casa plural, aberta a todos e a qualquer expressão artística e cultural, inclusiva, sem distinção ou qualquer tipo de preconceito. Um espaço de alegria, acolhedor e intenso, em que a celebração à vida está sempre presente.
Localizado na Barra Funda, zona oeste de São Paulo, de fácil acesso, próximo à estação Barra Funda do metrô, o Espaço Unimed é uma casa de espetáculos e eventos de configuração flexível e capacidade para comportar até 8 mil pessoas em uma área útil de 3.450m². Sua história é marcada por uma diversificada programação de atrações nacionais e internacionais, com mais de 1 mil shows realizados, que atraíram cerca de 4 milhões de pessoas até hoje. Entre os nomes que já passaram por seu palco, Bruce Springsteen, Roberto Carlos, Ed Sheeran, Ivete Sangalo, Los Hermanos, Faith no More, Morrissey, Noel Gallagher, Os Paralamas do Sucesso, Robert Plant, Slash, Tears for Fears, Tiësto, Titãs, entre muitos outros.


fonte: AP news 09.05.2022
EN UN RADIO CITY REPLETO, ROBERTO CARLOS RECUERDA A SU MADRE
El cantante brasileño Roberto Carlos da un concierto en el Radio City Music Hall
en Nueva York el domingo 8 de mayo de 2022 como parte de su gira estadounidense.

NUEVA YORK (AP) — Roberto Carlos emocionó al público el Día de las Madres en el Radio City Music Hall al recordar a su progenitora 12 años después de haberse enterado de su deceso, precisamente, en este recinto neoyorquino.
“Siempre canté esta canción con mucha alegría. Hoy la canto sin ninguna alegría, pero con un gran amor por mi madre”, expresó el ídolo brasileño el domingo por la noche al dedicar a las madres presentes “Lady Laura”, el tema de 1978 que le compuso a su mamá, Laura Moreira Braga. “Feliz Día de las Madres para todas”.
Desde que apareció en el escenario para interpretar “Qué será de ti”, hasta que repartió como acostumbra docenas de rosas rojas y blancas antes de cerrar con su clásica “Un millón de amigos”, Roberto Carlos cautivó a un abarrotado Radio City, que coreó cada canción, rio con sus chistes y le regaló vítores y fuertes aplausos.
Ataviado en un traje de dos piezas azul cielo con camisa blanca, el intérprete de 81 años lució jovial y de buen ánimo al cantar, con su dulce voz intacta, éxitos como “Cama y mesa”, “Desahogo” y “Mulher pequena”. Solamente se sentó para interpretar una balada, “Detalles”, y mantuvo la atención de las cerca de 6.000 personas hablando y cantando en español y portugués a lo largo de la velada.
Una admiradora que no pudo contener las lágrimas fue Sandra Uribe, una colombiana sentada entre las primeras filas que cantó a todo pulmón casi cada uno de los temas y que en un momento dado gritó: “¡El mejor regalo de madres en años!” “Para mí es una dicha grandísima. Es el regalo de mis hijas del Día de la Madre y es la quinta vez que lo veo, pero no lo había tenido tan cerca”, dijo a The Associated Press tras recibir una de las rosas del artista. “Mientras él viva y yo viva, yo lo voy a ver. Lo adoro”, agregó secándose una mejilla.“Maravilloso. El mejor regalo que he recibido en la vida”, coincidió Elisabete Rivas, originaria de Brasil y quien acudió al concierto con su nuera.
Con una banda de 13 músicos, incluyendo al director de orquesta, tecladista, bajo, guitarras, metales y coristas, el espectáculo comenzó con una obertura de “Un millón de amigos” y “Jesús Cristo”, dos de los éxitos más grandes de Roberto Carlos.
En uno de los momentos más graciosos, el cantautor contó que, tras haber escrito muchas canciones de amor, se preguntó si le faltaba algo por decir y, tras pensarlo bastante, llegó a la conclusión de que le faltaba hablar de sexo. “Una vez me preguntaron cuáles eran las tres cosas que más me gustan hacer. La primera es sexo con amor, la segunda sexo y la tercera un buen helado de fresa, en este orden”, continuó entre risas, y de inmediato interpretó “Yo te propongo”.
También recordó su participación en el Festival de la Canción de Sanremo, que ganó en 1968 con “Canzone per te” y al que volvió años después con “Un gatto nel blu”. La canción, “una favoritísima que no ganó... me dio muchas alegrías porque tuve un éxito muy grande en todos los países de habla hispana” con su versión en español, “El gato que está triste y azul”, dijo antes de interpretarla.
Entre otros temas, cantó “Amigo”, “La distancia” y “Ese tipo soy yo”. Y, en un momento sublime que calificó como “un atrevimiento muy grande”, interpretó “El día que me quieras” de Carlos Gardel “sin ninguna pretensión”, dijo. “Amo esta canción desde niño”. La última vez que Roberto Carlos había cantado en el Radio City Music Hall fue en 2019.
El lunes, su manager, Dody Sirena, dijo a la AP que el cantante se encontraba nervioso antes de su actuación del domingo no sólo por considerar el recinto un “templo musical”, sino por tratarse del lugar donde se enteró de la muerte de su progenitora en 2010 y por ser, precisamente, el Día de las Madres.
La gran ovación que recibió al final evidencia que pronto se sintió muy cómodo en el escenario.


fonte: Surgiu Online 09.05.2022
ROBERTO CARLOS TEM INGRESSOS ESGOTADOS EM TODOS OS SHOWS NOS ESTADOS UNIDOS
Roberto Carlos (81) é sucesso não só no Brasil como internacional!
No último domingo, 8, o cantor realizou nos Estados Unidos mais um show com ingressos esgotados!
A apresentação aconteceu no Radio City em Nova York, um dos templos do show-business mundial.
Antes do show em Nova York, o Rei já havia passado por Miami, Orlando, Atlanta, Washington, Boston e Chicago, sempre lotando as casas de shows.
A turnê ainda continuará neste mês, passando por mais 5 cidades e prometendo ainda mais sucesso.


fonte: Folha de Vitória Online 09.05.2022
AOS 81, ROBERTO CARLOS LOTA SHOW EM NOVA YORK COM PLATEIA GIGANTE
Cantor capixaba segue nos Estados Unidos em turnê

Roberto Carlos fez show "sold out" na noite deste domingo (8) em Nova York, nos Estados Unidos.
O cantor capixaba lotou o Radio City, considerado um templo do showbiz mundial, com plateia gigante e uma verdadeira disputa por suas famosas rosas, que são jogadas aos fãs no fim das apresentações.
Pelas redes sociais, o artista compartilhou vídeos do espetáculo, que contou até com Fafá de Belém, que postou stories elogiando a performance do Rei.


fonte: Caras Online 09.05.2022
ROBERTO CARLOS FAZ SHOWS COM INGRESSOS ESGOTADOS NOS ESTADOS UNIDOS
Roberto Carlos mostrou todo seu sucesso internacional
ao fazer um show lotado em Nova York, nos Estados Unidos

Roberto Carlos (81) é sucesso não só no Brasil como internacional!
No último domingo, 8, o cantor realizou nos Estados Unidos mais um show com ingressos esgotados! A apresentação aconteceu no Radio City em Nova York, um dos templos do show-business mundial.
Antes do show em Nova York, o Rei já havia passado por Miami, Orlando, Atlanta, Washington, Boston e Chicago, sempre lotando as casas de shows. A turnê ainda continuará neste mês, passando por mais 5 cidades e prometendo ainda mais sucesso.


fonte: O Globo 01.05.2022
UM REI EM DÓLAR
A turnê de 12 shows em um mês que, aos 81 anos, Roberto Carlos iniciou na semana passada pelos Estados Unidos teve, além de arenas lotadas, ingressos vendidos a preços nunca vistos em apresentações do artista. Os tíquetes da primeira fila, que inicialmente eram oferecidos por US$ 295, acabaram sendo vendidos por US$ 1,5 mil. Não, não se trata de cambista velho de guerra atuando. Mas de um sistema de vendas que existe nos Estados Unidos em que o valor do ingresso é reajustado de acordo com a demanda, assim como ocorre com preços de passagens aéreas, por exemplo.


fonte: Quem Online 19.04.2022
ROBERTO CARLOS SURGE NA SACADA DO SEU APARTAMENTO
para agradecer fãs por homenagens em aniversário
Cantor recebeu o carinho dos fãs ao celebrar o seu aniversário de 81 anos

Roberto Carlos acenou aos fãs que se reuniram, nesta terça-feira (19), em frente ao seu apartamento na Urca, no Rio de Janeiro, para celebrar o seu aniversário de 81 anos. Da sacada, o cantor surgiu usando uma máscara e retribuiu homenagens e o carinho de fãs que o aguardavam no local.
Já se tornou um ritual clássico entre os fãs ir até à porta do prédio do cantor, mas para evitar aglomeração durante a pandemia, o Rei evitou nos últimos anos fazer a tradicional aparecida na sacada.
Entre os fãs estavam sósias do cantor, como Antonio Tadeu Angulo, 70 anos de idade, viajou de Poá (SP) ao Rio e Janeiro especialmente para o aniversário do Rei. "Saí de Poá, no interior de São Paulo, perto da meia-noite e decidi vir aqui para tentar ver meu ídolo. Não vejo a hora que ele apareça na janela para dar um tchau, vai ser significativo para mim", disse Antonio Tadeu a Quem.


fonte: Band Online 09.02.2022
TORCIDA DO MONTERREY CANTA MÚSICA COM MELODIA DE "AMIGO", DE ROBERTO CARLOS
Roberto Carlos é uma figura importante no México
e já participou de álbuns dos artistas locais
O Monterrey entrou em campo nesta quarta-feira, 9, para disputar o quinto lugar, no Mundial de Clubes, contra o Al-Jazira. Entretanto, os brasileiros puderam ouvir uma melodia bem conhecida vinda das arquibancadas, ao som de “Amigo”, do Roberto Carlos, os Rayados não pararam de incentivar o time. A letra da música literalmente diz que não vai deixar de encorajar os seus jogadores: “Venimos toditos unidos por estos colores, que sepan las demas hinchadas que somos mejores. No hay que dejar de alentar. Rayados vamos a ganar.”
Em tradução literal: “Viemos todos unidos por essas cores. deixe os outros torcedores saberem que somos melhores. Não devemos deixar de encorajar. Rayados vamos vencer.”
Roberto Carlos no México
O Rei, como é chamado no Brasil, tem uma ligação com os mexicanos intensa. Roberto Carlos, inclusive, participou de álbuns de artistas locais. Em 1985, ele fez um show ao lado de Nelson Ned para ajudar vítimas de um terremoto, o dinheiro arrecadado foi doado aos mexicanos.


fonte: G1 Online 07.02.2022
EM ENTREVISTA, PAPA DIZ QUE NÃO É SANTO
CONTA QUE NÃO É SANTO, CONTA QUE DANÇA TANGO
E CITA ROBERTO CARLOS AO CONFUNDIR AUTORIA DE MÚSICA
Líder da Igreja Católica deu entrevista à emissora italiana RAI no domingo.
Defendeu o meio ambiente, imigração e revelou detalhes da vida pessoal.

Papa Francisco critica 'cultura da indiferença' sobre migrantes Papa Francisco em entrevista
para a televisão italiana em 6 de fevereiro de 2021
O Papa Francisco disse, no domingo (6), que não é santo e que dança tango. Na mesma entrevista à TV italiana, ele ainda citou uma música de um autor espanhol e se confundiu atribuindo-a a Roberto Carlos.
O líder da Igreja Católica falou com a emissora RAI e defendeu o meio ambiente, a imigração além de revelar detalhes da sua vida pessoal. Em uma conversa descontraída, o Papa foi perguntado sobre seus gostos musicais. Isso porque o pontífice foi flagrado no mês passado quebrando protocolos e visitando uma loja de discos.
Ele disse que gosta principalmente de música clássica, mas que também é fã de tango - ritmo tradicionalmente argentino, de onde vem o Papa. Perguntado se dançou tango quando jovem na Argentina, seu país natal, ele respondeu: "Um portenho que não dança tango não é um portenho".
Portenho, em espanhol porteño, é o nome dado para os moradores da capital Buenos Aires, onde nasceu Francisco.
O líder da Igreja Católica disse também que "não é um santo" e que precisa estar perto das pessoas o máximo possível. Ele disse também que tem "poucos, mas verdadeiros" amigos.
Imigração na Europa
Na entrevista, Francisco também reiterou alguns dos principais temas de seu papado, defendendo os direitos dos imigrantes e condenando a rigidez ideológica dos conservadores na Igreja.
Ele pediu novamente à União Europeia que os países recebam os imigrantes que chegam à Itália e à Espanha para não pressionar excessivamente apenas alguns países.
Meio ambiente e Roberto Carlos
Francisco, que tem feito da defesa do meio ambiente um pilar de seu pontificado, disse que despejar plástico em cursos d'água "é criminoso" e tem que acabar se a humanidade quiser salvar o planeta.
"Jogar plástico no mar é criminoso. Mata a biodiversidade, mata a Terra, mata tudo", disse ele.
"Cuidar das gerações futuras é um processo de educação em que precisamos nos engajar", afirmou ele. Em seguida, ele cita uma música em que um menino pergunta ao pai "por que o rio não canta mais" e o pai responde que é porque já não existe mais. O papa diz se tratar de uma canção do brasileiro Roberto Carlos. No entanto, a canção que tem a letra descrita por Francisco chama-se "Padre" e é de autoria de um famoso artista espanhol, Juan Manuel Serrat.


fonte: O Antagonista Online - 25.12.2021
ROBERTO CARLOS EM ALTA
Especial do cantor fez milagre na audiência da TV Globo em São Paulo,
de acordo com a pesquisa da Kantar Ibope Media

Foi muito boa para os atuais padrões da TV Globo a audiência de Roberto Carlos. Em São Paulo, o show cravou 18,1 pontos de média e quase 35% de share, superando com folga o SBT (6,5) e a Record (5,9).
Um termômetro do bom desempenho do Rei é a pontuação herdada da novela das 9. Ano passado, o especial recebeu um ibope superior a 30 pontos, patamar distante das possibilidades de “Um Lugar Ao Sol”, que continua patinando na faixa dos 23 pontos.
Um ponto de audiência, nessa pesquisa, corresponde a 205.377 espectadores.


fonte: O Dia Online - 22.12.2021
ESPECIAL DE ROBERTO CARLOS ESTÁ DE VOLTA APÓS REPRISE EM 2020
Cantor se reúne com artistas como Erasmo Carlos e Fafá de Belém
em show inédito que vai ao ar nesta quarta-feira

Especial de Roberto Carlos vai ao ar na TV Globo nesta quarta-feira
Rio - Uma das maiores tradições de Natal do Brasil, o Especial de Fim de Ano de Roberto Carlos retorna à grade da TV Globo nesta quarta-feira (22). Intitulado 'Reencontro', o programa traz o Rei, que completou 80 anos em abril, no show inédito ao lado de grandes artistas como Erasmo Carlos, Wanderléa e Fafá de Belém, amigos de longa data do cantor, além de Zeca Pagodinho, Ivete Sangalo, Liah Soares e a dupla sertaneja Zezé Di Camargo e Luciano.

A edição deste ano será a primeira desde o início da pandemia do coronavírus, gravada nos Estúdios Globo, com direito a banda regida pelo maestro Eduardo Lages e integrantes do coral Resgate Para a Vida para acompanhar o cantor. Em 2020, a emissora carioca exibiu apenas a reprise de um show de Roberto Carlos realizado em 2011, na cidade de Jerusalém, em Israel.
Esta foi a segunda vez que a gravação do especial foi cancelada desde sua estreia, em 1974, à pedido do próprio Rei. A primeira aconteceu no ano de 1999, quando a mulher do cantor, Maria Rita (1961-1999), sofreu um agravamento do câncer no útero que enfrentava. Em 2019, o especial foi exibido em um formato diferente, reunindo apresentações gravadas em Curitiba, Nova York e Lisboa, além de mostrar cenas dos bastidores do músico. Nas redes sociais, internautas chegaram a apontar que a fuga do formato tradicional teria causado uma "maldição" de fim de ano, desencadeando as tragédias que aconteceram no ano de 2020. "Tudo começou a dar errado quando o Roberto Carlos não fez o especial de Natal do jeito certo, em 2019", brincou uma internauta no Twitter. "Isso desestabilizou completamente o universo", completou outro usuário da plataforma. Para se abster da culpa por novas calamidades, o cantor retorna com um show inédito em que contou com a direção artística de LP Simonetti e direção geral de Mário Meirelles, repetindo uma parceria que já dura seis anos. “É uma mensagem importante o Roberto Carlos voltar a fazer o ‘Especial’, não existe fim de ano sem o Rei. O público pode esperar muita emoção com esses reencontros em um show que está sendo feito com muito carinho e trazendo uma mensagem de esperança”, declara o diretor artístico da atração.
O ‘Especial Roberto Carlos – Reencontro’ promete uma noite emocionante para o público ao colocar o Rei no palco com artistas que marcaram seus 62 anos de carreira. Para os convidados, o clima era de festa entre amigos, como conta Erasmo Carlos, que também participou do espetáculo em 2019: “É muito bonito estar gravando com os meus amigos, é bem difícil ter essa junção, mas quando acontece é muito bom porque a gente coloca o papo em dia e celebra”. A cantora Sandy também subiu no palco ao lado de seu marido, o músico Lucas Lima, e abre o jogo sobre a emoção de ser convidada para participar do show com o marido. ”É muito legal. Quando ele [Roberto] me convidou para cantar no Especial eu fiquei muito feliz. O público pode esperar muita entrega, muita emoção, muito amor, muito carinho, espero que as pessoas gostem e sintam essa emoção que a gente está sentindo agora", torce a artista.
Para Rogério Flausino, vocalista da banda Jota Quest, a expectativa para o dia da gravação era a mesma de quem deseja um presente de Natal. "Você espera a vida inteira e, de repente, ele chega. E, é óbvio, é uma excelente oportunidade de estar ao lado dele, mandando uma mensagem positiva de paz e esperança para o Brasil inteiro, todas as famílias que se reúnem para assistir a esse especial há tantos anos. É uma honra, é um orgulho", afirma o cantor.
Já Ivete Sangalo faz questão de destacar o talento de um dos maiores cantores da música brasileira. “Roberto para mim é um grande ídolo. Mas não é um ídolo apenas de um momento da minha vida, ele tem um selo de qualidade. Eu falo isso como artista e como profissional da música. E somado a isso tem o Roberto Carlos doce, leve, boa gente, carinhoso", completa a cantora.
Zeca Pagodinho comemora sua terceira vez em um especial de Roberto. "Já é a terceira vez que eu gravo com o Roberto. É sempre muito legal, a gente se identifica muito. Estou animado para este Especial e para ver todos os convidados".
Quem também está animadíssima é a cantora Wanderléa. "É uma alegria muito grande estar aqui. Virou uma festa. Muito tempo todo mundo sem se encontrar, estamos encantados por estar junto com o Roberto", comemora.
Zezé Di Camargo destaca que Roberto Carlos é um grande ídolo. "Encontrar o Roberto é muito emocionante. Ele é o nosso grande ídolo da música popular brasileira em todos os sentidos. Roberto une as pessoas em casa e nos Especiais dele. É um ser humano muito especial", diz o sertanejo. "É sempre maravilhoso estar aqui, por mais que a gente já tenha participado de outros especiais com ele, ainda bate aquele frio na barriga, aquela expectativa, porque o Rei é o Rei, né?", completa seu irmão, Luciano.


fonte: Estado de Minas - 22.12.2021
'REENCONTRO' COM ROBERTO CARLOS REÚNE JOTA QUEST, IVETE E ZECA PAGODINHO
Tradicional especial de fim de ano do Rei, que vai ao ar nesta quarta, na Globo,
ainda terá Erasmo, Wanderléa, Sandy e Fafá de Belém

Zeca Pagodinho e RC vão cantar versão inédita de 'Deixa a vida me levar', clássico do sambista
“Esperei o ano inteiro por este reencontro. Que saudades que eu estava!” É com essa frase que Roberto Carlos celebrou o retorno do “Especial Roberto Carlos”, inédito, que vai ao ar nesta quarta-feira (22/12), logo após “Um lugar ao sol”. Batizada de “Reencontro”, a apresentação deste ano marca o retorno do Rei aos estúdios Globo, pois, devido à pandemia de COVID-19, não houve gravação em 2020.
No palco, o Rei reencontrará com amigos que marcaram sua carreira, cantando versões inéditas de clássicos da música brasileira, além de contar com a companhia de sua banda, sob a regência do maestro Eduardo Lages, e de integrantes do coral Resgate Para a Vida.
“O 'Especial' será um momento de celebração e emoção. Todos estavam na mesma sintonia, emocionados de estar juntos. Eu sempre me impressiono com o impacto que o Roberto causa, não apenas em seu público, mas nos artistas quando eles sobem no palco”, declarou o diretor artístico L. P. Simonetti.
A banda mineira Jota Quest está entre os convidados do Rei. Já Erasmo Carlos e Wanderléa cantarão juntos. “É uma honra muito grande fazer parte deste momento e da história discográfica do Roberto. E é muito bom estarmos aqui comemorando a vida e, melhor ainda, ao lado de grandes amigos”, celebrou Fafá de Belém.
A cantora Liah Soares, a dupla Zezé Di Camargo & Luciano e Ivete Sangalo também são convidados de RC. “Ser lembrada por ele tantas vezes é um privilégio, sempre é uma emoção. Ele se entrega muito, é impecável. É um dos maiores cantores do Brasil, um dos maiores compositores e um dos maiores intérpretes”, declarou a baiana.
Quem também não ficará de fora da festa é Zeca Pagodinho, que cantará com Roberto o clássico “Deixe a vida me levar” em uma versão inédita. ''O clima não podia ter sido melhor, demos muitas risadas, encontrei-me com vários artistas que há muito não via e, além disso, tive a oportunidade de ouvir muita música boa”, vibrou o sambista.
Sandy e Lucas Lima também estarão presentes. O casal subirá ao palco ao lado do Rei. Ela cantando e ele tocando violino.


fonte: O Tempo Online - 21.12.2021
ROBERTO CARLOS TRA\ IVETE E SANDY A ESPECIAL DE NATAL EM QUE CANTA 'OUTRAVEZ'
Depois de um ano sem programa,
Globo gravou apresentação sem público com convidados famosos só no palco

Roberto Carlos canta à frente de convidados em seu especial de 2021,
que vai ao ar nesta quarta (22), na TV Globo
Depois de um ano em que não houve especial inédito de Roberto Carlos, os fãs do rei da MPB poderão retomar o velho hábito que vem desde 1974. Desde aquele ano, não houve programa apenas no ano passado -devido à Covid-19 – e em 1999 por causa da doença de sua mulher, Maria Rita.
Haverá novidades no especial desta quarta-feira, depois da novela das nove da Globo? Sim, mas parece que só uma – a falta de público, condição necessária nessa pandemia. Nome do programa? "Reencontro." Convidados? Dez. Músicas apresentadas? Lista não divulgada.
Entre as canções, talvez a mais esperada seja "Outra Vez", um dos maiores clássicos de sua carreira, escrita pela compositora Isolda Bourdot e gravada para o excelente álbum de 1977.
No dia 10 deste mês, o rei lançou uma nova versão dessa música nas plataformas de streaming, com algumas mudanças na forma de cantar. A canção está na trilha da novela das nove, "Um Lugar ao Sol", ao lado de "A Cor do Amor", em que faz um dueto com Liah Soares. A dupla também gravou essa para o especial desta quarta.
Curiosamente, "Outra Vez" também é o nome do novo livro de Paulo Cesar de Araújo, lançado no dia 15 deste mês. Araújo é o mesmo que escreveu "Roberto Carlos em Detalhes", de 2006, que acabou censurado por Roberto Carlos, foi recolhido das lojas e ocasionou o processo que liberou as biografias sem necessidade de autorização no país.
Desta vez, a biografia -que ainda terá um segundo volume- não é cronológica. Usa 50 canções para esquadrinhar a vida do cantor. Ao saber da regravação de "Outra Vez" pelo artista, Araújo gracejou. "Agora o Roberto está fazendo propaganda não autorizada do meu livro", disse.
Boninho, um dos diretores do programa, declarou recentemente que "ele cantou 'Outra Vez' e o estúdio inteiro chorou". "É um show diferente de tudo o que ele fez", prometeu.
Mas diferente como? Segundo o diretor artístico LP Simonetti, "o especial será de celebração e emoção com os reencontros". "Todos estavam na mesma sintonia, emocionados de estarem juntos. Eu sempre me impressiono com o impacto que o Roberto causa, não apenas com seu público, mas com os artistas quando eles sobem no palco. Nesse sentido, o reencontro é muito atual."
E, sem público, Simonetti rebate a ideia de que o programa deste ano possa se parecer com uma live, tão comum durante a pandemia. "É tudo diferente de uma live. Temos um grande cenário, iluminação, figurino, artes gráficas produzidas para um grande espetáculo e para encantar o público de casa com uma superprodução. Sem contar com a presença de grandes nomes da música brasileira no palco para este reencontro", afirmou.
Outros convidados são a banda Jota Quest, seus amigos Erasmo Carlos e Wanderléia, Fafá de Belém, a dupla Zezé Di Camargo & Luciano, Zeca Pagodinho, Ivete Sangalo e o casal Sandy e Lucas Lima.
Em entrevista, o baterista Dedé Marquez lembrou algumas das canções gravadas. "Detalhes", "Além do Horizonte", "Desabafo", "As Canções que Você Fez pra Mim" e a sua preferida, "Como É Grande o Meu Amor por Você".
O baterista fez parte do RC3, quando a banda de Roberto Carlos, no início dos anos 1960, tinha apenas três integrantes. E foi integrante do RC4, RC5, RC7 e RC9, que "ficou com o número nove no nome mesmo após a entrada de mais músicos". "Hoje somos 14, além do maestro Eduardo Lages e de três backing vocals."
Mas, mesmo antes da banda, Marquez já acompanhava Roberto, quando ele ainda tocava sozinho. "Eu o conheci quando ele namorava a irmã da minha namorada, em 1962. Quando meu pai dormia, eu pegava escondido o carro dele, um Packard 1940, velhinho, e levava o Roberto para cantar em circos ou nas rádios do Rio para pedir aos disc-jockeys que tocassem uma canção dele. Isso já faz 60 anos. Foi uma sorte", finaliza o baterista.


fonte: Gshow Online - 21.12.2021
ESPECIAL ROBERTO CARLOS: FAFÁ DE BELÉM E LIAH SOARES DIVIDEM O PALCO COM O REI
O tradicional show de fim de ano do Roberto Carlos <
marca reencontros ao vivo em duetos românticos e apaixonantes.

Roberto Carlos na gravação do Especial de 2021
O especial do rei Roberto Carlos vai ao ar nesta quarta (22). O tradicional show de fim de ano em tom azul e branco tem um temperinho a mais esse ano: as cantoras paraenses Fafá de Belém e Liah Soares dividem o palco com um dos maiores cantores românticos do país.
A maior sensação com o especial todos os anos é: “Quando eu estou aqui, eu vivo esse momento lindo”, tanto para quem está assistindo o rei ao vivo quanto quem está em casa sentindo as fortes emoções pela televisão. É sempre muito significativo e cultural, pertinho do fim do ano, ouvir os clássicos do incrível romântico e grande cantor Roberto Carlos. O artista que tem muitos anos de estrada sempre recebe convidados emocionados e extremamente contentes em dividir o palco com célebre artista.
Este ano, o show especial, tem um gostinho particularmente extraordinário para o público paraense, com a presença das duas cantoras paraenses dividindo o palco com Roberto Carlos. As talentosas artistas Fafá de Belém e Liah Soares soltaram a voz e expressam todo o romantismo em duetos impecáveis ao lado do rei.

Roberto Carlos na gravação do Especial de 2021
Fafá de Belém é uma das maiores cantoras do Brasil, a paraense de voz marcante que conquistou a todos com seu carisma sobe ao palco para cantar com Roberto Carlos ao qual tem uma grande amizade e inspiração: “Roberto é uma inspiração para todos nós, ele fala de sentimentos, de fragilidades, de emoções e em uma música do Roberto, ele consegue dizer tudo, como o lado frágil do ser e por isso ele é tão humano, por isso a gente se reconhece tanto nele”, disse a artista, que revelou ainda que sempre esteve em contato com o rei, que são amigos de longa data. Fafá de Belém é uma das maiores expoentes de nossa cultura musical, disseminou pelo país ao cantar a música da Amazônia.
“Especialmente esse ano, a emoção é muito maior. Nós estamos há 2 anos afastados do mundo, do contato físico, dos amigos e eu ter sido convidada nesse show do reencontro, nesse especial onde ele volta a se apresentar ao vivo, é muito honroso para mim. Fiquei muito feliz, fiquei muito emocionada e desejo que essa emoção de todos nós transborde pelas telas e que a gente consiga transmitir o amor que estava no palco, na gravação, para todos que assistem o espetáculo do rei. Para mim foi o grande presente deste ano”, Fafá de Belém.

Fafá de Belém canta com Roberto Carlos no Especial de 2021
Liah Soares é uma compositora jovem que conquistou um espaço bem significativo na cena musical brasileira, com grandes parcerias e músicas de sua autoria que todo mundo canta, Liah ficou muito conhecida por compor para a dupla Sandy e Júnior. Depois foi finalista do The Voice Brasil em 2012 e então o país conheceu sua história e todo o seu talento. Hoje em dia, é uma das artistas paraenses mais admiradas. A compositora encantou principalmente o rei Roberto, que para ela é uma das maiores influências do seu trabalho: “Roberto é uma grande inspiração, uma das minhas maiores influências musicais. A forma como ele constrói suas melodias, simples, mas ao mesmo tempo carregadas de emoção, suas letras e sua poesia me impactaram profundamente desde sempre. Como compositora é uma honra cantar ao lado dele uma canção de minha autoria que o próprio rei escolheu, é mais que uma validação, é como se eu tivesse ganhado um prêmio da música, significa muito pra mim”. Roberto e Liah cantarão a música “A Cor do Amor”.
“Quando o Roberto me ligou fazendo o convite pro especial eu flutuei, é o sonho de toda uma vida de uma artista que nasceu no interior do Pará acreditando que canções que falam de amor mudariam o mundo e hoje eu sei que mudam sim. O especial do Roberto já faz parte da programação da família brasileira. Eu sonhei estar ali com ele muitas vezes enquanto assistia ao seu especial e pisar naquele palco era como se eu estivesse completando um ciclo de um sonho de toda a minha vida e o mais lindo disso tudo é que eu não estava cantando somente ao lado de um ídolo, mas também de um grande amigo”, Liah Soares.

Liah Soares canta com o rei Roberto Carlos no Especial de 2021
Além da presença das cantoras paraenses Liah Soares e Fafá de Belém, um time de convidados fará duetos inéditos com o Rei: a banda Jota Quest, seus amigos Erasmo Carlos e Wanderléia, a dupla Zezé Di Camargo & Luciano, Zeca Pagodinho, Ivete Sangalo, o casal Sandy e Lucas Lima, além de integrantes do coral Resgate Para A Vida. O especial Roberto Carlos é amanhã, 22 de dezembro, depois de “Um Lugar Ao Sol”. Reencontros de pura emoção, com convidados comovidos na plateia e em casa.


fonte: Tudo Mais Online - 19.12.2021
'GRAVAÇÃO DO ROBERTO CARLOS ESPECIAL FEZ O ESTÚDIO CHORAR', CONTA BONINHO
O diretor adiantou algumas das participações do especial
que irá ao ar na Globo no dia 22/12

Boninho dá spoiler de especial de Roberto Carlos
Segura a emoção: de acordo com Boninho, responsável pela direção do "Roberto Carlos Especial", que irá ao ar no dia 22/12, a atração de fim de ano da TV Globo com o Rei está emocionante!

Boninho revelou no "Show dos Famosos", do "Domingão com Huck", que durante a gravação foi difícil segurar o choro: "Ele cantou 'Outra Vez' e o estúdio inteiro chorou", contou ele.
E prepara, olha quem vai cantar com Roberto: Ivete Sangalo, Zezé di Camargo e Luciano, Jota Quest e Sandy:
"É um show diferente de tudo o que ele fez. Roberto está voltando. Liguei para ele e disse que queria que se chamasse 'Reencontro', para contar que ele está retornando. Roberto disse: 'É isso'".


fonte: R7 Online - 10.12.2021
ESPECIAL DE ROBERTO CARLOS NA GLOBO ESTÁ PRONTO

Roberto Carlos em seu especial na Globo
Tudo que tinha que ser gravado do especial de Roberto Carlos, já foi, inclusive o show, com vários convidados, segunda-feira, nos Estúdios Globo - complexo MG4. Agora, apenas trabalhos de edição. O programa vai ao ar no dia 22, depois de “Um Lugar ao Sol”.
Aliás, as exigências de Roberto para gravações do seu especial ou eventuais participações em programas continuam sendo as mesmas de muito tempo. Luz nunca pode ser direta, cada vez mais indireta, e nenhum convidado pode vestir marrom, entre outras. Já teve muita confusão por causa disso.
O show irá celebrar o reencontro do Rei com seu o público e amigos. “É uma mensagem importante o Roberto Carlos voltar a fazer o ‘Especial’, não existe fim de ano sem o Rei. O público pode esperar muita emoção com esses reencontros em um show que está sendo feito com muito carinho e trazendo uma mensagem de esperança”, explica o diretor artístico LP Simonetti.
No palco, Roberto terá a companhia de sua banda, sob a regência do maestro Eduardo Lages, e de convidados com quem preparou duos inéditos que prometem surpreender e emocionar o público: a banda Jota Quest, seus amigos Erasmo Carlos e Wanderléa, Fafá de Belém, Liah Soares, a dupla Zezé Di Camargo & Luciano, Zeca Pagodinho, Ivete Sangalo e o casal Sandy e Lucas Lima, além de integrantes do coral Resgate Para A Vida.


fonte: Gshow Online - 06.12.2021
ESPECIAL ROBERTO CARLOS: SANDY, IVETE SANGALO E FAFÁ DE BELÉM
MOSTRAM BASTIDORES DE GRAVAÇÃO
Neste fim de ano, atração volta a ser inédita e a ansiedade já está nas alturas!
Uma das tradições de fim de ano no Brasil sem dúvida é o especial de Roberto Carlos na Globo. E em 2021 ele voltará a ser inédito, já que, no ano passado, não pode ser devido à pandemia da Covid-19.
Para os fãs mais ansiosos, a gravação acontece nesta segunda-feira, 6/12, nos Estúdios Globo, no Rio, e nós te mostrando um pouquinho do que está rolando nos bastidores. A exibição do especial está marcada para o dia 22.
Nas redes sociais, Sandy e Lucas Lima mostraram a chegada ao local, usando os tradicionais carrinhos que rodam pelos Estúdios Globo. Não sei vocês, mas eu já quero MUITO ver esse casalzão cantando com o Rei!

Lucas Lima e Sandy mostram bastidores da gravação do Especial Roberto Carlos
Já Ivete Sangalo mostrou aquele momento diva, enquanto se arrumava no camarim.
"Isso aqui não é trabalho, é diversão e prazer. Estou chegando, Roberto Carlos. Sua rainha tá chegando, meu rei", disse ela.

Ivete Sangalo mostra bastidores da gravação do Especial Roberto Carlos

Fafá de Belém mostrou o look do especial e não escondeu a ansiedade. Gente como a gente!
Liah Soares, finalista da primeira edição do "The Voice Brasil", também mostrou os preparativos e contou: "Hoje é um dia muito importante e especial". Ela lançou recentemente uma música em que divide os vocais com Roberto Carlos, "A Cor do Amor".

Liah Soares nos preparativos para o Especial Roberto Carlos
Além dos já citados, o especial de fim de ano também terá as participações da banda Jota Quest, da dupla Zezé di Camargo & Luciano, Zeca Pagodinho, do coral Resgate para a Vida, e de Erasmo Carlos e Wanderleia.
“É uma mensagem importante o Roberto Carlos voltar a fazer o ‘Especial’, não existe fim de ano sem o Rei. O público pode esperar muita emoção com esses reencontros em um show que está sendo feito com muito carinho e trazendo uma mensagem de esperança”, explica o diretor artístico do Especial, LP Simonetti.


fonte: Blog Mauro Ferreira - 06.12.2021
ROBERTO CARLOS LANÇA SINGLE COM GRAVAÇÃO INÉDITA DA CANÇÃO 'OUTRAVEZ'
Cantor revive sucesso de 1977 em registro feito
para a trilha sonora da novela 'Um lugar ao sol'

Roberto Carlos está duplamente presente na trilha sonora da novela Um lugar ao sol, atual atração da TV Globo no horário das 21h. Além do dueto com Liah Soares na canção A cor do amor (Liah Soares e Iana Marinho), já disponível em single editado em 17 de novembro, o cantor regravou a canção Outra vez (1977) para a novela.
Composição de autoria de Isolda Bourdot (1957 – 2018), Outra vez foi lançada na voz do próprio Roberto Carlos há 44 anos e, desde então, permanece na memória dos seguidores do artista e nos roteiros dos shows do cantor.
A edição do single com a regravação de Outra vez está programada para quinta-feira, 9 de dezembro.


fonte: Gshow Online 03dez2021 - 03.12.2021
ESPECIAL ROBERTO CARLOS: VEJA QUAIS SERÃO OS CONVIDADOS DO PROGRAMA DE FIM DE ANO
AGUARDADA ATRAÇÃO VOLTA A SER INÉDITA EM 2021

Roberto Carlos irá nos presentear com seu tradicional show de fim de ano, na Globo. No dia 22 de dezembro a emissora exibirá o inédito “Especial Roberto Carlos”, que vai celebrar o reencontro do cantor com seu público e amigos.
Um time de convidados fará duos inéditos com o Rei: a banda Jota Quest, seus amigos Erasmo Carlos e Wanderléia, Fafá de Belém, Liah Soares, a dupla Zezé Di Camargo & Luciano, Zeca Pagodinho, Ivete Sangalo, o casal Sandy e Lucas Lima, além de integrantes do coral Resgate Para A Vida.

Lucas Lima e Sandy estarão no especial de fim de ano de Roberto Carlos


fonte: Metrópoles - 21.11.2021
"CALHAMBEQUE" DO REI ROBERTO CARLOS ENGUIÇA NA URCA, ZONA SUL DO RIO
Funcionário contou a testemunhas que houve falha mecânica,
mas artista ainda não explicou o motivo do carrão ter parado

Rio de Janeiro – Morador do bairro da Urca, na zona sul do Rio, o rei Roberto Carlos enguiçou com seu “calhambeque”, quer dizer, com seu Audi TT novinho numa das ruas do bairro, neste fim de semana.
Ao perceberam a presença do rei ao volante, moradores e frequentadores do bairro turístico se aglomeraram para ver o cantor abandonar o veículo, pegar alguns pertences e seguir para sua casa de carona com seus seguranças, que o seguiam num Golf prata.


fonte: Band News - 21.11.2021
ROBERTO CARLOS PASSA POR PERRENGUE E FICA PARADO COM CARRÃO NO MEIO DA RUA

Ninguém na vida escapa de passar por um perrengue hora ou outra. Prova disso é que Roberto Carlos enfrentou uma daquelas recentemente. Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o Rei com o carro, um Audi R8, parado no meio da rua, no bairro da Urca, onde mora no Rio de Janeiro.
Segundo informações divulgadas pela colunista Fábia Oliveira, do site Em Off, apesar das piadas relacionando o perrengue ao preço da gasolina, a equipe do cantor informou que se tratou de um problema mecânico no automóvel. O veículo não dava partida e Roberto precisou ser socorrido por um funcionário, que o levou para casa em outro carro.


fonte: Observatório da TV - 21.11.2021
ESPECIAL DE ROBERTO CARLOS NA GLOBO TERÁ ZEZÉ DI CAMARGO E LUCIANO ENTRE OS CONVIDADOS
A exibição da atração está marcada para o dia 22 de dezembro

Após dois anos, o especial de fim de ano de Roberto Carlos volta a ser produzido na Globo. A atração será gravada dentro dos Estúdios Globo, no Rio de Janeiro, para garantir o maior controle dos protocolos sanitários.
De acordo com informações da coluna de Cristina Padiglione, da Folha de São Paulo, Zezé Di Camargo e Luciano marcarão presença no palco. Além da dupla, a artista Liah Soares e estrelas do elenco fixo da casa também estarão presentes. Outros nomes ainda estão sendo negociados.
A exibição do especial está marcada para o dia 22 de dezembro, após a novela Um Lugar ao Sol, segundo o jornalista Flavio Ricco, do portal R7. No entanto, a equipe tem enfrentado dificuldades para conciliar as agendas dos artistas que estarão no palco. O Rei já está vacinado com a terceira dose da vacina contra a covid-19.
A atração inédita marca o retorno de Roberto Carlos à programação de fim de ano da emissora. Em 2019, o canal exibiu um especial com os melhores momentos de diversas apresentações do cantor. Já no ano seguinte, em razão das restrições impostas pela pandemia da covid-19, foi ao ar uma reprise do programa gravado em Jerusalém, em 2011.


fonte: Terra Online - 17.11.2021
LIAH SOARES LANÇA CANÇÃO DE AMOR COM ROBERTO CARLOS

Roberto e Liah Soares
Cantor surge em colaboração três anos depois de gravar com Jennifer Lopez a música Chegaste; música 'A Cor do Amor' vai estar na próxima novela das 21h da Globo, 'Um Lugar ao Sol' A cantora paraense Liah Soares lançou nesta quarta, 17, uma música que conta com a participação de Roberto Carlos. A Cor do Amor, que está nas plataformas digitais, fala sobre um amor romântico, bem ao estilo de Roberto. Esta é a primeira colaboração do cantor desde o hit Chegaste, de 2018, gravado com Jennifer Lopez, e estará na trilha sonora da próxima novela das 21h da Globo, Um Lugar ao Sol. Um clipe também chegou com a música. Nele, Liah aparece tocando violão solitária em um estúdio, com Roberto a olhando à distância e, depois, ao seu lado, ao microfone.
Roberto é filmado olhando em seus olhos enquanto Liah sorri cheia de ternura. Ela canta:
"Faz tempo que a gente se olha
Faz tempo que a gente se quer
Faz tempo que a gente se curte
Só não vê quem não quiser
Você me deixa enlouquecida
Faço tudo pra você notar
Quero bem mais que sua amiga
E vou ter que me arriscar
Minha boca está querendo te dizer
Que deseja ardentemente um beijo seu."

Na segunda parte, Roberto, sorrindo, assume o vocal depois de uma modulação da harmonia para seu tom:
"Você é o brilho de uma estrela
No azul deste sentimento
Então vem, me abraça forte
E se entregue a esse momento
Já nem conto mais as vezes
Que te pego olhando assim
Já nem durmo mais pensando que também pensa em mim."

Em um texto enviado pela gravadora Sony Music, responsável pelo projeto, Liah diz do encontro com o cantor: "Eu conheci o Roberto pessoalmente há alguns anos através de amigos em comum. A gente estabeleceu uma amizade com o tempo, eu fui mostrando algumas músicas e ele também já conhecia algumas coisas do meu trabalho autoral. Houve então uma tarde em que eu mostrei algumas canções inéditas e acabou que ele se encantou por essa, uma parceria minha com Iana Marinho." Sobre o clipe, ela diz: "Acabou refletindo toda essa interação e essa troca que rolou entre a gente durante a gravação da música. Esse momento de cumplicidade e de amor à música, um lugar-comum em que nos encontramos e que me fez ter privilégio de tê-lo como um grande amigo." A canção estará no próximo álbum de Liah, o quinto de sua carreira, chamado Infinito, que vai contar com a produção de Zeca Baleiro.


fonte: Jornal da Paraíba Online - 17.11.2021
NOVA MÚSICA DE ROBERTO CARLOS:
PARAIBANA É UMA DAS COMPOSITORAS DE 'A COR DO AMOR'
Canção foi escrita especialmente para a trilha sonora
da nova novela da Globo, “Um Lugar ao Sol

Roberto Carlos lançou nesta quarta-feira (17) a música ‘A Cor do Amor’. O single é uma parceria com a cantora Liah Soares que assina a composição com a paraibana Iana Marinho.
‘A Cor do Amor’ foi escrita especialmente para a trilha sonora da nova novela da Globo, ‘Um Lugar ao Sol’. A gravação da música foi iniciada em 2019 e concluída em 2020, já que, antes da paralisação das gravações das novelas por conta da pandemia, a previsão era a de que a trama de Manzo entrasse no ar em maio do ano passado.
Radicada no Rio de Janeiro, Iana Marinho trabalha como atriz, produtora de eventos e agora entrou na área da música”A Cor do Amor” é a primeira composição assinada por ela, e a participação na criação da música foi um convite de Liah Soares. Uma outra composição das duas, ‘Baião a Dois’, foi inserida no álbum ‘Infinito’, de Liah.


fonte: CNN Brasil - 17.11.2021
ROBERTO CARLOS LANÇA MÚSICA EM PARCEIRA COM CANTORA PARAENSE
“A Cor do Amor”, composição da artista paraense Liah Soares,
é o primeiro lançamento do cantor em três anos

A mais recente parceria de Roberto Carlos foi em 2018, com Jennifer Lopez
Em meio à expectativa dos fãs pelo single autoral “Bicho Solto”, com lançamento já anunciado por Roberto Carlos, o cantor estreou nesta quarta-feira (17) uma parceria com Liah Soares: a música “A Cor do Amor”.
A faixa, que já disponível nas plataformas digitais, foi gravada entre 2019 e 2020 e lançada juntamente com um clipe. Na produção, os artistas aparecem em um estúdio: Liah toca violão e canta, alternando o vocal com Roberto Carlos. A música, uma balada com versos românticos, é a primeira colaboração lançada pelo artista desde 2018, quando Roberto Carlos gravou a canção “Chegaste”, em parceria com Jennifer Lopez.
Em divulgação da gravadora Sony Music, Liah relata que construiu uma relação de amizade com Roberto Carlos nos últimos anos e que o cantor já conhecia parte do seu repertório autoral. “Houve então uma tarde em que eu mostrei algumas canções inéditas e acabou que ele se encantou por essa, uma parceria minha com Iana Marinho”, afirma. A “Cor do Amor” está entre as faixas do próximo álbum da cantora, “Infinito”, produzido por Zeca Baleiro.


fonte: Blogo Mauro Ferreira - 15.11.2021
ROBERTO CARLOS VOLTA AO DISCO EM DUO COM LIAH SOARES
Veja a letra da canção 'A cor do amor',
lançada em single programado para quarta-feira, 17 de novembro.

Embora Roberto Carlos venha burilando no último ano um inédito single solo autoral, Bicho solto, o cantor volta ao disco na companhia da cantora e compositora paraense Liah Soares.
Com Liah, Roberto gravou A cor do amor, canção romântica que será apresentada em single programado para quarta-feira, 17 de novembro, pela gravadora Sony Music. Iniciada em 2019, a gravação do dueto foi concluída em 2020.
A melodia de A cor do amor é de autoria da própria Liah Soares. Já a letra foi escrita por Iana Marinho, artista paraibana residente na cidade do Rio de Janeiro (RJ). ? Eis a letra de A cor do amor, a nova canção do Roberto que, a rigor, é de Liah Soares e Iana Marinho:

A cor do amor
(Liah Soares e Iana Marinho)

“Faz tempo que a gente se olha Faz tempo que a gente se quer
Faz tempo que a gente se curte
Só não vê quem não quiser
Você me deixa enlouquecida
Faço tudo pra você notar
Quero bem mais que sua amiga
E vou ter que me arriscar.
Minha boca está querendo te dizer
Que deseja ardentemente um beijo seu
Vê se não perde tempo e vem me ver
Que o teu desejo é tão forte quanto o meu
Ah, eu sei
Eu sinto através do seu olhar
O nosso amor tá pra nascer
Eu sei
Na verdade acabou de começar
Ah, eu sei
Só me falta a coragem pra falar
É uma questão de tempo
Agora eu sei
Um grande amor está no seu olhar
Você é o brilho de uma estrela
No azul deste sentimento
Então vem, me abraça forte
E se entregue a esse momento
Já nem conto mais as vezes
Que te pego olhando assim
Já não durmo mais pensando
Que também pensa em mim
Minha boca está mandando te dizer
Que deseja ardentemente um beijo seu
Vê se não perde tempo
Que o seu desejo é tão forte quanto o meu
Eu sei
Eu sinto através do seu olhar
O nosso amor tá pra nascer
Eu sei
Na verdade acabou de começar
Ah, eu sei
Só me falta a coragem pra falar
É uma questão de tempo
Agora eu sei
Um grande amor está no nosso olhar
Eu sei... Eu sinto através do seu olhar
O nosso amor tá pra nascer
Eu sei
Na verdade, acabou de começar”


fonte: O Globo Online - 31.10.2021
ROBERTO CARLOS DETALHA ACIDENTE NA INFÂNCIA PARA SÉRIE SOBRE SUA VIDA:
'BOTOU A PRÓTESE E FOI PRA BAILE DANÇAR', CONTA NELSON MOTTA
Nelson Motta divide roteiro do projeto de quatro episódios com Patrícia Andrade, de 'Dois filhos de Francisco'

É dia de festa em Cachoeiro de Itapemirim, com a bandinha da cidade tocando e crianças correndo pelas ruas. O trem vem vindo, apitando, e surge um menino na frente. Ao fundo, Roberto Carlos canta à capela a música "O divã", com os versos "relembro bem a festa, o apito, e na multidão um grito, o sangue no linho branco, a paz de quem carregava, em seus braços quem chorava, e no céu ainda olhava". É assim que Nelson Motta descreve como será a primeira cena da série de quatro episódios (o projeto inicial era de um filme) sobre a vida do Rei. Ele divide o roteiro com Patrícia Andrade, de "Dois filhos de Francisco". Foram os dois que realizaram as várias entrevistas com o cantor, que serviram de base para a história.

Roberto Carlos, em 2016
"Fizemos várias entrevistas com ele, e ele foi ótimo. A tática era perfeita: 'Roberto, a gente só vai botar no roteiro o que você contar. O que você não quiser, não conta, simplesmente'. Ele, surpreendentemente, se abriu bastante. Disse a ele que, para fazer o projeto, seria importante que o personagem fosse humanizado. Ele já virou uma entidade. O cara tem que ser corneado, o cara tem que sofrer, e ele topou tudo isso. Meu compromisso era fazer o primeiro tratamento. Patrícia fez outras versões e agora não falta mais nada. Falta só o OK dele mesmo", contou Nelson em entrevista a Washington Olivetto no podcast W/ Cast.

O jovem Roberto Carlos, nos anos 1960
Nelson Motta revelou também que Roberto Carlos não teve problema em falar do acidente e que ainda detalhou como foi sua infância depois, até conseguir uma prótese, aos 14 anos. "Roberto contou que com 13/ 14 anos ele não tinha nem uma prótese na perna. Era aquela calça com alfinetinho e a muleta. Ele ia para o colégio, brincava. Depois, o pai dele ouviu falar que no Rio havia um médico que fazia prótese. Ele foi lá com o pai, mas não deu em nada. No terceiro hospital que eles foram, ouviram falar de um médico alemão. Vai ver foi treinado em algum campo de concentração ou era um inocente só. O fato é que o cara era um craque. O alemão botou uma bola de tênis para amenizar e construiu uma prótese para o Roberto. Ele contou que saiu correndo, tropeçando, foi correndo pela praia. No dia seguinte, ele foi a um baile e dançou a noite inteira. Ele não teve nenhum problema em falar da perna, do acidente", revelou o jornalista e escritor, que esclarece ainda a mudança de formato do projeto: "Tive uma notícia mais recente que não vai rolar o filme, mas que será agora uma série de quatro episódios para a televisão".

Rio de Janeiro (RJ) - Novembro de 1993 - Roberto Carlos (cantor)


fonte: Quem Online - 30.10.2021
ROBERTO CARLOS DÁ DETALHES DE ACIDENTE NA INFÂNCIA
Cantor relatou acidente em conversa com o jornalista Nelson Motta,
responsável por roteiro de série sobre o artista

Roberto Carlos abriu o coração sobre o acidente que sofreu na infância, e perdeu uma perna, ao jornalista Nelson Motta. Os detalhes foram revelados pelo jornalista, que é roteirista de uma série sobre o artista, em um podcast.
"Roberto contou que com 13, 14 anos, ele não tinha nem uma prótese na perna. Era aquela calça com alfinetinho e a muleta. Ele ia para o colégio, brincava. Depois, o pai dele ouviu falar que no Rio havia um médico que fazia prótese. Ele foi lá com o pai, mas não deu em nada. No terceiro hospital que eles foram, ouviram falar de um médico alemão. Vai ver foi treinado em algum campo de concentração ou era um inocente só. O fato é que o cara era um craque. O alemão botou uma bola de tênis para amenizar e construiu uma prótese para o Roberto", contou Nelson no podcast do publicitário Washington Olivetto.
"Ele contou que saiu correndo [após colocar a prótese], tropeçando, foi correndo pela praia. No dia seguinte, ele foi a um baile e dançou a noite inteira. Ele não teve nenhum problema em falar da perna, do acidente", acrescentou o jornalista.


fonte: Terra Online - 28.10.2021
ROBERTO CARLOS ANUNCIA NOVAS DATAS DE SUA TURNÊ INTERNACIONAL

O cantor e compositor Roberto Carlos anunciou nesta quarta-feira (27) que realizará uma turnê internacional a partir de abril de 2022, com apresentações em 13 cidades dos EUA e Canadá.
Cidades como Nova York, Los Angeles, Miami e Toronto receberão os shows do Rei.
No repertório, estarão os seus grandes clássicos de sua extensa discografia.
O lendário artista brasileiro ficou dois anos sem se apresentar em decorrência da atual pandemia do coronavírus.


fonte: O Globo Online - 25.10.2021
ROBERTO CARLOS FARÁ EXCURSÃO A EUA E CANADÁ ENTRE ABRIL E MAIO DE 2022

A turnê de Roberto Carlos na América do Norte
Veja este anúncio da Billboard. Roberto Carlos vai passar um mês em excursão entre os EUA e o Canadá. São 13 cidades. Começa em 22 de abril e termina 21 de maio do ano que vem. As cidades são as seguintes: Miami, Orlando, Atlanta, Washington, Boston , Chicago, Toronto, Nova Yorlk, McAllen, Dallas, Houston, El Paso e Los Angeles.


fonte: Minha Cultura Online - 24.10.2021
ESPECIAL DE ROBERTO CARLOS NA GLOBO TERÁ GRANDES NOMES DA MÚSICA

Programação já tem data definida e sofreu algumas alterações devido à pandemia
O tradicional especial de Natal da Rede Globo, que traz Roberto Carlos como protagonista, irá ao ar na emissora no dia 23 de dezembro.
Após incertezas sobre a realização, o evento finalmente foi confirmado e contará com a participação especial de grandes nomes da música brasileira. Artistas como: Caetano Veloso, Maria Bethânia, Gilberto Gil, Chico Buarque, entre outros, deverão fazer parte da programação. A resposta final está dependendo da agenda de cada um deles.
Tomando os devidos cuidados para evitar a disseminação do vírus, ainda não foi decidido se haverá plateia e as gravações serão realizadas em dois dias.
Em vez dos tradicionais três ou quatro convidados, desta vez o Rei receberá cerca de dez pessoas.
A tradição que já é mantida há alguns anos, pede que uma atriz faça sua participação especial ao lado de Roberto Carlos. No entanto, neste ano o nome da escolhida ainda não foi revelado.
Muitos especulam que a paraibana Juliette Freire seja uma ótima opção, uma vez que ela ganhou destaque após vencer o BBB21, tornando-se um fenômeno, e recentemente iniciou sua carreira na música.
Em 2020, Roberto Carlos não gravou o programa devido à pandemia do novo coronavírus. A emissora exibiu um show gravado em Jerusalém. Em 2019, o formato também foi diferente. Eles mostraram apresentações do cantor em Curitiba, Miami, Nova Iorque, Lisboa, Madri e Londres.
Pela primeira vez desde o início de sua exibição, o Especial da Globo com Roberto Carlos não foi ao ar em dois anos seguidos, por isso, o evento deve ser ainda mais especial.


fonte: Metropoles - 23.10.2021
MESMO PREOCUPADO COM A COVID, ROBERTO CARLOS FARÁ ESPECIAL NA GLOBO

A atração tradicional de Roberto Carlos vai ao ar em 23 de dezembro de 2021
O Rei está de volta! O especial Roberto Carlos vai ao ar em 23 de dezembro, na Globo, e contará com ao menos 10 convidados. Segundo a colunista Patrícia Kogut, nomes como Caetano Veloso, Maria Bethânia, Gilberto Gil e Chico Buarque estão na lista.
No entanto, a participação desses e outros artistas depende de uma conciliação entre as agendas. As gravações do especial ocorrerá durante dois dias. Roberto Carlos, que segue muito preocupado com o coronavírus, ainda não se decidiu se vai haver plateia.
Em 2020, por conta da pandemia, Roberto Carlos não gravou o especial de fim de ano na Globo. No lugar, foi exibido um show gravado realizado em Jerusalém.


fonte: O Globo Online - 23.10.2021
ROBERTO CARLOS SE PREPARA PARA GRAVAR ESPECIAL DA GLOBO,
QUE DEVERÁ TER GRANDES NOMES

O especial de Roberto Carlos irá ao ar no dia 23 de dezembro na Globo e com os grandes nomes da música. A ideia é ter Caetano Veloso, Maria Bethânia, Gilberto Gil, Chico Buarque, entre outros. Tudo dependerá das agendas. Muito preocupado com o coronavírus, o Rei ainda não decidiu se haverá plateia. As gravações serão em dois dias, na segunda quinzena de novembro, para evitar aglomerações.
Em vez dos tradicionais três ou quatro convidados, desta vez o Rei receberá cerca de dez pessoas. Diferentemente dos outros anos, por enquanto, não foi discutida a participação de uma atriz.
Em 2020, por causa da pandemia, Roberto Carlos não gravou o programa. A emissora exibiu um show gravado em Jerusalém. Em 2019, o formato também foi diferente. Eles mostraram apresentações do cantor em Curitiba, Miami, Nova Iorque, Lisboa, Madri e Londres.


fonte: RD Online - 11.10.2021
CLÁSSICO DE ROBERTO CARLOS ESTARÁ NA TRILHA SONORA DE UM LUGAR AO SOL

Roberto Carlos estará presente na nova trama global
A trilha sonora de Um Lugar ao Sol vai contar com uma presença ilustre. De acordo com informações de Lauro Jardim, do jornal O Globo, Roberto Carlos estará presente na lista de canções do folhetim das 21h da Globo, que estreará no dia 8 de novembro.
Segundo a publicação, o cantor vai ter um de seus clássicos na trama. A canção será Outra Vez, lançada em 1978 e que ganha uma nova versão. Pensa que parou por aí? Roberto ainda surge em um dueto com Liah Soares, na música A Cor do Amor, escrita por ela.
Roberto, por sinal, acertou com a Globo a produção de um especial de fim de ano inédito para dezembro. Em 2020, o programa mais tradicional da TV brasileira foi tomado por cenas já vistas e provocou um misto de tristeza e frustração no público.
De acordo com Jardim, o cantor fez a primeira reunião com sua equipe e Boninho, responsável pela direção do especial. O encontro aconteceu há duas semanas. Entre os detalhes, todos chegaram em um acordo a respeito da melhor data para a gravação, no final de novembro, dentro do Estúdios Globo. O protocolo de segurança ganhou os primeiros esboços nos últimos 15 dias.
Entre as regras, Boninho e a alta cúpula da Globo entenderam como correto o fechamento de dois estúdios para as gravações: o primeiro com Roberto Carlos e os convidados, e o segundo reservado exclusivamente para a plateia


fonte: Paraíba.com - 09.10.2021
ESPECIAL DE FIM DE ANO DE ROBERTO CARLOS TERÁ NOMES DA MPB
E TRIBUTO AO FILHO
Um mês após a morte do filho Dudu Braga , vítima de um câncer aos 52 anos, o cantor Roberto Carlos retoma a rotina de trabalho para “ocupar a cabeça e enfrentar a tristeza”, como tem falado para amigos. Além de aproveitar o confinamento em casa para compor músicas inéditas, o Rei já estuda o repertório do próximo Especial de Fim de Ano da TV Globo enquanto espera a confirmação dos artistas convidados para dividir o palco com ele.
Com gravação prevista para o fim de novembro, o tradicional show transmitido pela TV Globo no Natal deve reunir, neste ano, medalhões da música popular brasileira. Nomes como Maria Bethânia, Chico Buarque, Caetano Veloso, Erasmo Carlos, Gilberto Gil e Gal Costa já foram contatados pela produção do programa, que ainda aguarda confirmações.
Se tudo correr como o planejado — e se houver disponibilidade nas agendas dos convidados —, a proposta é promover uma apresentação apenas com grandes veteranos da MPB. Diferentemente do que vem sendo especulado nas redes sociais, por exemplo, a ex-BBB Juliette, fenômeno midiático que recentemente se lançou como cantora, nunca foi citada nas reuniões da equipe do programa.
No “Roberto Carlos Especial” deste ano, o cantor também deve prestar um tributo ao filho Dudu Braga, que era presença recorrente em seus shows — no programa de 2018, aliás, o produtor musical e radialista integrou a banda que acompanha o Rei, no comando das baterias.
Os ensaios para o “Roberto Carlos Especial” de 2021, que será rodado nos Estúdios Globo, devem acontecer num espaço particular mantido pelo artista na Urca, na Zona Sul do Rio, próximo ao apartamento onde ele vive.
Como já havia informado o colunista Lauro Jardim, para respeitar o distanciamento social, haverá plateia no show, mas não no mesmo estúdio em que o cantor e seus convidados estarão. Vale lembrar que, em 2020, devido à pandemia, o especial precisou se cancelado.


fonte: O Globo Online - 08.10.2021
AINDA MUTO TRISTE, ROBERTO CARLOS RETOMA A ROTINA
UM MÊS APÓS A MORTE DO FILHO: ESPECIAL DO REI TERÁ TRIBUTO A DUDU BRAGA

Cantor, que 'ocupa a cabeça para enfrentar tristeza', convidou medalhões da MPB,
como Maria Bethânia e Chico Buarque, para show de Natal na TV
Um mês após a morte do filho Dudu Braga, vítima de um câncer aos 52 anos, o cantor Roberto Carlos retoma a rotina de trabalho para "ocupar a cabeça e enfrentar a tristeza", como tem falado para amigos. Além de aproveitar o confinamento em casa para compor músicas inéditas, o Rei já estuda o repertório do próximo Especial de Fim de Ano da TV Globo enquanto espera a confirmação dos artistas convidados para dividir o palco com ele.
Com gravação prevista para o fim de novembro, o tradicional show transmitido pela TV Globo no Natal deve reunir, neste ano, medalhões da música popular brasileira. Nomes como Maria Bethânia, Chico Buarque, Caetano Veloso, Erasmo Carlos, Gilberto Gil e Gal Costa já foram contatados pela produção do programa, que ainda aguarda confirmações.
Se tudo correr como o planejado — e se houver disponibilidade nas agendas dos convidados —, a proposta é promover uma apresentação apenas com grandes veteranos da MPB. Diferentemente do que vem sendo especulado nas redes sociais, por exemplo, a ex-BBB Juliette, fenômeno midiático que recentemente se lançou como cantora, nunca foi citada nas reuniões da equipe do programa.
No "Roberto Carlos Especial" deste ano, o cantor também deve prestar um tributo ao filho Dudu Braga, que era presença recorrente em seus shows — no programa de 2018, aliás, o produtor musical e radialista integrou a banda que acompanha o Rei, no comando das baterias.
Os ensaios para o "Roberto Carlos Especial" de 2021, que será rodado nos Estúdios Globo, devem acontecer num espaço particular mantido pelo artista na Urca, na Zona Sul do Rio, próximo ao apartamento onde ele vive.
Como já havia informado o colunista Lauro Jardim, para respeitar o distanciamento social, haverá plateia no show, mas não no mesmo estúdio em que o cantor e seus convidados estarão. Vale lembrar que, em 2020, devido à pandemia, o especial precisou se cancelado.


fonte: Rádio Jornal Online - 07.10.2021
GLOBO DEVE EXIBIR ESPECIAL DE NATAL DE ROBERTO CARLOS INÉDITO NESTE ANO;
VEJA DATA, REPERTÓRIO E COMO SERÁ GRAVAÇÃO
EM 2020, POR CAUSA DA PANDEMIA DO NOVO CORONAVIRUS,
GLOBO REEXIBIU ESPECIAL DE NATAL DE ROBERTO CARLOS GRAVADO EM 2011

Cantor Roberto Carlos em especial de fim de ano da TV Globo
Após cancelar a gravação do especial de Natal de Roberto Carlos em 2020 por causa da pandemia do novo coronavírus, a TV Globo já trabalha para exibir um programa inédito com o rei neste ano de 2021. A informação é do colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo. Segundo o jornalista, Globo e Roberto Carlos já acertaram todos os detalhes do especial deste ano. Os ensaios vão acontecer no estúdio particular do cantor, e a gravação do especial deve ser feita no próximo mês de novembro. Já é certo que a emissora deve priorizar os protocolos de segurança contra a covid-19, uma vez que a pandemia ainda não acabou. No ano passado, por escolha do próprio Roberto Carlos, não houve gravação do especial por causa da pandemia. No horário, foi reexibido o especial gravado em Jerusalém, Israel, em 2011, que contou com apresentação da jornalista Glória Maria. Há rumores de que, neste ano, ainda por causa da pandemia, Roberto Carlos fique em um ambiente separado e controlado, bem mais distante da plateia do que normalmente costuma ser feito em outros especiais. É natural também que só compareçam na gravação artistas e convidados que tenham sido vacinados contra a covid-19.


fonte: O Globo - 05.10.2021
'AQUELAS CANÇÕES DO ROBERTO' NA PRÓXIMA NOVELA DAS NOVE

A próxima novela das nove, "Um lugar ao sol", que estreia em 8 de novembro, terá duas músicas de Roberto Carlos na trilha sonora: uma nova versão de "Outra vez", lançada originalmente em 1978; e um dueto com Liah Soares na canção "A cor do amor", composição da própria cantora paraense.
A propósito, Roberto voltou no fim de semana retrasado pela primeira vez ao seu estúdio particular, perto de sua casa, na Urca, no Rio de Janeiro, desde a morte do seu filho, Dudu, ocorrida no dia 8 de setembro.


fonte: Polêmica Paraíba Online - 04.10.2021
ROBERTO CARLOS RECEBE TERCEIRA DOSE DA VACINA CONTRA COVID-19

Imunizado! Roberto Carlos recebeu a terceira dose da vacina contra a covid-19 no Rio de Janeiro e compartilhou o vídeo do momento especial em suas redes sociais neste fim de semana. “Todo mundo tem que vacinar. 3ª dose”, postou ele, que completou com a hashtag “vacina sim”.


fonte: O Globo - 03.10.2021
COMO MANDA A TRADIÇÃO
Ao contrário de 2020, quando a pandemia fez cancelar a mais tradicional atração de Natal na TV brasileira, Roberto Carlos fará o seu especial de fim de ano na Globo – um inequívoco sinal de alguma normalidade no país. A primeira reunião entre Roberto, sua equipe e Boninho, que dirigirá o programa, aconteceu há duas semanas. Ficou acertado que a gravação será no fim de novembro, nos Estúdios Globo. Para respeitar o distanciamento social, haverá plateia, mas não no mesmo estúdio em que o cantor e seus convidados estarão. Os ensaios serão no estúdio particular que Roberto mantém perto de sua casa, na Urca.


fonte: Yahoo Online - 11.09.2021
VIÚVA DE DUDU BRAGA FALA PELA PRIMEIRA VEZ APÓS MORTE DO MARIDO
Valeska agradeceu mensagens de apoio
Valeska Braga usou as redes sociais neste domingo (12) para falar sobre a perda do marido, Dudu Braga, filho do cantor Roberto Carlos. O baterista, produtor musical, radialista e palestrante morreu nesta quarta-feira (8), aos 52 anos. A informação foi confirmada ao F5 por fontes próximas à família e por sua assessoria de imprensa.
"Queria agradecer a todos vocês pelas mensagens, homenagens, orações, pelas palavras de carinho! Mas ainda não estou pronta para responder! Mas assim que possível, respondo! Estou buscando forças! Obrigada por tanto amor com o Dudu", compartilhou Valeska.
Tom Cavalcante, Mara Maravilha e Roberta Miranda são alguns dos famosos que se solidarizaram com a blogueira. "Querida! Estou diariamente em oração por você, Laurinha e Roberto", escreveu Myriam Rios, que foi casada com o Rei entre 1980 e 1989.
O pronunciamento de Valeska acontece um dia após Roberto Carlos também falar àqueles que mandaram palavras de apoio após a morte de Dudu. "Agradeço de todo coração a todos que me enviaram mensagens e manifestações de amor e de carinho", compartilhou na noite deste sábado (11). "Muito obrigado e que o nosso Deus de bondade proteja e abençoe a todos nós. Amém", finalizou.
Dudu estava internado no Hospital Albert Einstein, na zona sul de São Paulo, para tratar de um câncer de peritônio, membrana que envolve os órgãos da cavidade abdominal. Segundo o hospital, ele passou por uma série de internações para tratamento quimioterápico e cirurgia.
Em setembro de 2020, em entrevista a José Luiz Datena, ele afirmou que a doença havia sido descoberta no começo, mas não tinha cura. "Talvez viva de quimio em quimio", disse na época.
Em 2019, Dudu já havia enfrentado um câncer no pâncreas. Na época, por causa do tratamento, ele suspendeu shows que faria com a banda RC na Veia e as palestras que havia marcado, mas manteve a participação que fazia na programação da rádio Bandeirantes.
Dudu deixa a esposa, Valeska Braga, com quem estava havia mais de 17 anos. O relacionamento foi oficializado em uma cerimônia íntima realizada há poucas semanas, com a presença do pai dele.
Os dois tiveram Laura há 5 anos. Com a menina, o músico se apresentou no especial de final de ano de Roberto em 2018. Além disso, ele também era pai de Giovanna, 22, e Gianpietro, 17, frutos de uma relação anterior.


fonte: R7 Online - 11.09.2021
'AGRADEÇO O AMOR E CARINHO', DIZ ROBERTO CARLOS APÓS MORTE DO FILHO
Cantor e compositor postou mensagens para fãs e amigos
que se manifestaram em apoio à ele depois da partida de Dudu Braga

Filho do Rei, Dudu Braga morreu aos 52 anos
Roberto Carlos usou as redes sociais para agradecer os amigos e fãs que mandaram apoio após a morte de Dudu Braga, um dos filhos do cantor e compositor.
O Rei publicou uma foto com o herdeiro, no início da noite deste sábado (11), e escreveu na legenda: "Agradeço de todo coração a todos que me enviaram mensagens e manifestações de amor e de carinho. Muito obrigado e que o nosso Deus de bondade proteja e abençoe a todos nós. Amém. Roberto Carlos".
Nos comentários, seguidores e famosos, como o apresentador Cesar Filho e a cantora Fafá de Belém, voltaram a se manifestaram com milhares de curtidas e mensagens carinhosas.
Dudu Braga morreu na última quarta-feira (8) aos 52 anos vítima de um câncer no peritônio. Ele estava internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, em tratamento, porém, não resistiu.


fonte: Correio Online - 11.09.2021
CORPO DE DUDU BRAGA É ENTERRADO EM SÃO PAULO
Produtor musical e filho de Roberto Carlos morreu aos 52 anos por complicações de um câncer

O corpo do produtor musical e palestrante Roberto Carlos Braga 2º, o Dudu Braga, foi velado e enterrado nesta quinta (9), em São Paulo. A cerimônia reuniu amigos e familiares. O músico, filho de Roberto Carlos, morreu na quarta (8) aos 52 anos.
Dudu estava em tratamento contra um câncer de peritônio, membrana que envolve os órgãos da cavidade abdominal. A missa foi celebrada pelo padre Antônio Maria, amigo da família. O velório ocorreu no espaço Funeral Home, na Bela Vista, região central de São Paulo, e o enterro ocorreu no cemitério Araçá.
De acordo com a assessoria de Roberto Carlos, o cantor esteve no velório do filho, mas preferiu não ir ao cemitério por conta de aglomeração. “Ele pensou muito, como está preocupado com a nova variante delta (da Covid) e por ele já ter se exposto muito indo no hospital, preferiu não ir ao cemitério", informou a assessoria.
O cantor, que mora no Rio, estava há alguns dias em São Paulo e ia todos os dias ao hospital para ficar com o filho. “Ele estava indo todos os dias ao hospital conversar com o Dudu e ficar com ele lá. Então, ele já estava se expondo muito fazendo isso”, explicou a assessoria.
Após a morte de Dudu, Roberto Carlos publicou na noite de quarta (8) em sua página oficial no Instagram uma homenagem ao filho, com um vídeo onde diz que Dudu era seu maior ídolo. "Eu tenho um grande ídolo na minha vida: meu filho", responde ele.
Em 2019, Dudu já havia enfrentado um câncer no pâncreas. Ele deixa a esposa, Valeska Braga, com quem estava há mais de 17 anos. O relacionamento foi oficializado em uma cerimônia íntima realizada há poucas semanas, com a presença do pai dele.
Os dois tiveram Laura há 5 anos. Dudu também era pai de Giovanna, 22, e Gianpietro, 17, fruto de uma relação anterior.


fonte: Montes Claros.com - 10.09.2021
O CHORO EXAUSTIVO E O LUTO FECHADO DE ROBERTO CARLOS PELA MORTE DO FILHO:
O POUCO QUE FOI DIVULGADO.
HOJE AINDA, ELE VOLTARÁ AO RIO

O que se sabe da presença de Roberto Carlos no velório e sepultamento do filho:
- Amigos e familiares se comoveram com a longa crise de choro de Roberto Carlos durante o velório.
- O filho foi o seu maior ídolo.
- Numa das últimas conversas, já no hospital onde Dudu se tratava de câncer irreversível no peritônio, membrana que envolve a parede abdominal, o filho pediu: se algo acontecesse, ele "gostaria de ir embora com camisa do Corinthians, uma roupa confortável e tênis", o que foi feito.
- Hoje, sexta-feira (10/9), Roberto Carlos deixará São Paulo de volta ao Rio, seguindo em quarentena rígida em seu apartamento na Urca, na Zona Sul.
- No mesmo edifício, mora uma das suas irmãs, Norma Moreira Braga, de 86 anos, que é companhia frequente do cantor, além da equipe de seguranças e assistentes.
- Roberto não quis visitar a casa do filho, em São Paulo, após o velório.
- Dudu é filho do primeiro casamento, com Cleonice Rossi.
- Ele lutava contra um câncer irreversível no peritônio desde setembro de 2020.
- Em 2019, Dudu já havia passado por dois tratamentos contra câncer de pâncreas.
- Dudu nasceu com glaucoma — doença que causa cegueira irreversível — e passou por sete cirurgias ainda na infância.
- Ele assinava colunas em revistas musicais, tocava bateria e tinha uma banda chamada "RC na Veia", em homenagem ao pai.
- Era produtor musical, radialista e jornalista.
- Por mais de dez anos, apresentou o programa "As canções que você fez para mim", com canções do pai, sucesso de audiência nas rádios Nativa e Jangadeiro FM.


fonte: Isto É Online - 10.09.2021
ACESSOR REVELA QUE ROBERTO CARLOS REALIZOU
O ÚLTIMO DESEJO DO FIHO DUDU BRAGA: 'ESTÁ DESTRUÍDO'

O cantor Roberto Carlos realizou o último desejo do filho Dudu Braga, que faleceu na última quarta-feira (8) em decorrência de um câncer. Segundo informações de O Globo, que conversou com o assessor de imprensa do Rei, ele se emocionou muito no enterro.
“Quem estava no velório viu como ele está destruído. Chorou muito, muito mesmo. Foi doloroso vê-lo desse jeito”, contou um amigo do artista.
Numa das últimas conversas entre os dois, já no hospital — onde Dudu tratava um câncer irreversível no peritônio, membrana que envolve a parede abdominal —, o filho afirmou ao pai que, se algo ruim acontecesse, ele “gostaria de ir embora com uma camisa do Corinthians, uma roupa confortável e tênis”.


fonte: O Globo Online - 09.09.2021
MUITO ABALADO E INCONSOLÁVEL,
ROBERTO CARLOS PARTICIPA DE VELÓRIO E ENTERRO DO FILHO DUDU BRAGA EM SP
Segundo assessoria do Rei, ele falava com o filho mais de uma vez por dia durante a última internação;
notícia da morte pegou a família de supresa

Dudu Braga e o pai, Roberto Carlos

Dudu Braga, a filha Laura e a mulher Valeska





O cantor posa ao lado da aniversariante e da nora, Valeska.

Dudu Braga com o pai e a esposa Valeska
O velório do radialista e produtor musical Dudu Braga, filho do cantor Roberto Carlos, acontece na manhã desta quinta-feira (9/9) em local não divulgado em São Paulo. O enterro será realizado às 11h, no Cemitério do Araçá, também na capital paulista.
De acordo com o assessor de imprensa do artista, que o acompanhou no percurso entre Rio de Janeiro e São Paulo nesta quinta-feira, Roberto Carlos está "muito abalado e inconsolável". O cantor participa, nesta manhã, do velório do filho, em cerimônia restrita a poucos familiares. Ele está em silêncio desde cedo.
— Dudu ja se tratava contra o câncer desde o último ano, mas ele vinha tendo resultados positivos. Então (a notícia da morte) foi algo que pegou de surpresa a família. Roberto está muito abalado — conta o assessor. — Roberto e Dudu se falavam sempre, sempre. Diariamente, mais de uma vez por dia, os dois conversavam por telefone. Eram muito próximos mesmo. Dudu acompanhava o pai em tudo. Ele era aquele filho que estava sempre ao lado do pai.
Presença frequente nos shows do pai, Dudu Braga, batizado de Roberto Carlos Braga Segundo (o que rendeu os apelidos de Dudu e Segundinho), é fruto do primeiro casamento do Rei, com Cleonice Rossi. Ele lutava contra um câncer irreversível no peritônio, membrana que envolve a parede abdominal, desde setembro de 2020. Em 2019, Dudu já havia passado por dois tratamentos contra câncer de pâncreas.
Ele estava internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. O radialista de 52 anos deixa a mulher Valeska, com quem era casado há 17 anos e tinha Laura, de 5 anos. Ele também é pai de Giovanna, de 22 anos, e Gianpietro, de 17 anos, filhos de uma relação anterior do produtor.
'RC na Veia'
Deficiente visual, Dudu nasceu com glaucoma — doença que causa cegueira irreversível — e passou por sete cirurgias ainda na infância. Ele também assinava colunas em revistas musicais, tocava bateria e tinha uma banda chamada "RC na Veia", em homenagem ao pai cantor e compositor.
Formado em Publicidade, Dudu também era produtor musical, radialista e jornalista. Por mais de dez anos, apresentou o programa "As canções que você fez para mim", com canções de seu pai, sucesso de audiência nas rádios Nativa e Jangadeiro FM. Na televisão, fez participação na novela "América", da Rede Globo, e apresentou os programas "Ressoar" — na Rede Record —, "Vida em movimento" — na TV Cultura —, e "Sentidos" — na TV Gazeta e Net Cidade. Em 2002, ganhou o Grammy como produtor musical.
Dudu também se dedicou às ações sociais. Além de ter sido um dos fundadores da ONG "Meninos do Morumbi", era colaborador nas fundações "Laramara" — Associação Brasileira de Assistência à Pessoa com Deficiência Visual — e "Dorina Nowill para cegos", chegando a ser eleito como personalidade do ano em responsabilidade social pela Revista Época, no ano de 2005.


fonte: O Dia - 09.09.2021
AMIGOS E FAMILIARES SE DESPEDEM DE DUDU BRAGA EM VELÓRIO EM SÃO PAULO
Despedida contou com missa celebrada pelo padre Antonio Maria


Amigos e familiares se despediram de Dudu Braga, filho do cantor Roberto Carlos, em velório realizado no espaço Funeral Home, no bairro da Bela Vista, em São Paulo, na manhã desta quinta-feira. A cerimônia contou com uma missa realizada pelo padre Antonio Maria. O sepultamento do produtor musical aconteceu em seguida, no Cemitério do Araçá, também em São Paulo.
De acordo com a assessoria de Roberto Carlos, o cantor esteve no velório de Dudu, mas não compareceu ao sepultamento. "Roberto esteve no velório. Como nos últimos dias ele esteve direto com o Dudu no hospital, ele preferiu se poupar, até por conta da pandemia, de ir ao cemitério. Ele ficou no velório do filho e quando a urna saiu para o cemitério, ele optou por ir para casa, até porque ele estava muito abalado", disse a assessoria do cantor à revista "Quem".
Amigo da família, o padre Antonio Maria foi responsável por celebrar, em agosto deste ano, o casamento de Dudu com Valeska Braga após 18 anos de união. Dudu e Valeska têm uma filha, Laura, de 5 anos. O produtor musical deixa mais dois filhos, Giovanna, de 22 anos, e Gianpietro, de 17, de um relacionamento anterior.
Dudu Braga morreu aos 52 anos, nesta quarta-feira, vítima de um câncer no peritôneo. Ele anunciou o diagnóstico de câncer em setembro do ano passado em uma publicação no Instagram. Antes disso, Dudu já havia passado por dois tratamentos para cuidar de um câncer no pâncreas, em 2019. Em julho deste ano, ele contou nas redes sociais que os médicos chegaram a trocar os quimioterápicos após a constatação de que não havia nem regressão nem progressão do tumor.


fonte: Metropoles - 09.09.2021
AOS PRANTOS, ESPOSA DE DUDU BRAGA, CONSOLA FILHA DE 5 ANOS EM ENTERRO
Funeral do produtor musical, filho de Roberto Carlos,
aconteceu na manhã desta quinta-feira (9/9), no Cemitério do Araça, em São Paulo

A esposa do músico e radialista Dudu Braga, que morreu nessa quarta-feira (8/9), após travar longa batalha contra o câncer, surgiu muito emocionada no enterro do marido. O funeral aconteceu na manhã desta quinta (9/9), no Cemitério do Araça, em São Paulo.
Valeska Braga segurava em seu colo Laura, filha que teve com o filho de Roberto Carlos, de apenas 5 anos. A mãe e a criança choravam muito, mas foram consoladas por amigos e familiares.


fonte: Quem Online - 09.09.2021
FAMILIARES E AMIGOS SE DESPEDEM DE DUDU BRAGA
Filho de Roberto Carlos morreu na tarde de quarta-feira (8),
em decorrência de complicações de um câncer.
O velório e enterro aconteceram em São Paulo








Familiares e amigos se despediram de Dudu Braga, fiilho do cantor Roberto Carlos, em um velório restrito a familiares e amigos íntimos na manhã desta quinta-feira (9). Quem confirmou que o velório aconteceu no espaço Funeral Home, no bairro da Bela Vista, em São Paulo. A cerimônia contou com uma missa comandada pelo padre Antonio Maria. Dody Sirena, empresário de Roberto Carlos, foi um dos primeros a chegar ao local.
Famosos lamentam a morte de Dudu Braga
"Agradeço a Deus por esse presente que foi, é e será o Dudu em minha vida. Ele, que não enxergava, mas via tudo e, principalmente, todos, com o coração. Dudu falava: 'Vivamos sabendo que vamos morrer, para morrer sabendo que vamos viver para sempre'", afirmou durante a cerimônia.
Procurada por Quem nesta manhã, a assessoria de Roberto Carlos explicou que o cantor esteve presente no velório, mas não no enterro. "Roberto esteve no velório. Como nos últimos dias, ele estava direto com o Dudu no hospital, ele preferiu se poupar, até por conta da pandemia, de ir ao cemitério. Ele ficou no velório do filho e quando a urna saiu para o cerimetério, ele optou por para casa, até porque ele estava muito abalado."
O Padre Antonio Maria, grande amigo da família, foi o responsável por celebrar, em agosto deste ano, o casamento de Dudu com Valeska Braga, após 18 anos de união. Juntos, tiveram uma filha, Laura, de 5 anos de idade. O produtor deixou outros dois filhos -- Giovanna, de 22 anos, e Gianpietro, de 17 anos -- de um relacionamento anterior.
Dudu morreu aos 52 anos de idade na quarta-feira (8), em decorrência de complicações de um câncer no peritônio. Ele compartilhou o diagnóstico do câncer em setembro do ano passado em publicação nas redes sociais. Além disso, ele já passou por outros dois tratamentos para cuidar de um câncer de pâncreas, em 2019.
Em julho deste ano, ele explicou que os médicos chegaram a trocar o quimioterápico após constatarem que não havia nem regressão, nem progressão do tumor.


fonte: Blog Mauro Ferreira - 08.09.2021
DUDU BRAGA, BATERISTA QUE TRAZIA O PAI ROBERTO CARLOS NA VEIA
MORRE AOS 52 ANOS



OBITUÁRIO – As flores do jardim da casa de Roberto Carlos estão tristes, inconsoláveis. Nascido com glaucoma congênito, doença que o levou à perda progressiva da visão ao longo da vida, tendo ficado irreversivelmente cego em 1994, Roberto Carlos Braga II (14 de dezembro de 1968 – 8 de setembro de 2021) morreu na tarde desta quarta-feira, aos 52 anos, na cidade de São Paulo (SP), vítima de câncer no peritônio.
Filho de Roberto Carlos com Cleonice Rossi (1939 – 1990), Segundinho – como também era chamado – era conhecido no meio artístico como Dudu Braga, tendo trazido para a vida adulta o apelido que ganhara ainda na infância por viver cantando música do repertório do cantor Eduardo Araújo.
Foi como Dudu Braga que o artista atuou na música como baterista, produtor musical, dono de gravadora e radialista.
O artista era o baterista da banda RC na Veia, grupo de pulso roqueiro que, além de Dudu, foi criado em 2014 com Alex Capella (voz), Fernando Miyata (guitarra) e Juninho Chrispim (baixo) na formação.
Em 2018, ano em que Dudu Braga foi um dos convidados do especial anual de Roberto Carlos na TV Globo, no posto de baterista, RC na Veia lançou CD e DVD com registro audiovisual de show captado em outubro de 2017 em apresentação feita pela banda na cidade de São Paulo (SP), com a participação de Roberto Carlos na regravação de Se você pensa (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1968) e no número coletivo É preciso saber viver (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1968).
Parceiro extraoficial do pai na criação da música Cama e mesa (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1981), por ter contribuído com os versos “Todo homem que sabe o que quer / Sabe dar e querer da mulher”, Dudu Braga teve atuação longa como radialista, tendo apresentado por quase 20 anos o programa As canções que você fez pra mim, com músicas e histórias de Roberto Carlos.
Uma dessas histórias é que uma das músicas mais belas e tristes músicas do cancioneiro de Roberto, As flores do jardim da nossa casa, foi composta em dezembro de 1968 com inspiração no fato de o filho do cantor ter sido levado ainda bebê para a Holanda, no fim daquele ano de 1968, com 15 dias de vida, para tentar um tratamento cirúrgico – na época experimental – contra o glaucoma congênito. A música abriu o álbum lançado por Roberto Carlos em 1969.
A deficiência visual jamais tirou Dudu Braga de cena. Tanto que foi depois de perder a visão, aos 24 anos, que o artista cogitou abrir gravadora, se tornou radialista e virou músico, tocando bateria na banda RC na Veia, sempre com orgulho assumido de ser filho de Roberto Carlos Braga, o primeiro.


fonte: O Globo - 08.09.2021
MORRE DUDU BRAGA AOS 52 ANOS APÓS LUTA CONTRA O CÂNCER
Filho de Roberto Carlos lutava contra um câncer no peritônio
desde setembro do ano passado




Dudu Braga, filho de Roberto Carlos, morreu nesta quarta-feira (8) após uma batalha contra o câncer. Ele enfrentava um câncer no peritônio (membrana que envolve a parede abdominal), desde setembro do ano passado. A morte foi confirmada por fontes de Quem. O radialista e produtor deixa a mulher Valeska, com quem era casado há 17 anos e tinha Laura, de 5 anos, e os filhos Giovanna, de 22 anos, e Gianpietro, de 17 anos, frutos de um relacionamento anterior.
Esta foi a terceira vez que Dudu enfrentou a doença depois de vencer duas batalhas contra o câncer de pâncreas em 2019.
Em agosto deste ano, Dudu oficializou a união com Valeska. A cerimônia, para apenas 12 convidados, foi abençoada pelo padre Antônio Maria e contou com a presença de Roberto Carlos, que tem seguido uma rígido isolamento social desde que a pandemia estourou no Brasil.
Em entrevista para Quem, ele falou sobre o tratamento. "O meu câncer voltou ano passado, apareceram três pontinhos no peritônio. Fiz o tratamento, fiquei bem e voltou [o câncer] há um mês. Comecei a ter umas recidivas de ter que voltar para o hospital. O meu aparelho digestivo estava ficando inflamado com uma certa facilidade", explicou ele, em conversa com Quem direto do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, onde estava sendo tratado pelo oncologista Fernando Maluf.
Dudu Braga - que foi diagnosticado com glaucoma logo ao nascer e perdeu a capacidade visual - é um dos quatro filhos de Roberto Carlos. Ele nasceu em 1969, fruto do casamento com Cleonice Rossi, que morreu de câncer de mama em 1990. Deste casamento também nasceu Luciana. Além de Dudu e Luciana, Roberto é pai de Ana Paula - morta em 2011 após uma parada caríaca - e Rafael.


fonte: Portal Márcia Piovesan - 08.09.2021
MORRE DUDU BRAGA, FILHO DO CANTOR ROBERTO CARLOS
Cantor tem aproveitado o momento de isolamento social para compor novas canções

Dudu Braga e o Pai Roberto Carlos
Produtor musical Dudu Braga faleceu aos 52 anos após lutar contra o câncer
O produtor musical Dudu Braga faleceu aos 52 anos de idade após um período internado no Hospital Israelita Albert Einstein. Ele lutava contra um câncer no peritônio e seu quadro se agravou nos últimos tempos.
Dudu é filho do cantor Roberto Carlos. Ele é pai de Laura, fruto do casamento de 17 anos com Valeska.


fonte: Off Online - 08.09.2021
MORRE DUDU BRAGA, FILHO DE ROBERTO CARLOS, AOS 52 ANOS
Produtor musical estava internado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo
O produtor musical Dudu Braga, filho do cantor e compositor Roberto Carlos, morreu na tarde desta quarta-feira (08). Desde setembro do ano passado, ele enfrentava um câncer no peritônio, membrana que envolve a parede abdominal. O famoso estava internado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, e era tratado pelo oncologista Fernando Maluf.
A notícia da morte de Dudu Braga foi confirmada por familiares do produtor musical. Mais cedo, o EM OFF havia antecipado que o quadro de saúde dele era de coma irreversível, após apresentar uma piora no seu estado clínico. O velório do filho do Rei Roberto Carlos será restrito aos familiares mais próximos.
No começo do mês passado, Dudu Braga havia concedido uma entrevista à revista Quem na qual falou sobre sua saúde. Essa era a terceira vez que o produtor musical enfrentava um câncer. Em 2019, ele venceu duas batalhas contra a doença no pâncreas. “O meu câncer voltou ano passado, apareceram três pontinhos no peritônio. Fiz o tratamento, fiquei bem e voltou há um mês“, disse.
Dudu Braga percebeu que algo estava errado quando o seu aparelho digestivo começou a ficar inflamado com uma certa facilidade. “O meu tumor primário é de pâncreas e foi metastático. Hoje não tenho nada mais no pâncreas, uma vez que operei e fiz as sessões de quimioterapia“, contou, na ocasião. “A doença voltou no peritônio e resolveram entrar com uma medicação nova“, contou.
‘Nova’ casa
Ainda na entrevista concedida em agosto à Quem, Dudu Braga afirmou que fez do hospital sua “segunda casa”. No local, ele contava com a companhia da mulher, Valeska, com quem é casado há 17 anos, e a filha Laura, de 5 anos. “A gente fez uma caminha extra e, como ela está de férias, tem ficado aqui [no hospital] também. Valeska fica direto comigo, Laurinha não“, explicou.
O produtor elogiou o trabalho da equipe médica e reforçou que o pai, Roberto Carlos, ainda não havia feito uma visita devido a preocupações sanitárias.
“Já conheço todas as enfermeiras do andar, viraram nossa família. Meu pai não veio ainda, mesmo porque tenho cuidado. Ainda que ele já tenha tomado as duas doses da vacina contra a Covid (…) é um hospital. A gente tem que ter cuidadinho e preservar quem a gente ama“.
Tratamento e fé
Dudu Braga também falou sobre a dificuldade do tratamento, mas que, mesmo assim, não havia perdido a fé. “A gente é uma família de muita fé: eu, Valeska, Laurinha, meu pai. As sessões de químio sempre dão uma baqueada, mas os pré-medicamentos que existem hoje em dia amenizam demais os efeitos colaterais. Ter as duas aqui é essencial para eu ter força. Elas e meu são minha inspiração“.
Ele continuou, dizendo que teria que conviver com a doença pelo resto da vida. “A gente não fala em cura, mas em ‘cronificação’ da doença. Sei que vou ter que conviver com isso para o resto da vida. A cura total só poderia ter acontecido lá atrás. Agora a doença vai aparecendo e vou tratando. Não é bom, mas antes assim. Ainda bem que tem tratamento“.


fonte: Leia Já Online - 30.08.2021
ROBERTO CARLOS DEVE LANÇAR MÚSICA INÉDITA EM 2021
Cantor tem aproveitado o momento de isolamento social para compor novas canções

Roberto Carlos durante uma apresentação em 2019
O cantor Roberto Carlos pretende voltar ao cenário da música ainda neste segundo semestre de 2021, com o single inédito “Bicho Solto”, que o artista compôs no ano passado, durante a pandemia de Covid-19, enquanto estava em isolamento social. A partir do lançamento, o Rei voltará ao cenário da música após três anos, quando lançou seu último álbum, em espanhol, “Amor Sin Límite” (2018).
Por conta da pandemia, toda a agenda de compromissos de Roberto Carlos foi transferida para o próximo ano e, por enquanto, o Rei tem aproveitado o momento de isolamento para compor novas canções. Além disso, o novo projeto também ficará marcado por ter sido lançado no ano em que Roberto Carlos completou 80 anos de idade, em 19 de abril.
Durante a quarentena em 2020, Roberto Carlos se apresentou em duas lives exibidas na Rede Globo e pela plataforma de streaming Globoplay. Durante as apresentações, o cantor defendeu a importância do isolamento social, para evitar a proliferação do vírus.
O artista procura não sair de casa e até chegou a dispensar temporariamente seu motorista particular, para que não houvesse um possível contágio. Por conta disso, o cantor foi flagrado em maio deste ano dirigindo rumo ao posto de vacinação para receber a segunda dose do imunizante contra o coronavírus. Ao publicar em suas redes sociais, Roberto Carlos apoiou a campanha de vacinação: “Vacina sim. É isso aí. Todo mundo tem que vacinar, por favor”.


fonte: Uol Online - 29.08.2021
APÓS REPRISE EM 2020, ESPECIAL DE FIM DE ANO DE ROBERTO CARLOS NA GLOBO SERÁ INÉDITO
O rei da música brasileira prepara seu novo musical
que será exibido em dezembro na rede do plim plim

A coluna apurou que o tradicional especial de fim de ano de Roberto Carlos na rede de televisão da família Marinho será inédito. Além disso, a produção será gravada nos Estúdios Globo em novembro.
Juliette Freire, campeã do BBB 21 deve ser uma das convidadas do rei em seu especial que contará com mais dois cantores que estão sendo escolhidos pelo intérprete. Déa Lúcia, mãe de Paulo Gustavo, deve fazer um dueto com o líder da Jovem Guarda em homenagem ao seu filho. O assunto segue sob sigilo nos bastidores da rede do plim plim.


fonte: Jornal Extra Online - 24.08.2021
ROBERTO CARLOS DEFENDE FIM DO APERTO DE MÃO E CITA OUTROS CUIDADOS NA PANDEMIA:
'ME ACHAM EXAGERADO'

Aos 80 anos e já imunizado com as duas doses da vacina contra a Covid-19, Roberto Carlos segue tomando todos os cuidados. Portador de Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), o cantor contou como vem enfrentando a pandemia. Desde o início do isolamento, os funcionários que trabalham em sua casa foram proibidos de usar transporte público e só ele pode entrar em seu carro. Nos dias de tomar o imunizante, ele foi dirigindo sozinho seu veículo. Além disso, o Rei defende a extinção do cumprimento com a mão.
"Imagina como não é uma pessoa com TOC na pandemia! Eu encaro com muito cuidado e muita gente me acha até exagerado, mas eu não acho. Acredito que se todos tivessem esses cuidados, a coisa poderia estar melhor. Essa coisa de cumprimentar com a mão, por exemplo, não deveria existir, deveria ser o cumprimento oriental, só se curvando. Evitaríamos até gripe. Essa doença é traiçoeira e todos precisam ter cuidado, usar máscara e manter o distanciamento", disse Roberto à "Caras".
Canção inédita
Do isolamento de seu apartamento na Urca, na Zona Sul do Rio, Roberto Carlos só saiu para ir ao casamento do filho Dudu Braga, na última semana, em São Paulo, e para ir ao seu estúdio, do lado de casa. Foi lá que o Rei gravou "Bicho solto", música nova que ele deve lançar agora em setembro. Outra novidade será o dueto com a cantora Liah Soares, que fará parte da trilha sonora de "Um lugar ao sol", próxima novela das nove. "Estou com saudades dos palcos. É ali que não tenho problema", afirmou o cantor.


O fonte: Site Oficial RC - 17.08.2021



fonte: Projeto Emoções - 17.08.2021



fonte: Blog Mauro Ferreira - 06.08.2021
PRIMEIROS ÁLBUNS DE ELIS REGINA E ROBERTO cARLOS COMPLETAM 60 ANOS
COMO 'PATINHOS FEIOS' DAS DISCOGRAFIAS DOS CANTORES
Rejeitados pelos artistas, os LPs 'Viva a brotolândia' e 'Louco por você'
têm valor meramente documental

MEMÓRIA – Há curiosas coincidências entre as trajetórias de Elis Regina (17 de março de 1945 – 19 de janeiro de 1982) e Roberto Carlos.
Ambos os cantores entraram em cena na segunda metade dos anos 1950. A gaúcha Elis surgiu nos microfones das rádios da cidade natal de Porto Alegre (RJ).
O capixaba Roberto começou a ser (mal) notado em boate da cidade do Rio de Janeiro (RJ), precisamente a partir de 1959, ano em que deu expediente na boate Plaza como imitador de João Gilberto (1931 – 2019).
Ambos os cantores explodiram e consolidaram as respectivas carreiras em 1965. Elis defendeu e consagrou a música Arrastão (Edu Lobo e Vinicius de Moraes) no palco do 1º Festival de Música Popular Brasileira, transmitido pela TV Excelsior naquele mesmo ano de 1965 em que a cantora assinou contrato com a gravadora Philips e lançou o primeiro álbum, Samba eu canto assim, LP em que começou a ser de fato Elis Regina, voz imponente na MPB que irrompeu a partir daquele ano.
Já Roberto foi para o trono como Rei da juventude ao estrear o programa Jovem Guarda em agosto de 1965, ano em que consolidou a carreira fonográfica com o álbum também intitulado Jovem Guarda e impulsionado pelo sucesso do rock Quero que vá tudo para o inferno, composto por Roberto em parceria com Erasmo Carlos.
Contudo, a coincidência mais curiosa nas carreiras de Elis Regina e Roberto Carlos é que ambos lançaram em 1961 os respectivos primeiros álbuns, Viva a brotolândia e Louco por você. Discos que completam 60 anos em 2021 como eternos patinhos feitos nas discografias dos cantores.
Lançado em 1961 em edição da Continental, gravadora que contratara Elis por estar atenta ao sucesso local da cantora em Porto Alegre (RS), o álbum Viva a brotolândia flagrou a cantora – então com apenas 16 anos – sendo induzida pela companhia fonográfica a imitar Celly Campello (1942 – 2003), cantora paulista então muito popular por ocupar o posto de Rainha da juventude na pré-história do pop brasileiro, iniciada em fins dos anos 1950.
Inócuo, o repertório do disco de Elis acenava para o público jovem entre músicas inéditas como Dá sorte (Eleu Salvador) e versões de hits estrangeiros como Puppy love (Paul Anka, 1959) – rebatizada como Garoto último tipo – e Baby face (Harry Akst e Benny Davis, 1926), ambos vertidos para o português pelo compositor Fred Jorge (1928 – 1994).
Pouco ou nada ficou para a posteridade entre os rock-baladas, calipsos e até samba desse repertório gravado com orquestra regida pelo maestro Severino Filho (1928 – 2016), como alardeado na capa que expõe imagem sorridente de Elis.
Renegado pela artista, assim como os três álbuns posteriores da cantora (Poema de amor, de 1962, e Ellis Regina e O bem do amor, ambos de 1963), o disco Viva a brotolândia foi relançado pela Continental somente após a morte da artista, em 1982, no formato original de LP, com o título de Nasce uma estrela.
Em dezembro de 2006, a gravadora Som Livre pôs no mercado fonográfico box com caprichadas edições em CD de Viva a brotolândia e do posterior Poema de amor. Na ocasião, os dois álbuns voltaram ao mercado fonográfico com as capas e as artes gráficas originais, elevando o valor documental dessa definitiva edição de 2006.

Capa do álbum 'Louco por você', de Roberto Carlos
Menos sorte teve o álbum Louco por você, renegado por Roberto Carlos. Em 1977, a CBS quase conseguiu reeditar o disco no formato original de LP, mas o cantor vetou na última hora. Quase trinta anos depois, o produtor e pesquisador musical Marcelo Fróes tentou incluir Louco por você na caixa com reedições em CD dos álbuns lançados por Roberto Carlos nos anos 1960. Mas a caixa acabou chegando ao mercado em 2004 sem Louco por você pelo mesmo motivo de sempre.
É notória a rejeição de Roberto ao álbum lançado pela gravadora Columbia em agosto de 1961 – presumivelmente em 7 de agosto – com capa que estampou a mesma foto exposta na capa de disco lançado há então 15 anos pelo organista norte-americano Ken Griffin (1909 – 1956), To each his own (1946).
Pelos reincidentes vetos de Roberto à qualquer tentativa de reedição (os advogados do cantor conseguiram tirar de circulação a edição digital posta à venda no iTunes em 2012), o álbum Louco por você acabou acabou se tornando item valioso no febril mercado brasileiro de LPs. As cópias remanescentes da primeira e única tiragem original de 1961 – estimada em mil exemplares – são raridades que valem milhares de reais.
Aos 80 anos, completados em 19 de abril, Roberto Carlos pode até ser radical, mas o fato é que o álbum Louco por você destoa da obra do artista. Com 12 esquecíveis músicas que transitam por gêneros como rock, calipso, bolero e bossa nova, acenando para o mesmo jovem público-alvo do primeiro álbum de Elis Regina, o disco Louco por você foi gravado por Roberto com a orquestra regida pelo trombonista e maestro carioca Astor Silva (1922 – 1968).
O repertório incluiu sete composições (incluindo versões) creditadas a Carlos Imperial (1935 – 1992) – produtor e marqueteiro responsável por lançar Roberto Carlos no mundo do disco em 1959 – e versão em português da balada jazzística Cry me a river (Arthur Hamilton, 1953), intitulada Chore por mim e escrita por Júlio Nabib.
Enfim, nem a brotolândia nem os próprios cantores gostaram dos primeiros já sexagenários álbuns de Elis Regina e Roberto Carlos. Ainda assim, com ou sem reedições oficiais, mesmo que sejam de fato ruins, ambos os discos estão nas histórias dos artistas. E, consequentemente, na história da música popular brasileira.


fonte: Blog Ancelmo Góis - 07.05.2021

Ecad faz levantamento sobre Roberto Carlos
Dody Sirena, empresário de Roberto Carlos, e Alexandre Accioly querem reabrir o antigo Metropolitan, na Barra, em dezembro. O primeiro show seria de… Roberto Carlos. Mas tudo depende da vacina.


fonte: G1 Online - 19.04.2021
Roberto Carlos segue tomando todas as precauções.
Mesmo num dia tão importante para ele, o isolamento continua.

Nesta segunda-feira, 19 de abril, Roberto Carlos completa 80 anos e sua majestade falou com exclusividade ao Jornal Nacional.
Nesta segunda, muitos milhões querem dar os parabéns pelos 80 anos de sua majestade Roberto Carlos. São súditos, que ele trata como amigos: “Que prazer rever vocês”.
Em 19 de abril de 2021, o rei dá de presente aos fãs o exemplo num comunicado divulgado pela equipe do cantor: “Em respeito à grave situação que vivemos, Roberto Carlos não aparecerá na varanda como é de costume em seu aniversário. Ele pede que ninguém vá até a porta de seu apartamento, que, sempre que possível, permaneçam em suas casas em isolamento social, até que seja seguro retornarmos à rotina”.
Roberto Carlos segue tomando todas as precauções. Mesmo num dia tão importante para ele, o isolamento continua. Mas os fãs não vão ficar sem ouvir a voz do rei numa data tão marcante. A gente vai ligar para ele agora.
Roberto Carlos: Olá.
Repórter: Olá, Roberto, parabéns.
Roberto Carlos: Obrigado, querido, obrigado.
Aos 80, o maior sucesso do rei foram duas palavrinhas que ecoaram feito música pelo Brasil: “Vacina, sim”.
“Mesmo depois da primeira vacina, eu continuo mantendo meu distanciamento com muito cuidado, muito cuidado mesmo. E máscara, não abro mão disso. Tenho feito realmente tudo direitinho. Tenho sido um bom aluno. A vacina é muito importante, e tudo aquilo que as autoridades na área da saúde têm recomendado”, afirmou Roberto Carlos.
Aos 80, inteiraço.
“A minha cabeça ainda permanece aos 30, 40 anos por aí. Eu acho que eu sou um cara de 30, 40 com experiência de 80. É assim que eu me vejo”, revelou o rei.
A pandemia adiou vários projetos. O aniversário seria comemorado com um show na terra natal, Cachoeiro de Itapemirim. Essa festa ficou para 2022, junto com uma turnê que inclui México, Estados Unidos e Europa.
“Os planos, principalmente, são voltar aos palcos, voltar aos shows presenciais, que é uma coisa que eu tenho sentido muita falta”, contou Roberto Carlos.
Os planos incluem também as filmagens de um longa-metragem que vai contar a vida dele. É o rei de volta às telas, 50 anos depois de estrelar clássicos do cinema brasileiro.
Repórter: Como tem sido para você viver e respeitar o isolamento? Como está a cabeça, seu corpo, como está a sua alma nesse momento, nesses dias, Roberto?
Roberto Carlos: Você sabe que eu tenho TOC ainda. Não estou totalmente bom do TOC, mas isso já era um costume meu: lavar as mãos muitas vezes por dia. Meu carro, por exemplo, só ando no meu carro, dirigindo. Ninguém entra no meu carro, só eu.
O tempo não é de festa, mas, quando tudo isso passar, não é difícil imaginar quem vai estar no topo da lista de convidados. Na rotina do isolamento, ninguém faz mais falta que o amigo de fé.
“Um encontro com meu irmãozinho querido, Erasmo Carlos, para a gente compor juntos, que agora estou compondo alguma coisa sem ele. Agora compomos juntos, porque agora a gente tem composto também online. Não é a mesma coisa, mas tem ajudado muito”, contou Roberto Carlos.
É muita modéstia para um rei. No dia em que só deveria receber cumprimentos, Roberto Carlos arruma um motivo para pedir desculpas. Vê se pode…
Roberto Carlos: E eu quero pedir desculpas por não ter feito essa entrevista, dado a essa entrevista em vídeo. Por causa desses cuidados todos que eu estou tendo de não deixar ninguém vir aqui, não ter contato próximo com ninguém. Repórter: Não tem do que pedir desculpas, ouvir essa voz mais marcante da música brasileira já nos conforta e nos alegra muito nesse dia. Obrigado.
Roberto Carlos: Obrigado a todos. Obrigado a todos da equipe do Jornal Nacional. Obrigado ao William Bonner, à Renata Vasconcellos. Vocês são maravilhosos! Muito obrigado por tudo.
É aquele dia em que cada fã escolhe a música preferida para comemorar. Mas, e o aniversariante, que música o próprio Roberto canta no dia dos 80 anos?
“Jesus Cristo, Jesus Cristo, Jesus Cristo... Jesus Cristo, eu estou aqui”.


fonte: G1 Online - 19.04.2021
Tudo começou em um show no Rio. O Rei estava no palco,
viu uma conhecida na plateia, pegou a flor que usava na lapela e jogou.
Só que não era uma rosa vermelha nem branca, era um cravo.

É tradição e a plateia espera por esse momento: a distribuição das rosas. Roberto Carlos, que está completando 80 anos nesta segunda-feira (19), faz isso desde 1978 e causa frisson até hoje.
Tudo começou em um show no Rio Janeiro, meio por acaso. Nesse dia, o Rei estava no palco, viu uma conhecida na plateia, pegou a flor que usava na lapela e jogou, como um gesto de carinho. Só que não era uma rosa vermelha nem branca, era um cravo. E o público foi ao delírio.
A maquiadora Neide de Paula, que trabalha com Roberto até hoje, disse que ele deveria repetir o gesto em todos os shows, e ele adorou a ideia. Só que eles acharam que o cravo não era muito firme e ia entortar quando Roberto jogasse para longe. Foi ai que eles trocaram o cravo pela rosa.

Vida longa ao rei: Roberto Carlos completa 80 anos com voz inconfundível


fonte: BBC Brasil - 19.04.2021

Considerado por muitos o rei da música popular brasileira,
Roberto Carlos é tema de tributos em discos, livros e filmes.
Maria Bethânia tinha por volta de 18 anos quando viu Roberto Carlos pela primeira vez na TV. Foi no Programa Jovem Guarda, que o cantor apresentou, ao lado de Erasmo Carlos e Wanderléa, de 22 de agosto de 1965 a 17 de janeiro de 1968, na Record. "Fiquei deslumbrada", recorda a baiana. "Gostei de tudo: da voz, da interpretação, do charme... Fiquei completamente comovida e arrebatada".
Antes de estourar na Record, Roberto participou de Hoje É Dia de Rock, na extinta TV Rio. Foi em uma dessas apresentações que, com 12 anos, o pequeno Luiz Maurício, o Lulu Santos, acompanhado do tio Haroldo, descobriu o que queria fazer da vida: "tocar guitarra na TV", como diria na canção Minha Vida (1986). "Foi a ponta de um proverbial iceberg. Entramos no teatro antes da transmissão e vi músicos ensaiando pela primeira vez. Aquilo mudou minha vida", admite o último romântico.
A memória afetiva de Teresa Cristina consegue ir ainda mais longe. Ela conta que aprendeu a balbuciar as primeiras palavras, quando era pequena, ouvindo a mãe, Dona Hilda, cantarolar as músicas do Roberto Carlos enquanto lavava roupa no tanque. A mãe cantava e a filha imitava. "O álbum de 1972, que tem À Janela e A Montanha, foi uma cartilha. Comecei a falar ali, repetindo os versos do Roberto", recorda a sambista. "Tenho uma relação muito emotiva com esse disco".
Mal sabiam Bethânia, Lulu e Teresa que, décadas depois, gravariam álbuns em homenagem ao ídolo de todas as idades: As Canções Que Você Fez pra Mim (1993), Lulu Canta & Toca Roberto e Erasmo (2013) e Teresa Cristina + Os Outros = Roberto Carlos (2012). Esses são apenas três dos mais de 140 títulos, entre LPs e CDs, que artistas, nacionais e internacionais, já lançaram com músicas do artista.
DE ELVIS A SINATRA
O pioneiro do gênero foi Sônia Mello Interpreta Roberto e Erasmo Carlos, lançado pela gravadora Odeon no distante ano de 1975. De lá para cá, um número incontável de artistas, dos mais diferentes gêneros e estilos, seguiram o exemplo da cantora pernambucana: Nara Leão (1978), Waldick Soriano (1984), Roberto Leal (1999), Padre Marcelo Rossi (2001), Cauby Peixoto (2009), Roberta Miranda (2014) e Nando Reis (2019).
"As canções do Roberto são lindas, falam de amor e têm conteúdo. Por essas e outras, atravessam gerações", tenta explicar Roberta Miranda que, quando adolescente, cansou de sair correndo atrás do carro do ídolo só para vê-lo de perto. "Certa vez, levei empurrão e ralei os joelhos. Naquele dia, até puxão de cabelo, me deram", cai na risada.

Apresentado por Roberto, Erasmo e Wanderléa, o Programa Jovem Guarda, da TV Record,
durou quase três anos, de agosto de 1965 a janeiro de 1968
De todos os tributos, o mais bem-sucedido, comercialmente, foi As Canções Que Você Fez pra Mim (1993). Segundo estimativas extraoficiais, vendeu mais de um milhão de cópias. A ideia, lembra Bethânia, partiu de um dos executivos da Polygram, Max Pierre. Segundo a cantora, Roberto e Erasmo não opinaram sobre os arranjos, nem participaram da seleção das músicas. "Ninguém opina em repertório meu. Se não, eu não sei cantar", garante Bethânia que, à época, morou dois meses em Los Angeles, onde parte do CD foi gravada.
Roberto Frejat nunca gravou um álbum só com músicas do xará. Mas, em compensação, produziu um songbook: Rei (1994), que reuniu grandes nomes do rock nacional, como Skank (É Proibido Fumar), Cássia Eller (Parei na Contramão) e Blitz (Sentado à Beira do Caminho). Com o Barão, ele cantou Quando (1967).
"Sou muito fã da fase mais rock'n'roll dos anos 1960. Mas, qualquer pessoa sensata sabe que o talento dele não acabou ali. Tem grandes canções gravadas nos anos 1970, quando fez a transição de Elvis Presley para Frank Sinatra", analisa o cantor, compositor e guitarrista. O DIVISOR DE ÁGUAS
Autor dos livros Roberto Carlos em Detalhes (2006) e O Réu e o Rei: Minha História com Roberto Carlos, em Detalhes (2014), o jornalista e escritor Paulo César de Araújo divide a carreira do artista em três fases. A primeira vai de 1965 a 1971 e corresponde ao seu auge discográfico.
"São grandes discos. Um melhor que o outro", entusiasma-se. A segunda abrange um período mais longo, de 1972 a 1986. É a consolidação de sua fase romântica. "Cai o número de grandes canções por álbum. Roberto já não tem o pique criativo de antes", detecta. E a terceira e última fase: de 1987 até os dias atuais. "Não há nenhum grande disco, mas ainda temos grandes canções, como Nossa Senhora (1993) e Esse Cara Sou Eu (2012)", exemplifica. O primeiro álbum, com João e Maria de um lado e Fora do Tom do outro, foi lançado em 1959, pela Polydor. Antes disso, porém, Roberto ouviu "não" de pelo menos quatro gravadoras: Chantecler, RCA, Philips e Odeon. Desde então, lançou mais de 62 álbuns nacionais e 40 internacionais, que venderam, segundo estimativas, algo em torno de 120 milhões de cópias.
Desses, o mais importante, na opinião de Paulo César, é Jovem Guarda (1965), que traz o megahit Quero Que Vá Tudo Pro Inferno. "Foi o disco que definiu a sonoridade pop moderna brasileira dos anos 1960", sintetiza o pesquisador. "Historicamente, é o disco mais importante da carreira do Roberto. Daquele disco em diante, todo mundo passou a copiá-lo".

Roberto Carlos com Papa João Paulo 2º: além de canções românticas e ecológicas,
Roberto escreveu canções religiosas, como Jesus Cristo (1970),
A Montanha (1972) e Luz Divina (1991)
Para o jornalista e escritor Nelson Motta, o álbum mais relevante, musicalmente falando, é o de 1969. "Com Não Vou Ficar, Sua Estupidez e As Curvas da Estrada de Santos, marcou sua passagem de ídolo juvenil para adulto", destaca o compositor que teve uma de suas canções, Como Uma Onda (1983), em parceria com Lulu Santos, cantada por Roberto no especial da TV Globo, de 2013.
Tárik de Souza pensa diferente. Na opinião do jornalista e crítico musical, o mais importante é o álbum de 1971. É o que traz a autoral Detalhes, a psicanalítica Traumas, a rebelde Todos Estão Surdos, a romântica Amada Amante... E, ainda, Como Dois e Dois, de Caetano Veloso, e Debaixo dos Caracóis dos Seus Cabelos, que Roberto compôs para o baiano em seu exílio político, em Londres.
"Junto com o parceiro Erasmo, Roberto moldou um pop brasileiro de largo espectro, utilizando elementos da MPB, rock e balada. Tudo coroado pelo excelente desempenho como cantor, de estilo cevado na melhor escola modernista, a de João Gilberto", diz.
AMIGOS DE FÉ
A parceria com Erasmo começou em 1963, com Parei na Contramão, que abre o álbum Splish Splash. Roberto escreveu um trecho da letra durante seu expediente como datilógrafo do Ministério da Fazenda. Segundo levantamento do ECAD, Roberto Carlos tem 676 músicas cadastradas - a imensa maioria em parceria com o "Tremendão".
A letra de Imoral, Ilegal ou Engorda (1976), por exemplo, foi composta ao telefone: Roberto em Los Angeles e Erasmo no Rio. Mas, alguns de seus clássicos são solos, como Namoradinha de Um Amigo Meu (1966), Como É Grande o Meu Amor Por Você (1967) - composta para a primeira mulher, Cleonice Rossi, a Nice - e Por Isso Corro Demais (1967). Suas favoritas são Detalhes (1971) e Eu Te Amo Tanto (1998) - homenagem a Maria Rita Simões, sua terceira esposa - e a mais regravada, Emoções (1981), com 92 versões. Para Erasmo, "o mais certo das horas incertas", compôs Amigo (1977).

Roberto tem 676 músicas cadastradas no ECAD - a imensa maioria em parceria com Erasmo Carlos.
A mais regravada é Emoções (1981)
"Roberto Carlos foi muito sagaz ao perceber que a Jovem Guarda era um movimento passageiro. Quando sentiu que aquele modismo estava prestes a se extinguir, migrou para a fase romântica. Talvez, se tivesse insistido mais na fase rock'n'roll, não tivesse se perpetuado como cantor romântico", analisa o jornalista e historiador Ricardo Cravo Albin. Além de músicas que tocam o coração, Roberto passou a escrever também canções de apelo ecológico, como O Progresso (1976), As Baleias (1981) e Amazônia (1989), e de cunho religioso, como Jesus Cristo (1970), A Montanha (1972) e Luz Divina (1991).
Uma das amizades mais longevas da vida de Roberto é com a cantora Wanderléa, a "Ternurinha". Os dois se conheceram em 1963. Juntos, apresentaram o Programa Jovem Guarda na Record, dividiram os microfones em diversos especiais de fim de ano da Globo e chegaram a contracenar em Roberto Carlos e o Diamante Cor de Rosa (1970), o segundo de uma trilogia iniciada com Roberto Carlos em Ritmo de Aventura (1968) e concluída com Roberto Carlos a 300 Quilômetros por Hora (1971), todos de Roberto Farias (1932-2018). "Deus foi muito gentil ao colocar do meu lado um amigo tão especial. Tenho pelo Roberto um amor imenso que só faz aumentar ao longo da jornada. Parece fermento de pão", brinca a cantora.

Desde 1959, quando gravou um compacto siples de 78 rotações,
Roberto já lançou mais de 62 álbuns nacionais e 40 internacionais,
que venderam em torno de 120 milhões de cópias
Outro amigo de longa data é o maestro Eduardo Lages. No comecinho dos anos 1970, Roberto e Erasmo foram convidados para compor a trilha-sonora da novela O Bofe (1972), de Bráulio Pedroso. Foi na TV Globo que Roberto conheceu e fez amizade com Eduardo, que trabalhava como produtor musical dos programas Globo de Ouro e Fantástico - O Show da Vida.
A parceria teve início em 1978 e dura até hoje. Em 43 anos de estrada, Eduardo calcula já ter regido a orquestra RC em mais de três mil apresentações, no Brasil e no exterior. "Já aconteceu de tudo que você puder imaginar. Até cair do palco, no México, eu caí. Sorte que estava na hora da distribuição das rosas e caí nos braços da mulherada", diverte-se o maestro. "O clima nos bastidores é muito descontraído. Estamos sempre contando piadas e fazendo graça uns com os outros".
OS "REIS" DA MPB
Roberto Carlos ganhou o cetro e a coroa de "Rei" ainda na Jovem Guarda. Apesar de reconhecer seus méritos, Ricardo Cravo Albin pondera que a MPB tem apenas dois "reis": Alfredo da Rocha Vianna Filho, o Pixinguinha (1897-1973), e Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim, o Tom Jobim (1927-1994). A essa lista, Paulo César de Araújo acrescenta mais dois: Francisco Alves (1898-1952), o "rei" da voz, e Luiz Gonzaga (1912-1989), o "rei" do baião.

A vida de Roberto será contada no cinema.
O filme terá roteiro de Patrícia Andrade, direção de Breno Silveira
e supervisão artística de Nelson MOtta e Glória Perez
"O Roberto conseguiu algo que nenhum outro artista conseguiu: abolir as lutas de classes. Todo mundo, do rico ao pobre, do letrado ao analfabeto, se casa ao som de suas músicas", brinca o pesquisador que se prepara para lançar seu terceiro livro dedicado ao cantor, Roberto Carlos: Outra Vez. A obra, adianta Paulo César, será dividida em dois volumes de mais de 500 páginas cada: o primeiro traz 50 músicas comentadas, de 1941 a 1970, e o segundo, mais 50, de 1971 a 2021.
Em 2007, Roberto Carlos entrou na Justiça e, alegando invasão de privacidade, solicitou a retirada de circulação de Roberto Carlos em Detalhes (2006), do mesmo autor. O caso foi encerrado depois de um acordo judicial firmado entre o artista, o biógrafo e a Editora Planeta, responsável pela publicação. À época, 11,7 mil exemplares foram recolhidos das livrarias. Em 2015, o Supremo Tribunal Federal (STF) liberou, por unanimidade, a publicação de biografias sem autorização prévia do biografado ou de seus herdeiros.
ESTRADA REVISITADA
Roberto Carlos: Outra Vez não será o único livro a comemorar os 80 anos de Roberto Carlos. Os outros dois são Roberto Carlos: Por Isso Essa Voz Tamanha, do jornalista Jotabê Medeiros, e Querem Acabar Comigo - Da Jovem Guarda ao Trono, a Trajetória de Roberto Carlos na Visão da Crítica Musical, do pesquisador Tito Guedes.

Entre outros compromissos, agenda de 2022 prevê show em Cachoeiro de Itapemirim,
terra natal de Roberto, e três turnês internacionais: México, EUA e Europa
Autor de Belchior: Apenas Um Rapaz Latino-Americano (2017) e Raul Seixas: Não Diga Que a Canção Está Perdida (2019), Jotabê cobre a carreira de Roberto desde 1986. Foi mais ou menos nesta época que surgiu a ideia de, um dia, contar a história do cantor, desde sua infância em Cachoeiro de Itapemirim (ES), cidade a 134 quilômetros do sul de Vitória, até os dias de hoje, no Rio de Janeiro (RJ).
"Procurei fazer uma biografia que respeitasse os limites dos direitos legais de todo cidadão, sem abordagens apelativas da intimidade do artista", explica Jotabê que entrevistou 40 pessoas - muitas sob a condição de anonimato para evitar rusgas com o biografado - e levou um ano e meio para concluir o calhamaço de 512 páginas.
Já o pesquisador Tito Guedes, do Instituto Memória Musical Brasileira (IMMuB), procurou analisar a trajetória do cantor pelo viés da crítica musical. Para tanto, analisou uma centena de textos de críticos famosos, como Sérgio Cabral, Zuza Homem de Mello e Antônio Carlos Miguel, de março de 1965 a abril de 2017. Ao longo de 52 anos, a obra do cantor já foi rotulada de "brega", "repetitiva", "alienada", "oportunista" e "decadente".
"O discurso da crítica em torno do Roberto sempre oscilou. Ora, o tratavam como um cantor sem valor algum. Ora, como o rei da música brasileira. Nos anos 1990, os críticos reavaliaram os álbuns lançados entre 1965-1969 e trataram como 'clássicos' discos que, na época do lançamento, foram veementemente rechaçados", dá um exemplo.

Roberto e Wanderléa são amigos desde 1963. "Deus foi muito gentil ao colocar do meu lado
um amigo tão especial", derrama-se a cantora
O mais esperado projeto sobre Roberto Carlos, porém, ainda não tem previsão de lançamento. "O filme só foi interrompido por causa da pandemia, mas já estamos com o roteiro pronto", avisa o empresário Dody Sirena, que trabalha com Roberto desde 1992. Tanto a direção quanto o roteiro serão da mesma dupla de 2 Filhos de Francisco (2005) e Gonzaga - De Pai Pra Filho (2012): o cineasta Breno Silveira e a roteirista Patrícia Andrade.
A supervisão artística será de Nelson Motta e Glória Perez. Quando indagado sobre o que diferencia Roberto de outros astros de sua geração, como Chico, Gil e Caetano, Nelson Motta aponta: "A popularidade e o alcance demográfico, geracional e emocional, e a excelência como cantor".
Para escrever o roteiro do longa, Patrícia consultou revistas e jornais da época e teve algumas reuniões com Roberto, que relembrou os momentos mais marcantes de sua vida. "O mais revelador foi o período da infância até a pré-adolescência, quando ele andava com a ajuda de uma muleta, fazendo shows em caravanas e apresentando programas de rádio", adianta.
Filho da costureira Laura e do relojoeiro Robertino, devidamente homenageados em Lady Laura (1978) e Meu Querido, Meu Velho, Meu Amigo (1979), o caçula de quatro irmãos sofreu um acidente na linha do trem no dia 29 de junho de 1947, durante os festejos de São Pedro, o padroeiro da cidade. Aos seis anos, o pequeno Zunga, seu apelido de infância, teve parte de sua perna direita amputada.
O roteiro, que começa em 1941 e vai até os anos 1970, já está em sua quarta versão. Nada demais, tranquiliza Patrícia. O de Gonzaga - De Pai Pra Filho, a título de comparação, teve seis. "No caso do Roberto, ele não vetou nada. Apenas esclareceu fatos e sugeriu ideias".
SÚDITOS FIÉIS
O filme ainda não tem título definido, elenco escalado ou previsão de estreia, mas já tem dois espectadores garantidos: Vera Marchisiello e Carlos Evanney. Vera é a coordenadora do Grupo Um Milhão de Amigos (GUMARC) e Carlos, o "cover" oficial de Roberto Carlos, desde 2000.
O grupo Um Milhão de Amigos, fundado em 1991, tem hoje 20 mil fãs cadastrados e o maior acervo do Brasil. São LPs, CDs, VHS, DVDs, revistas, fotos, pôsteres... Entre os itens mais raros, Vera cita a fotonovela Assim Quis o Destino, da revista Sétimo Céu, de 1959; o álbum Louco Por Você, fora de catálogo, de 1961; e até um álbum de figurinhas, Ídolos da TV, dos anos 1960.
"A maior extravagância que cometi foi 'capturar' um fio de cabelo do Roberto que estava solto sobre a camisa dele. Guardo até hoje em um estojo transparente lacrado", orgulha-se Vera, que já perdeu a conta de a quantos shows do Rei já assistiu - muitos deles em outros estados, como Minas, São Paulo e Paraná.
Quem também guarda uma "lembrança pessoal" do ídolo é Carlos Evanney. Todos os anos, Carlos costuma ir, sempre no dia 19 de abril, ao prédio onde o cantor mora, no bairro da Urca, Zona Sul do Rio, para lhe dar os parabéns. Em 2003, Roberto resolveu descer até a garagem para cumprimentar os fãs. Uma admiradora de São Paulo trouxe um bolo, que o aniversariante repartiu entre os "convidados". Um dos pedaços foi cuidadosamente embrulhado em um guardanapo de papel e entregue a Carlos.
"Bicho, guardei o bolo até hoje, acredita? Não tive coragem de comer! Quando começou a dar bichinho, desidratei a fatia e mandei envernizar", esclarece o cantor baiano que, antes da pandemia, fazia uma média de quatro shows por mês em bares, boates e churrascarias. "Vou aos lugares que o Roberto, hoje em dia, não pode ir mais. O público sente como se estivesse assistindo a um show dele. Na hora das rosas, então, a confusão é igual! Agradeço a Deus todos os dias por Ele ter me feito parecido com o Rei", acredita.
PÉ NA TÁBUA
Para tristeza de Evanney, Roberto Carlos já avisou que, para evitar aglomeração, não pretende aparecer na janela de casa para saudar a multidão na calçada. "A Globo fez vários convites para o Roberto participar da programação. Mas, neste momento, ele não se sente seguro para sair de casa", explica Dody.
Para 2022, Roberto já tem três turnês agendadas: uma para o México, em fevereiro; outra pelos EUA, em abril; e uma terceira pela Europa, prevista para julho. Além disso, há o Projeto Emoções em Alto Mar, em março, e o Projeto Emoções na Praia do Forte, na Bahia, na semana do Dia dos Namorados, em junho. A agenda inclui, ainda, um show em sua cidade natal, Cachoeiro de Itapemirim.
"Embora não venda nem toque mais tanto quanto antes, Roberto continua a ser o cachê mais caro do mercado. Seus shows, aqui e lá fora, estão sempre lotados. Em 1965, quando lançou Quero Que Tudo Vá Para o Inferno, Roberto chegou ao topo e, desde então, não saiu mais de lá", afirma Paulo César de Araújo.


fonte: Blog Mauro Ferreira - 19.04.2021
Maria Bethânia, Teresa Cristina, Lulu Santos, Nara Leão,
Nando Reis, Leny Andrade, Cauby Peixoto e Angela Maria
figuram na relação de artistas que já dedicaram discos às canções do compositor.

Capa do álbum 'Louco por você', de Roberto Carlos
Maria Bethânia, Teresa Cristina, Lulu Santos, Nara Leão, Nando Reis, Leny Andrade, Cauby Peixoto e Angela Maria figuram na relação de artistas que já dedicaram discos às canções do compositor.
? MEMÓRIA – Aos 80 anos, dono de obra monumental que já contabiliza mais de 600 composições, Roberto Carlos tem esse grande repertório autoral tão entranhado na memória afetiva do Brasil que, volta e meia, algum nome estelar da música brasileira grava disco com as canções que Roberto fez para ele mesmo, mas que se ajustam a outras vozes.
O primeiro tributo fonográfico foi lançado pela cantora Sônia Mello em 1975 (a artista gravaria outro, De coração para coração, em 1987). O disco Sônia Mello interpreta Roberto Carlos e Erasmo Carlos saiu dez anos após a consagração do cantor com a Jovem Guarda e o rock Quero que vá tudo pro inferno (1965).
Aliás, essa composição definidora na trajetória de Roberto inspirou o título do primeiro relevante álbum dedicado ao cancioneiro autoral de Roberto, ... E que tudo mais vá pro inferno (1978), disco de ousadias estilísticas que reafirmou a personalidade singular da cantora Nara Leão (1942 – 1989) e que causou certa controvérsia no elitizado clube da MPB onde Roberto nunca foi totalmente aceito, em que pesem conexões de vozes como as de Gal Costa e Elis Regina (1945 – 1982) com a obra do artista.
No ano seguinte ao tributo de Nara, o tecladista Lafayette Coelho (1943 – 2021) – cujo órgão é marcante na assinatura musical da Jovem Guarda – regravou o repertório do álbum lançado por Roberto em 1978. Lafayette interpreta Roberto Carlos (1979) foi o primeiro disco de série. Em 1984, o cantor Waldick Soriano (1933 – 2008) potencializou o caráter sentimental da obra do compositor no álbum Waldick Soriano interpreta Roberto Carlos.
Na década seguinte, Maria Bethânia voltou às paradas ao enfatizar a carga dramática do repertório romântico de Roberto no majestoso álbum As canções que você fez pra mim (1993), produzido por Guto Graça Mello.
Cinco anos depois do disco de Bethânia, Agnaldo Timóteo (1936 – 2021) deu o tom habitualmente intenso a esse repertório no álbum Agnaldo Timóteo canta Roberto Carlos – Em nome do amor (1998).
No ano seguinte, foi a vez do cantor português Roberto Leal (1951 – 2019) enfatizar afinidades entre Brasil e Portugal no álbum Roberto Leal canta Roberto Carlos (1999).
Em 2000, dois tributos instrumentais – Arthur Moreira Lima interpreta Roberto Carlos (do pianista) e Do Ray para o Rei, disco do band-leader norte-americano Ray Conniff (1916 – 2002) – mostraram a força melódica do cancioneiro de Roberto resiste sem as letras.
Em 2001, padre Marcelo Rossi louvou a parcela religiosa desse cancioneiro no álbum Paz – As canções de fé de Roberto Carlos e Erasmo Carlos.
Em 2005, o pianista Eduardo Lages – maestro de Roberto – lançou o disco Emoções, ao qual se seguiu quatro anos depois o álbum Nossas canções, editado no mesmo ano de 2009 em que Cauby Peixoto (1931 – 2016) imprimiu a singular marca vocal no cancioneiro do Rei, abordado no álbum Cauby interpreta Roberto.
Três anos depois, a cantora Teresa Cristina – então associada primordialmente ao samba – se juntou ao grupo indie carioca Os Outros para cantar o Rei com frescor no álbum Teresa Cristina + Os Outros = Roberto Carlos (2012), produzido por Guto Graça Mello.
No ano seguinte, Lulu Santos enfatizou a matriz do R&B no repertório do compositor no álbum Lulu canta & toca Roberto e Erasmo, lançado no mesmo ano de 2013 em que Leny Andrade lançou As canções do Rei, disco em que interpretou standards de Roberto em espanhol.
Em 2014, foi a vez de Roberta Miranda lançar Roberta canta Roberto. Em 2017, Angela Maria (1929 – 2018) reafirmou o porte de rainha no álbum Angela Maria e as canções de Roberto & Erasmo.
Por fim, em 2019, Nando Reis expôs afinidades com o compositor em Não sou nenhum Roberto, mas às vezes chego perto. Tantos tributos fonográficos vindos de tantos artistas de gerações e universos distintos – sem falar nos discos feitos por artistas como Célia (1947 – 2017), Paulo Ricardo e Sérgio Reis com músicas gravadas pelo cantor, mas não compostas por ele – corroboram a presença do cancioneiro de Roberto Carlos na memória afetiva do Brasil.


fonte: Blog Mauro Ferreira - 19.04.2021
Disco é renegado pelo artista e, por nunca ter sido relançado oficialmente, é comercializado a peso de ouro.

Capa do álbum 'Louco por você', de Roberto Carlos
? MEMÓRIA – Roberto Carlos faz 80 anos nesta segunda-feira, 19 de abril de 2021. Já o primeiro álbum do cantor, Louco por você, lançado em 1961, completa 60 anos sem jamais ter sido anistiado pelo artista.
Renegado por Roberto, que vetou a inclusão de Louco por você na caixa com edições em CD dos álbuns dos anos 1960 e solicitou em 2012 a retirada da edição digital comercializada pelo iTunes, o álbum nunca foi relançado oficialmente. Encontra-se disponível somente em bootlegs.
Já as cópias restantes da tiragem original de 1961 – estimada em meros mil exemplares – sempre foram comercializadas a peso de ouro. Pela importância documental, é um dos discos mais caros do mercado fonográfico brasileiro.
Editado pela gravadora Columbia com capa que estampou a mesma foto exposta na capa de disco lançado há então 15 anos pelo organista norte-americano Ken Griffin (1909 – 1956), To each his own (1946), o álbum Louco por você de fato destoa da discografia autoral iniciada por Roberto em 1963.
Trata-se de disco esquizofrênico, com repertório que atira para todos os lados, ecoando o Roberto imitador da bossa de João Gilberto (1931 – 2019) – estratégia tentada pelo cantor iniciante em 1959, ano em que gravou o primeiro single – entre bolero, rock e calipso. Um coquetel pretensamente juvenil que passou despercebido, mantendo o cantor no anonimato.
Com 12 músicas, o disco foi gravado por Roberto com a orquestra regida pelo trombonista e maestro carioca Astor Silva (1922 – 1968). O repertório incluiu composições creditadas a Carlos Imperial (1935 – 1992) – produtor e marqueteiro responsável por lançar Roberto Carlos no mundo da música – e versão em português da balada jazzística Cry me a river (Arthur Hamilton, 1953), intitulada Chore por mim e escrita por Júlio Nabib.
Em essência, Louco por você é mesmo álbum indigno de figurar na discografia de Roberto Carlos, embora faça parte da história do artista. Em 2021, aos 60 anos, Louco por você soa tão irrelevante como em 1961.


fonte: Blog Mauro Ferreira - 19.04.2021
OBRA DE ROBERTO CARLOS SINTETIZA A ALMA DE UM BRASIL
CONSERVADOR, SENTIMENTAL E CONTRADITÓRIO

? ANÁLISE – Roberto Carlos chega hoje aos 80 anos com obra indestrutível na memória musical brasileira. Poucos compositores no Brasil e no mundo são donos de cancioneiro do qual se pode tirar – sem esforço – 80 músicas cantaroláveis pelo público. No caso de Roberto, um público que viveu nos anos 1960, 1970 e 1980 – décadas em que os lançamentos dos álbuns anuais do cantor mobilizavam a audiência nacional.
Antes da pandemia, os shows feitos em ginásios lotados pelo Brasil e em vários países atestaram que, mesmo sem a evidência obtida nos áureos tempos, o artista continua popular e segue conectado com o público que lhe permanece fiel. Um feito, já que poucos cantores atravessam seis décadas de carreira em plena atividade, sob os holofotes, com casas cheias.
Se a tradição de lançamentos de álbuns anuais com repertório inédito foi encerrada em 1997, a agenda de shows continuou movimentada até a paralisação do universo pop mediante a proibição de espetáculos com público presencial. Para muitos, Roberto Carlos ainda é o Rei. Como então explicar o que soa inexplicável à luz da razão? Em ensaio de 1979, o compositor José Miguel Wisnik já acusou o despreparo da crítica musical para analisar Roberto Carlos. A sentença fazia sentido naquela época, em que, mesmo enfileirando sucessos nas paradas, ou talvez por isso mesmo, Roberto Carlos tinha a obra minimizada pelas elites culturais, nichos dos críticos. Talvez ainda faça sentido hoje, 19 de abril de 2021, dia do 80º aniversário do artista de origem capixaba e dimensão internacional.

Roberto Carlos, em foto de 1961, ano do renegado primeiro álbum, 'Louco por você'
É difícil falar de Roberto Carlos sem falar dos vícios e virtudes do Brasil. Porque, se é possível explicar Roberto Carlos, talvez seja pela análise da obra, síntese da alma de um Brasil tão conservador quanto sentimental. Um Brasil tão moralista quanto impregnado de sensualidade. Um Brasil de fé professada em cultos de diversos credos, mas oficialmente católico. Um Brasil em tese liberal que pode se posicionar a favor de retrocessos. Um Brasil contraditório. As canções de Roberto tocam o coração do povo – e aí talvez resida parte do desprezo destinado a essas canções pelas elites culturais de um Brasil rachado pelo apartheid social. Com alta dose de preconceito social, houve quem tenha chegado a caracterizar, ao discorrer sobre disco dos anos 1970, o público consumidor da música de Roberto Carlos como “Zé ninguém”.
Em um Brasil que nega cotidianamente a chance de todo mundo ser alguém, um grande cantor popular como Roberto Carlos talvez represente uma ameaça às soberanias das elites culturais. Porque ele está aí, firme e forte, entronizado na preferência popular do brasileiro que o acompanhou na segunda metade do século XX.
Nos anos 1960, Roberto Carlos simbolizou a rebeldia juvenil propagada por rocks de motores alavancados por automóveis possantes, dirigidos na alta velocidade das paixões primaveris. No reino do iê-iê-iê, Roberto comandou de agosto de 1965 a janeiro de 1968 a Jovem Guarda, movimento pop pretensamente contestador, mas desde o início encampado pelo sistema.
O então Rei da juventude ajudou a mudar o comportamento de jovens tachados de “alienados” por ouvirem rock e a música pop exportada para o Brasil pelo mundo então dominado pelos Beatles.
Mesmo no reinado da rebeldia juvenil, os códigos da moralidade jamais foram aviltados por Roberto, encarnação do bom moço de olhar invariavelmente triste estampado nas capas dos discos. Sem a fama de mau alimentada por Erasmo Carlos, parceiro na composição da maior parte da grande obra, Roberto personificava o amante apaixonado que, sensível, sofria por amor.
Finda a Jovem Guarda, Roberto orquestrou transição inteligente para o mundo adulto. A partir de 1969, o cantor flertou com o soul e o funk em momentos inspirados da discografia, mas, acima de tudo, investiu nas baladas românticas, tônica da discografia dos anos 1970.
Nesta década, o romantismo do repertório de Roberto Carlos ficou progressivamente mais sensual – mas sem jamais afrontar a moral e bons costumes defendidos pelos súditos, conservadores como o Rei que idolatram com inabalável fervor – e passou a conviver com manifestações da fé católica, com canções em defesas do meio ambiente e com algumas incursões pelo repertório de compositores associados a MPB, sobretudo do simpatizante Caetano Veloso.
Sim, os discos de Roberto pareceram seguir uma fórmula a partir de 1971 – ano do álbum definidor da imagem adulta do artista – mas nem por isso deixaram de apresentar grandes canções. Apontar decadência nessa fase da obra do cantor é a maior injustiça praticada contra a obra fonográfica de Roberto na década de 1970.
Até 1982, era fácil identificar algumas boas músicas em cada álbum do artista. Não raro, havia uma ou duas grandes canções. O declínio na composição desse cancioneiro ficou evidente somente a partir da segunda metade dos anos 1980 e foi amplificado nos irregulares álbuns da década seguinte. Ainda assim, sempre houve, aqui e ali, lampejos da inspiração singular de outrora.

Roberto Carlos tem carreira pautada pela extrema coerência no trato de temas como amor, sexo e religião
Sem se abalar com os ataques, justos ou injustos, Roberto Carlos seguiu impávido pela estrada que pavimentou com extrema coerência ao tratar de temas como amor, sexo e religião. O conservadorismo tão denunciado pelos detratores talvez tenha sido o combustível que impediu o cantor de perder a direção nessa estrada.
Mesmo tendo perdido a conexão com as gerações do Brasil do século XXI, Roberto Carlos é a voz de um Brasil que se acomoda no berço das tradições. Voz excepcional, diga-se, pois, não fosse o grande compositor que é, Roberto Carlos poderia ter se firmado somente como cantor de afinação e emissão exemplares.
E o fato é que qualquer (tentativa de) explicação soa pequena diante da grandeza da obra de Roberto Carlos. Talvez esse cancioneiro dialogue com o inconsciente coletivo do Brasil, talvez a força resida tão somente no poder aliciante de melodias letradas com versos entendidos por gente de todas as classes sociais.
Seja como for, a obra de Roberto Carlos está para sempre entranhada na memória e na história do Brasil.


fonte: G1 Online - 19.04.2021
Três livros chegam ao mercado neste ano em que o cantor completa 80 anos.
Construção da imagem de ídolo desde a Jovem Guarda
e olhar da imprensa sobre a carreira são analisados.

Um dos maiores nomes da música brasileira completa 80 anos nesta segunda (19) e o que não falta são celebrações para comemorar a vida de Roberto Carlos.
Três novos livros chegam ao mercado neste ano para contar a história do Rei de forma biográfica ou através de análises da crítica musical sobre sua carreira.
• "Roberto Carlos - Por isso essa voz tamanha", de Jotabê Medeiros
• "Querem acabar comigo – Da Jovem Guarda ao trono, a trajetória de Roberto Carlos na visão da crítica musical", de Tito Guedes
• "Roberto Carlos Outra Vez", de Paulo César Araújo
Roberto Carlos 80 anos: vida e carreira do cantor é analisada em novos livros; forma como a crítica musical destacou o Rei também é destaque
Seguindo o Rei por 35 anos
A vida do Rei em pequenas histórias. É assim que Jotabê Medeiros mostra a trajetória do cantor de "Força Estranha" no livro "Roberto Carlos - Por isso essa voz tamanha", lançado pela editora Todavia em livrarias e lojas virtuais. O jornalista cobre a carreira de Roberto desde 1986 e participou de momentos importantes como o show em Jerusalém e o aniversário de 50 anos em Cachoeiro do Itapemirim.
"Não dá para criar um novo acidente fatal na vida dele, as coisas são mais ou menos conhecidas. Mas é evidente que, conforme você vai pesquisando, as histórias vão surgindo."

Um exemplo são as negativas e dificuldades no começo da carreira.
"A gente acha que o Roberto nasceu virado para a lua, mas tem uma série de acontecimentos nessa fase da carreira de recusas, de percalços, de perrengues que a gente não conhece".
"Procurei dar um pouco de ênfase nessas pequenas histórias, digamos assim, que ajudam a compreender a construção do mito", explica Jotabê.
O jornalista também destaca um pedido que Roberto fez a Caetano em "Força Estranha".
"Roberto gostou demais da música, mas teve um bloqueio em relação à expressão quando a música diz 'Por isso essa força estranha'. Ele achava isso de um misticismo meio sombrio. Que força estranha?", recorda.
"Ele pediu para o Caetano para colocar uma coisinha, uma intervenção na música. Ficou 'Por isso essa força estranha no ar', depois da intervenção dele. Acho que poucas pessoas sabem disso."
São 512 páginas que dão conta da infância no Espírito Santo até as lives que Roberto fez durante a pandemia.

Semana Pop relembra parcerias improváveis de Roberto Carlos
Oportunista, mestre, ultrapassado, rei...
De oportunista a mestre: esses foram alguns dos adjetivos usados para descrever Roberto Carlos na crítica musical desde os anos 60.
Quem percebeu como os jornalistas foram contraditórios, às vezes no mesmo texto, ao descrever Roberto Carlos, foi Tito Guedes no livro "Querem acabar comigo - Da Jovem Guarda ao trono, a trajetória de Roberto Carlos na visão da crítica musical".
Ao longo de 144 páginas, o pesquisador analisa desde o começo na Jovem Guarda, no qual Roberto e os outros cantores tinham total desprezo por parte da crítica especializada.
Guedes destaca que o começo da mudança na análise em relação a Roberto acontece na virada dos anos 60 e 70, quando artistas e intelectuais respeitados, como Augusto de Campos, Caetano Veloso e Elis Regina, passaram a considerá-lo importante e defendê-lo publicamente.
"Ele se aproxima dos artistas da MPB, estreia um show no Canecão dirigido pelo Luiz Carlos Miele e pelo Ronaldo Bôscoli, só que, ao mesmo tempo, começa a fazer música romântica, e isso acaba fazendo com que ele fique associado à música brega", diz Guedes.
"O Roberto passa a ocupar esse valor de prestígio, de destaque como outros da Jovem Guarda não tiveram, mas não é da mesma forma que um Chico Buarque, Tom Jobim e Elis Regina", explica.
Para o pesquisador, é intrigante como Roberto mantém uma carreira constante há mais de 60 anos.
"Ele é um artista muito singular, único na história do Brasil. Ele é o rei de sucesso popular, de penetração no imaginário coletivo da década de 60 até hoje", defende.
"Roberto tem uma coisa que nunca passou por um período de ostracismo assim, isso é muito difícil. Pode ter um período com menos sucesso na rádio, mas de esquecimento como a gente viu de vários artistas passarem, ele nunca teve", conclui.
História através das músicas
Paulo César de Araújo tem uma longa história com Roberto Carlos, desde o lançamento do livro "Roberto Carlos em detalhes" em 2006.
A biografia foi retirada de circulação um ano depois, após um acordo entre o cantor e a editora Planeta, e motivou uma discussão nacional sobre autorização prévia para livros biográficos.
O jornalista também escreveu "O réu e o rei", em 2014, e, agora, prepara o terceiro livro sobre o cantor: "Roberto Carlos outra vez".
Depois de contar a história de forma linear, Paulo César escolheu destacar as canções para contar os bastidores e como elas são biográficas em relação à vida de Roberto.
O livro será dividido em dois volumes. O primeiro compreende o período de 1941 e 1970 e está previsto para chegar às lojas entre julho e agosto.
Já o segundo, deve ficar disponível no primeiro semestre de 2022, segundo a editora Record.
“Roberto Carlos - Por isso essa voz tamanha”
• Quando: 19 de abril
• Preço: R$ 84,90 (edição impressa)
• Autor: Jotabê Medeiros
• Editora: Todavia
“Querem acabar Comigo - Da Jovem Guarda ao Trono, a trajetória de Roberto Carlos na visão da crítica musical”
• Quando: Já disponível
• Preço: R$ 42
• Autor: Tito Guedes
• Editora: Máquina de Livros
“Roberto Carlos Outra Vez” - Volume 1
• Quando: Pré-venda em abril; Previsão de chegada em julho ou agosto
• Autor: Paulo César de Araújo
• Preço: Não divulgado
• Editora: Record


fonte: Gaúcha ZH Online - 15.04.2021
80 ANOS DO REI: COMO ROBERTO CARLOS REVOLUCIONOU A MÚSICA BRASILEIRA
Cantor tem trajetória marcada por inovações no cenário pop do país
e legado para várias gerações de todas as classes sociais

Roberto Carlos em show na Arena do Grêmio, em 2018
Roberto Carlos completará 80 anos na próxima segunda-feira (19). Não é chamado de Rei por acaso: é o cantor brasileiro mais popular de todos os tempos. Talvez haja quem só lembre dele como uma caricatura, aquele artista de mullets que veste terno branco ou azul e fala “são tantas emoções”, geralmente no especial da TV Globo de final de ano. Mas não tem como fugir: dos anos 1960 para cá, é impossível passar ileso por Roberto no Brasil.
Seu especial virou uma tradição no final de ano da família brasileira, tal qual o panetone e o peru no Natal. “Roberto continua lindo”, comenta alguém na reunião de família. “Chorando de novo com Outra Vez, tia?”, surpreende-se um sobrinho. “Você já viu ele de bermuda?”, questiona o parente que faz a piada do pavê. É difícil viver no Brasil e desconhecer músicas como Detalhes, Amigo, Como É Grande o Meu Amor por Você, Emoções, entre tantas outras — são mais de 600. De tão impregnado no cotidiano do país, talvez haja quem se esqueça o que ele fez para ser considerado majestade, mas é sempre bom ressaltar: Roberto Carlos foi revolução.
Nascido em Cachoeiro do Itapemirim (ES), começou a se apresentar ainda criança na rádio local, cantando boleros ou sambas-canções. Chegou a ter aulas de piano e violino no conservatório da cidade antes de mudar-se para Niterói (RJ), em 1956. No subúrbio carioca, aproximou-se do rock e integrou a banda The Sputiniks, que contava também com Tim Maia (1942-1998). Foi nessa época que conheceu Erasmo Carlos, maior e mais prolífico na composição.
Mas, ao ouvir João Gilberto no final dos anos 1950, o jovem artista ficou deslumbrado, voltando seu repertório para a bossa nova. O primeiro disco, Louco por Você (1961), transitava entre bolero e bossa, arranhando algo de rock. Contudo, o talento aflorou de vez ao assumir a verve roqueira. Sem sucesso com o álbum de estreia, Roberto Carlos estava com os dias contados na gravadora CBS. Porém, a saída de Sérgio Murillo do selo abriu espaço para um novo ídolo jovem. Com músicas como Marcianita, Estúpido Cupido e Broto Legal, Murilo era o rei do rock brasileiro até então. Mas se desentendeu com executivos da empresa, indo para a geladeira. Roberto foi a nova aposta roqueira do gerente-geral da CBS, Evandro Ribeiro. E, com Splish Splash (1963), que além da faixa-título traz Parei na Contramão, começou a vislumbrar a popularidade. A partir dali, a carreira decolou progressivamente com O Calhambeque, É Proibido Fumar, Quero que Vá Tudo pro Inferno, entre outras.
Entre 1965 e 1968, ao lado de Erasmo Carlos e Wanderléa, Roberto apresentou na TV Record de São Paulo (também ganharia uma versão na TV Rio) o programa Jovem Guarda, cujo título dá nome ao movimento protagonizado pelo trio. Foi nessa fase que o cantor virou uma coqueluche, consolidando-se o maior ídolo jovem no país. Nem Beatles o ofuscou por aqui: era o capixaba quem vendia mais discos no Brasil.
Em 1966, Roberto Carlos recebeu informalmente o título de “o rei da juventude” no programa Buzina do Chacrinha. Em seguida, flertou com o soul, mas acabou abraçando sua veia romântica no repertório, o que foi fundamental para estender o reinado a outras faixas etárias e a todas as classes sociais.
O músico Roberto Frejat, que em 1994 produziu um tributo ao cantor intitulado Rei, destaca o feito de sair de ídolo jovem para amadurecer com o seu público — algo completamente singular no cenário brasileiro e que, segundo o ex-integrante do Barão Vermelho, nem Elvis Presley conseguiu.
— Ele saiu de um perfil de público compatível com Elvis para virar um artista com público compatível com Frank Sinatra. E fez isso com muita categoria — atesta Frejat.

Roberto Carlos em apresentação para 50 mil pessoas na Arena do Grêmio, em 2013.
Até hoje, é o show com maior público no local
Roberto Carlos não fez sucesso por acaso. Levou inúmeros “nãos” e insistiu muito: fez shows em circo tendo somente os palhaços como público — em um deles, foi atingido por um mamão na cara —, percorria um roteiro de rádios para tomar chá de banco, lançou músicas sem repercussão. Quando chegou lá, era o primeiro grande artista brasileiro desvinculado dos ritmos nacionais, como frisa o historiador Paulo Cesar de Araújo na biografia Roberto Carlos em Detalhes (2006). Antes dele, ídolos populares como Francisco Alves, Carmen Miranda, Orlando Silva, Luiz Gonzaga e Nelson Gonçalves consagraram-se sobretudo com sambas, baiões, marchinhas, entre outros gêneros identificados às raízes da música do Brasil. “Mais radical do que Carmen Miranda, aquela que teria voltado americanizada: Roberto Carlos já surgiu americanizado”, escreve Araújo no livro.
— Ele não foi o primeiro a gravar rock no Brasil, mas antes todos os roqueiros estavam à margem, somente adaptavam versões. O rock de Roberto e Erasmo era de alcance nacional — realça Araújo.
O historiador também comenta na biografia que cantores de bolero como Anísio Silva sempre estiveram à margem do debate, considerados como sem maiores consequências. Ou seja, o cantor instaurou uma linguagem do pop rock na música brasileira. Autor da biografia Roberto Carlos: Por Isso Essa Voz Tamanha, que está prevista para ser lançada nesta segunda de aniversário do Rei, o jornalista Jotabê Medeiros destaca que Roberto e Erasmo trouxeram um toque autoral ao rock nacional:
— A dupla encontrou uma linguagem própria para o rock do país, incorporando as influências estrangeiras, mas também misturando a elas ritmos nacionais e imprimindo uma dose brasileira de picardia e anarquia .
Frejat assinala:
— Roberto e Erasmo fizeram o rock existir em português.
Eletrificado

Show de Roberto Carlos em Porto Alegre, em 1966
Paulo Cesar de Araújo diz que Roberto foi um divisor de águas. Ao estourar com Quero que Vá Tudo Pro Inferno, ele mudou o rumo da música brasileira, que até então pendia para uma produção identificada com as raízes locais. Houve, por isso, quem se postasse de maneira defensiva contra o jovem cantor. Geralmente, artistas que seguiam uma linha mais tradicional da música brasileira ou eram engajados politicamente.
A Roberto Carlos deve-se a institucionalização da sigla MPB (Música Popular Brasileira). Araújo aponta que, após o Rei despontar, a música de origem universitária (ou a “nova bossa nova”) passou a ser chamada de MPB. Em um primeiro momento, a sigla teria um caráter nacionalista. Roberto, assim, era um artista “estrangeiro”.
— A MPB surge nesse embate com Roberto. Era usada para dizer: “Nós fazemos música popular brasileira. Aquilo ali não, é alienado e alienígena” — salienta o biógrafo.
A sigla ganharia outro sentido com o passar do tempo, no entanto. Hoje é consenso que a música brasileira é toda a sonoridade feita por brasileiros — que tanto pode ser samba, forró, rock, reggae, funk ou a mistura disso tudo. Mas o conflito foi além da sigla: no dia 17 de julho de 1967, foi realizada em São Paulo a curiosa Marcha contra a Guitarra Elétrica. Liderados por Elis Regina, nomes da MPB, como Geraldo Vandré e Gilberto Gil, marcaram presença. Segundo os manifestantes, a adoção desse instrumento estrangeiro poderia “manchar” as raízes da música nacional. Conforme Araújo, tratava-se de uma publicidade disfarçada: incentivada pela TV Record, a passeata tinha como objetivo promover o programa O Fino da Bossa, apresentado por Elis. De qualquer maneira, a manifestação é um indicativo do frisson que Roberto e comparsas causavam.
O cantor e compositor Frank Jorge, que também é coordenador do curso de produção fonográfica da Unisinos, ressalta que Roberto Carlos mudou a música pop brasileira de várias formas. Começando pela cozinha:
— Ao aderir ao rock, trouxe convicção na formação instrumental baixo, guitarra, bateria e órgão, à semelhança do pop rock internacional e diferentemente dos padrões de músicos dos estúdios da época.
Autor de História & Música: História Cultural da Música Popular (2002), o historiador Marcos Napolitano destaca que Roberto consolidou o mercado de música jovem no país com essa instrumentalização:
— Incluir essa sonoridade eletrificada ajudou a abrir caminho para o rock feito no Brasil.
Como resume Araújo, Roberto trouxe a guitarra, instrumento àquela época já consolidado internacionalmente, para o primeiro plano da música brasileira.
O historiador acrescenta que Roberto ajudou a incrementar a venda de instrumentos no Brasil, o que inclui a popularização definitiva do violão. Antes do Rei, João Gilberto e a bossa nova contribuíram para uma maior aceitação do instrumento, que, como escreve Araújo, era estigmatizado — associado ao malandro ou boêmio. Ao contrário do repertório da bossa nova, repleto de acordes dissonantes, as canções de Roberto são fáceis de reproduzir. E assim, a eletrificação da música popular do país espalhou-se nos anos 1960, junto à abertura nos costumes e tradições, processo continuado pelos tropicalistas.
— Roberto influencia até o sertanejo que viria eletrificado depois. Ele interfere no pagode romântico e nessas vertentes todas que se deixaram influenciar ela linguagem pop — diz Araújo.
Emoções no palco

Roberto Carlos distribuindo flores em show no Auditório Araújo Vianna, em 2016
Fã de Roberto e Erasmo, o músico Rafael Malenotti vai lançar em breve um álbum comemorativo à obra da dupla intitulado A Tremenda Noite do Rei. São sete releituras de clássicos da dupla extraídas do registro do espetáculo que Malenotti apresenta ao vivo. Para o vocalista da banda Acústicos & Valvulados, muitos dos preceitos introduzidos por Roberto se tornaram comuns hoje em dia:
— Ele foi o precursor de muitos movimentos em relação ao show business. Deu o pontapé inicial no processo de estruturação de uma produção grandiosa no país.
De fato, entre setembro e novembro de 1970, o Rei realizou sua primeira temporada de shows no Canecão, no Rio de Janeiro, inaugurando a fase das grandes temporadas de um artista em um único palco no Brasil, de acordo com o livro Roberto Carlos em Detalhes. Apresentando-se com orquestra, essa temporada representou um novo salto na carreira, que lhe imprimiu certa sofisticação e credibilidade e permitiu que se consolidasse entre o público mais elitizado. Em 1983, a estrutura grandiosa foi levada para uma grande turnê pelo país, no projeto Emoções. “Nunca até então tinha havido nada comparável no show business brasileiro”, escreve Araújo. Nem Rita Lee, que no mesmo ano arrastou multidões em uma turnê de padrões incomuns no Brasil, chegou perto da grandiosidade do Rei. “Roberto Carlos é um Boeing no país dos teco-tecos”, ela descreveu em entrevista à época. Roberto mobilizou uma equipe de 110 pessoas, incluindo uma orquestra de 42 músicos, tendo avião próprio fretado para a turnê — tal qual um rockstar internacional a la Rolling Stones.
O cantor de Cachoeiro também estendeu sua revolução para fora da música. Como escreve Jotabê Medeiros em Roberto Carlos: Por Isso Essa Voz Tamanha, o Rei foi “modelo de estética e de comportamento”, inovando ao “tratar as questões do espetáculo de música como uma arte em si”. Segundo Marcos Napolitano, a principal inovação de Roberto e da Jovem Guarda ocorreu no plano da performance televisual.
— Ele consolidou a relação orgânica entre música, moda e comportamento, que marcou a cultura jovem a partir do final dos anos 1950 — pontua o historiador.
Como realça Jotabê, quando o Rei alcançou o sucesso, projetou-se como alguém que parecia mais próximo da moçada do que os cantores taciturnos e de vida complicada da antiga música brasileira. “Roberto é um de nós”, pensavam os jovens. O jornalista descreve que havia uma compreensão, certamente intuitiva, da parte de Roberto, de que a TV era o veículo a ser domado porque “representava o invólucro do futuro de sua arte”.

Show de Roberto Carlos no encerramento da Olimpíada do Exército,
no Ginásio do Grêmio, em maio de 1972
O programa Jovem Guarda inspirou a partir de minissaias, calças saint-tropez, cores e estampas, além de cabelos compridos para os homens. Com pulseiras, anéis e colares, Roberto cantou essa tendência em É Papo Firme: “Ela adora uma praia e só anda de minissaia/ Está por dentro de tudo, só namora se o cara é cabeludo”.
No livro de Jotabê, há um relato de Wanderléa analisando que as roupas eram o resultado da liberdade pela qual se ansiava. “Se Celly Campello trouxe o rock para o Brasil, nós trouxemos a imagem do rock”, diz. Erasmo reflete também que, com a Jovem Guarda, “acabou o smoking no horário nobre da TV”.
O impacto de Roberto e sua corte mudou toda a correlação de forças dentro da indústria musical que se afirmava no período. Era um fenômeno que movimentava de tal modo as revistas, os programas de rádio e TV e a moda que estabeleceu um nicho até então desprezado: o consumidor jovem. “Roberto Carlos tinha se tornado, progressivamente, um repositório de expectativas de duas forças conflitantes: a emancipação juvenil e a voracidade do comércio”, escreve Jotabê na biografia.
Até o medalhão do Sagrado Coração de Jesus, que Roberto recebeu da irmã Fausta, sua primeira professora, virou tendência: como observa Araújo, outros cantores, de Reginaldo Rossi a Nelson Ned, passaram a usar acessório similar, que se consolidou como ícone brega. “De certa forma, aquele medalhão saiu do peito da irmã Fausta para ocupar o pescoço de toda uma geração de cantores populares do Brasil”, escreve o biógrafo.
Ficaram as canções
Nada do que Roberto trouxe como inovação, seja em técnica ou visão de showbiz, seria possível se não viesse em forma de música. Tudo que ele fez só ganhou força por causa de suas canções.
— Não adiantava chegar e dizer: “Vou usar cabelo comprido, pessoal, e todos vão me amar”. Ou: “Vou colocar a guitarra no primeiro plano, tá? Vocês farão o mesmo”. Ele só conseguiu porque, junto a isso, havia as canções. E não tem fase A ou B: ele fez grandes canções em todos os momentos da carreira — defende Araújo.
Seja pelas músicas que compôs em parceria com Erasmo (Se Você Pensa, O Portão, Jesus Cristo etc) ou que recebeu de outros compositores (Outra Vez, de Isolda Bourdot; Não Vou Ficar, de Tim Maia; Como Vai Você, de Antônio Marcos e Mário Marcos), Roberto deixou um grande legado com sua discografia. Cabe ressaltar, porém, que sua forma de interpretá-las também foi crucial.
Conforme Araújo, Roberto Carlos trazia consigo uma forma de cantar moderna, inspirada em João Gilberto, quando estourou. Era um jeito de soltar a voz que não era padrão — mais coloquial, falado e enxuto, porém contido e com baixa intensidade.
— João Gilberto inaugurou essa forma de cantar, mas estava mais restrito. A bossa nova atingiu apenas um público de classe média e das grandes capitais. Roberto levou isso para o interior do país, para o Brasil profundo. A forma de ele cantar vem da bossa nova. Do Elvis, ele assimilou o ritmo, a postura — analisa Araújo.
Não tem fase A ou B: ele fez grandes canções em todos os momentos da carreira
Paulo César de Araújo
Autor de "Roberto Carlos em Detalhes"
Essa forma, atualmente, está no DNA da música brasileira. Soma-se à linguagem mais moderna, que se contrapôs, por exemplo, à do samba-canção.
— Aquela coisa rebuscada, como “Tu és, divina e graciosa/ Estátua majestosa” (Rosa, de Pixinguinha), querendo imitar uma literatura considerada culta. Ele veio com a linguagem da rua e foi se inserindo nessa modernidade que já estava instaurada, só que trazendo isso para o pop rock. Naquele momento, ele estava antenado com a música mais moderna possível, que era a bossa nova e o rock internacional — completa Araújo.
O escritor e pesquisador Ricardo Pugialli, autor de livros como No Embalo da Jovem Guarda (1999) e Almanaque da Jovem Guarda — Nos Embalos de uma Década Cheia de Brasa, Mora? (2006), salienta que Roberto surgiu com apelo direto de suas letras e melodias para a juventude, cantando emoções sinceras e diretas, com o ritmo que era pedido naquele momento. Mas sempre foi mais do que o rock.
— Ele sempre foi romântico. Cantou do funk de raiz ao sertanejo. Sempre com arranjos impecáveis, execuções primorosas e vendas milionárias. Roberto é referência para todo artista que quer fazer música que fala ao coração. Ele apresentou o caminho — diz Pugialli.
Para o pesquisador, há sempre uma canção do Roberto para cada momento da vida de qualquer um: — Há músicas que beiram o pessoal de todos ao escutá-las. Só os grandes atingem isso.
Napolitano ressalta que a obra de Roberto acompanha o amadurecimento do seu próprio público, distribuído em várias classes sociais, níveis de escolaridade e regiões do país. Embora receba cobranças políticas em torno de sua personalidade sempre reservada e em torno de sua obra, mais preocupada com os sentimentos individuais e familiares do que com os problemas sociais brasileiros, o cantor se sobressai.
— Suas canções foram a trilha sonora da família brasileira padrão da segunda metade do século 20. Seus valores, crenças e afetos privados — acentua Napolitano.
Na nova biografia do Rei, Jotabê escreve que sua música “desfruta de uma transversalidade poucas vezes encontrada em um intérprete popular em qualquer lugar do mundo. Nem mesmo Sinatra ou Elvis conseguiram tamanha mobilidade social”. O jornalista defende que Roberto está em tudo que emite onda sonora no Brasil. Muitas vezes, é detestado pela imagem institucional e pela indiferença política, mas, para Jotabê, talvez esse não seja o ângulo correto para analisar suas contribuições:
— Não há nenhum grupo social, etário, étnico, que tenha passado impune pelas canções dele. Ao menos uma música a pessoa conhece. Acredito que ele mostrou que não há compartimentações entre os gêneros, que é possível fazer amplas misturas e alianças e continuar sendo original.
Rafael Malenotti crê que não exista brasileiro que não carregue em seu DNA um pouco da história de Roberto e Erasmo. Nem que seja inconscientemente.
— Você pode não saber, mas é impossível que uma música do Roberto e Erasmo não esteja presente em alguma parte da trilha sonora da sua vida. Em algum especial de fim de ano, quando era criança, a sua mãe, tia ou avó, estavam ali recebendo a magia do trabalho do Roberto e, consequentemente, você também. Mesmo que seja o metaleiro mais furioso da face da terra, se ele é brasileiro, tem um pouquinho lá do DNA dele do que o Roberto e o Erasmo fizeram desde os anos 1960 — reflete o músico.
No livro Roberto Carlos em Detalhes, há um comentário de Erasmo enfatizando que seu amigo de fé consegue algo muito difícil: “Tocar o povo mais simples com poucas palavras”. E ele prossegue: “Você acha que isso é fácil? Tente, para ver como é difícil sintetizar suas mensagens de uma forma sucinta, tão simples”. Araújo lembra que difícil é tocar o povo mais simples e ao mesmo tempo atingir os setores mais elitizados, algo que Roberto consegue. Artistas como Caetano Veloso ou Chico Buarque, por exemplo, ficam em um segmento de público mais restrito, localizado na classe média — uma ou outra canção ultrapassa o limite. Por outro lado, nomes como Odair José e Amado Batista se restringem apenas ao segmento mais popular. Já o repertório de Roberto percorre a sensibilidade de multidões.
— O bilionário Abílio Diniz casou-se em 2004 ao som de Roberto Carlos. O porteiro aqui do meu prédio também se casou ao som de Roberto Carlos. É isso. Isso é Roberto Carlos — conclui Araújo.


fonte: Blog Mauro Ferreira - 14.04.2021
ROBERTO CARLOS ELOGIA CANÇÃO GRAVADA COM LIAH SOARES
PARA TRILHA SONORA DA NOVELA 'UM LUGAR AO SOL'

? Assim que a novela Um lugar ao sol começar a ser exibida pela TV Globo no horário das 21h, em princípio no segundo semestre deste ano de 2021, assim que terminar a recém-estreada reprise de Império (2014), a voz de Roberto Carlos será ouvida em gravação inédita feita com Liah Soares.
Em entrevista distribuída à imprensa por conta dos 80 anos que completará na segunda-feira, 19 de abril, o artista confirmou que o próximo lançamento da carreira fonográfica de 62 anos é o dueto com a cantora e compositora paraense em música romântica.
“É uma linda canção”, elogiou Roberto, que atua somente como intérprete no fonograma. Originalmente intitulada A cor do amor, a inédita composição é de autoria da própria Liah Soares em parceria com Iana Marinho.
Feita especialmente para a trilha sonora de Um lugar ao sol, novela escrita por Lícia Manzo e produzida sob direção de Maurício Farias, a gravação do dueto de Roberto Carlos com Liah Soares foi iniciada em 2019 e concluída em 2020, já que, antes da paralisação das gravações das novelas por conta da pandemia, a previsão era a de que a trama de Manzo entrasse no ar em maio do ano passado.


fonte: Quem Acontece Online - 03.04.2021
ROBERTO CARLOS LAMENTA MORTE DE AGNALDO TIMÓTEO: "MUITO QUERIDO"
Cantor morreu aos 84 anos de Covid-19 neste sábado (3), no Rio;
Rei disse que foi prazer ter músicas suas e de Erasmo gravadas por ele

Agnaldo Timóteo e Roberto Carlos
Roberto Carlos deu adeus a Agnaldo Timóteo, que morreu aos 84 anos, de Covid-19, neste sábado (3). O Rei fez um post no Instagram lamentando a perda do colega e publicando uma foto dos dois nos tempos da Jovem Guarda.
"Sinto muito pelo o que aconteceu a Agnaldo Timóteo. Nos conhecemos há muito tempo, desde antes da Jovem Guarda.
Tive o prazer de ter alguma músicas minhas e de Erasmo gravadas por ele", contou Roberto. "Um grande cantor, um cara muito querido que eu respeito muito. Meus sentimentos aos seus familiares. Que o nosso Deus de bondade o proteja e o abençoe. Amém", completou o Rei.


fonte: Acesso Cultural - 02.04.2021
LIVRO CONTA A TRAJETÓRIA MUSICAL DE ROBERTO CARLOS
PELO OLHAR DA CRÍTICA MUSICAL

Desde a Jovem Guarda, Roberto Carlos é um sucesso de público e fenômeno de vendas. A crítica musical, porém, demorou a lhe estender o tapete vermelho. A maior parte do tempo ele foi visto como um cantor alienado, brega, carola e acomodado. Chegou a ser rotulado como “debilóide”. Para contar a trajetória do mais bem-sucedido nome da música brasileira de todos os tempos, sob o ponto de vista da imprensa especializada, o pesquisador Tito Guedes garimpou centenas de resenhas publicadas desde os anos 60 até hoje. O resultado é Querem acabar comigo, um retrato da obra do Rei a partir de uma perspectiva inédita.
Em mais de meio século de carreira, Roberto viveu uma relação difícil com a crítica, pouco generosa em suas análises e na contramão da crescente popularidade do ídolo. Querem acabar comigo mostra, curiosamente, que os raros momentos de trégua se deram quando medalhões da MPB abraçaram o cantor: na Tropicália, com Caetano Veloso à frente; com o LP de Nara Leão com repertório todo do cantor no fim dos anos 70; ou quando Maria Betânia gravou um aplaudido tributo ao Rei. E a mesma crítica que no início da carreira de Roberto defenestrou o iê-iê-iê e seus primeiros sucessos românticos, décadas depois exaltaria canções desta fase, classificando-a como “obra-prima”.
Querem acabar comigo é fruto de uma pesquisa extensa de Tito Guedes, que trabalha no Instituto Memória Musical Brasileira (IMMUB). O autor pinçou textos sobre os álbuns de Roberto Carlos publicados em grandes veículos como Folha de S. Paulo, O Globo, Jornal do Brasil, O Estado de S. Paulo, Manchete e Veja. Muitas dessas resenhas foram assinadas por jornalistas, escritores e críticos de prestígio, entre eles Sérgio Cabral, Flavio Marinho, Augusto de Campos, Fausto Wolff, José Miguel Wisnik, Antonio Carlos Miguel, Ta´rik de Souza, Jotabê Medeiros, Mauro Ferreira e Carlos Calado.
Como destaca no prefácio outro jornalista consagrado, Arthur Dapieve, Querem acabar comigo “não é tanto sobre a carreira do cantor e compositor consagrado na Jovem Guarda – embora, naturalmente, ela seja indiretamente historiada a cada linha – e sim o modo como os jornalistas especializados a comentaram“.
Editado pela Máquina de Livros, Querem acabar comigo chega às principais livrarias e sites do país às vésperas de Roberto Carlos completar 80 anos, no formato impresso e em e-book.


fonte: GAZ Online - 01.04.2021
JOTABÊ MEDEIROS LANÇA A BIOGRAFIA DEFINITIVA DO CANTOR ROBERTO CARLOS
Obra que conta a história de vida do Rei, será lançada no dia 19 de abril,
dia em que o astro completará 80 anos

A Todavia acaba de colocar em pré-venda aquele que deve ser um dos maiores acontecimentos editoriais do Brasil em 2021: a biografia que pode ser considerada como a abordagem definitiva à história de vida e à obra do cantor Roberto Carlos. E para marcar, em grande estilo, a chegada do artista aos 80 anos, em 19 de abril, para quando, aliás, está marcado o lançamento oficial da obra nas livrarias.
A façanha do relato cabe a ninguém menos do que o jornalista e escritor Jotabê Medeiros, um dos maiores especialistas em ambiente musical brasileiro, que já assinou, só para citar duas de suas incursões mais recentes, Belchior: apenas um rapaz latino-americano e Raul Seixas: não diga que a canção está perdida.
Com Roberto Carlos: por isso essa voz tamanha, Jotabê se ocupa de um astro que, de certo modo, sintetiza o Brasil no universo da música. Ninguém recebe (e mantém, ao longo de décadas) a alcunha de Rei por acaso. Roberto Carlos é simplesmente o Pelé da MPB. E, como tal, como inclusive seria de esperar, Jotabê obedece ao faro do jornalista investigativo a ponto de elucidar passagens por vezes nebulosas da trajetória do artista, tanto em sua vida privada quanto na exposição pública, em carreira de mais de seis décadas, e ao longo de seus 79 anos de vida.
A chegada aos 80 anos, no dia 19, será marcada, assim, também por esse acontecimento no mercado editorial, com o exemplar físico, de 512 páginas, anunciado a R$ 84,90.


fonte: Blog Mauro Ferreira - 27.03.2021
ROBERTO CARLOS É TEMA DE LIVROS PREVISTOS PARA ABRIL,
MÊS EM QUE O ARTISTA FAZ 80 ANOS

Capa do livro 'Querem acabar comigo', de Tito Guedes
? Em 1966, Roberto Carlos já era o rei da juventude do Brasil. Sentindo que a coroa era cobiçada, pois havia muita competição no reino da Jovem Guarda, o cantor e compositor externou a preocupação no título de uma das músicas do álbum que lançou em 1966.
Composição de autoria somente de Roberto, Querem acabar comigo soou como recado mandado tanto para os cantores rivais que ambicionavam o trono do cantor como para os críticos musicais, já naquela época refratários às conquistas do artista no então recém-criado mercado brasileiro de música pop – postura que se manteria inalterada nas décadas seguintes.
Decorridos 55 anos do lançamento da música no álbum Roberto Carlos (1966), Querem acabar comigo dá nome ao livro que Tito Guedes lançará em abril, mês em que Roberto Carlos – nascido em Cachoeiro de Itapemirim (ES) em 19 de abril de 1941 – completa 80 anos.
Como já explicita o subtítulo Da Jovem Guarda ao trono, a trajetória de Roberto Carlos na visão da crítica musical, o livro Querem acabar comigo analisa a carreira do cantor sob a perspectiva dos jornalistas que discorreram sobre os discos e shows de Roberto Carlos ao longo dos últimos 60 anos.
Produto derivado de tese acadêmica defendida por Tito Guedes em 2019, o livro tem prefácio assinado pelo jornalista Arthur Dapieve e chega ao mercado literário em edição da Máquina de Livros.

Capa do livro 'Roberto Carlos – Por isso essa voz tamanha', de Jotabê Medeiros
? Salvo mudança de planos, o livro Querem acabar comigo – Da Jovem Guarda ao trono, a trajetória de Roberto Carlos na visão da crítica musical terá concorrente nas prateleiras físicas e virtuais.
Também por conta dos 80 anos do cantor, a editora Record planeja lançar em abril Roberto Carlos, outra vez, a nova biografia do artista escrita por Paulo Cesar Araújo, autor do fundamental livro Roberto Carlos em detalhes (2006), recolhido do mercado em 2007 após acordo judicial do artista com a editora Planeta.
Já a editora Todavia lançará em 19 de abril, dia do 80º aniversário do cantor, o livro Roberto Carlos – Por isso essa voz tamanha. Trata-se de perfil biográfico do artista, escrito pelo jornalista Jotabê Medeiros, autor de livros sobre Belchior (1946 – 2017) e Raul Seixas (1945 – 1989).


fonte: O Dia Online- 11.03.2021
MORRE LAURO BRAGA, IRMÃO DE ROBERTO CARLOS, AOS 90 ANOS, NO RIO

Roberto Carlos e seus irmãos: Norma Braga e Lauro Braga
Faleceu no início da tarde de hoje um dos irmãos de Roberto Carlos, Lauro Braga. A informação foi confirmada ao UOL pela assessoria do cantor.
Lauro — que recebeu o nome de sua mãe, Lady Laura — tinha 90 anos e morreu em um hospital da Zona Sul do Rio de Janeiro. Ele estava internado há quatro meses, depois de ter meningite e sofrer um AVC.


fonte: Diário de Cuiabá - 10.03.2021
CRUZEIRO DE ROBERTO CARLOS É ADIADO PARA 2022 POR CAUSA DA PANDEMIA

O cruzeiro do cantor Roberto Carlos, "Projeto Emoções Praia do Forte (BA) " foi adiado devido à pandemia de Covid-19. O show em alto mar aconteceria entre os dias 9 e 13 de junho, mas foi transferido para a semana dos namorados de 2022. Este é o segundo cruzeiro do cantor adiado este ano.
A produção do projeto disse que o cenário atual da pandemia pegou todos de surpresa e o momento exige muita cautela e que superando este período, todos estarão juntos celebrando a 18ª edição do Projeto Emoções.
"Entendendo que a saúde e o bem-estar de todos os participantes do Projeto Emoções deva ser nossa principal prioridade, seguimos adiante e buscando nos adaptar a esta nova realidade, oferecendo a todos a oportunidade de seguir conosco para o próximo ano, como parte da Família Emoções", disse.
Outro cruzeiro do cantor, o tradicional "Emoções em Alto Mar", programado para ocorrer entre 6 e 10 de fevereiro deste ano, também tinha sido adiado para 2022 devido a pandemia. Em maio do ano passado, a assessoria de imprensa do cantor já dizia que não seria possível saber a situação em fevereiro deste ano e que adiar era mais prudente para evitar cancelamentos mais perto do embarque no cruzeiro.
Segundo a assessoria, os passageiros chegam de muitos lugares tanto do Brasil como do mundo, e a aglomeração seria inevitável. Por prudência, portanto, foi tomada a medida de adiamento. Quem já comprou terá de esperar mais um tempo.
HISTÓRICO
Desde 2005, Roberto Carlos sai em um cruzeiro de cinco dias lotado de fãs e canta seus grandes sucessos em um supernavio que navega pela costa brasileira. Em fevereiro de 2020, aconteceu a 16ª edição desse projeto, chamado Emoções em Alto Mar, no barco MSC Fantasia, com capacidade para 4.300 pessoas e ancorado a cerca de 500 metros da costa de Búzios.
Pouco antes das 23h, Roberto iniciou o segundo show dos três que faria na viagem. Como o teatro não comporta todos os passageiros, eles são divididos em três grupos. A apresentação foi excelente. É um teatro mais intimista do que os estádios ou casas de shows em que canta normalmente. Isso traz uma proximidade muito grande do público com seu rei. Até demais: dos camarotes superiores próximos ao palco, era possível ver a tela, como a de uma TV, que ficava aos seus pés com as letras das canções. Piadinhas, cacos e interações com o público também estavam todas lá, previamente redigidas.


fonte: Gaucha Zero Hora - 10.03.2021
MAIS UM CRUZEIRO DE ROBERTO CARLOS É ADIADO POR CAUSA DO CORONAVÍRUS
"Projeto Emoções Praia do Forte" é realizado na semana do Dia dos Namorados

Roberto Carlos também adiou o cruzeiro de verão "Emoções em Alto Mar", realizado em fevereiroFabio Rocha / Globo As emoções seguem fortes para Roberto Carlos: após adiar em um ano o cruzeiro Emoções em Alto Mar, tradicionalmente realizado no verão, a embarcação de inverno do artista também não deixará o porto em 2021. As informações são da Folha de S. Paulo.
O Projeto Emoções Praia do Forte, previsto para ocorrer entre os dias 9 e 13 de junho deste ano, será realizado apenas na semana do Dia dos Namorados de 2022. Segundo os produtores, a decisão foi tomada devido às proporções que a pandemia de coronavírus tomou no Brasil, apesar da expectativa de mitigação, e a falta de perspectiva de vacinação em massa.
"Entendendo que a saúde e o bem-estar de todos os participantes do Projeto Emoções deva ser nossa principal prioridade, seguimos adiante e buscando nos adaptar a esta nova realidade, oferecendo a todos a oportunidade de seguir conosco para o próximo ano, como parte da Família Emoções", afirmaram os produtores em nota nas redes sociais.
O setor dos cruzeiros vem sendo um dos mais afetados pela pandemia, considerando a facilidade da transmissão do vírus dentro das embarcações. Além disso, a grande densidade de pessoas impossibilita um distanciamento social efetivo. É provável que as viagens só retomem o ritmo pré-pandemia após uma parcela significativa da população estar vacinada contra a covid-19.
Confira a nota completa da produção:
"A Direção do Projeto Emoções vem por meio desta comunicar que devido as incertezas em relação às vacinas e ao agravamento da pandemia de covid-19, o Projeto Emoções Praia do Forte 2021 (09 à 13 de junho), foi transferido para o próximo ano, no período de 08 à 12 de junho de 2022 (na semana do dia dos Namorados).
Desde o lançamento deste grande evento, em meados do ano passado, não poupamos esforços para garantir que fosse realizado no período programado e em conformidade com todas as regras sanitárias impostas pelas autoridades, porém o cenário atual pegou todos de surpresa e o momento exige muita cautela.
Entendendo que a saúde e o bem estar de todos os participantes do Projeto Emoções deva ser nossa principal prioridade, seguimos adiante e buscando nos adaptar a esta nova realidade, oferecendo a todos a oportunidade de seguir conosco para o próximo ano, como parte da Família Emoções, superando este período com a certeza de que em breve estaremos todos juntos celebrando a 18ª edição do Projeto Emoções. Desde já um agradecimento especial a todos vocês que se juntaram a nós, formando esta maravilhosa Família Emoções, que nos entusiasma e nos motiva na certeza que estaremos juntos na próxima edição, que será a melhor de todos os tempos do nosso Projeto com Roberto Carlos.
Aos nossos clientes que adquiriram aos pacotes Projeto Emoções Praia do Forte, solicitamos entrar em contato através do e-mail contato@projetoemoções.com.br"


fonte: Projeto Emoções - 08.03.2021



fonte: GShow Online- 01.03.2021
ROBERTO CARLOS É VACINADO CONTRA A COVID-19: 'TODO MUNDO TEM QUE VACINAR!'
Em suas redes sociais, o cantor de 79 anos compartilhou um vídeo se vacinando

Roberto Carlos é vacinado no Rio de Janeiro
Nesta segunda-feira, 1/3, o cantor Roberto Carlos, de 79 anos, foi vacinado contra a Covid-19 e publicou em suas redes sociais um vídeo com o momento da vacinação, no Rio de Janeiro, e fez um agradecimento.
"Todo mundo tem que vacinar, deve vacinar, é importante. VACINA SIM!”, escreveu.


fonte: G1 Online- 01.03.2021
ROBERTO CARLOS É VACINADO CONTRA A COVID-19 NO RIO
Cantor chegou dirigindo a posto de vacinação.
Ney Matogrosso e Betty Faria também receberam a imunização nesta segunda-feira (1°).

Roberto Carlos é vacinado contra a Covid-19 no Rio de Janeiro
O cantor Roberto Carlos foi vacinado contra a Covid-19 nesta segunda-feira (1). O artista chegou dirigindo a um dos drive-thrus que fazem a vacinação na Zona Sul do Rio para pessoas com 79 anos até quarta-feira (3).
"Todo mundo tem que [se] vacinar, deve vacinar, é importante. VACINA SIM", escreveu o "Rei" em suas redes sociais.

Roberto Carlos é vacinado contra a Covid-19 no Rio de Janeiro


fonte: Jornal Dia a Dia- 15.02.2021
IRMÃ FAUSTA, A PRIMEIRA PROFESSORA DE ROBERTO CARLOS, SERÁ VELADA HOJE À TARDE

Será velada nesta segunda-feira (15), na parte da tarde, a irmã Fausta de Jesus Hóstia, de 98 anos, que ficou conhecida nacionalmente como a primeira professora do cantor Roberto Carlos, quando ele tinha 8 anos de idade. Foi a irmã que presenteou o artista com um medalhão, que por muito tempo o acompanhava em seus shows e demais exibições públicas.
A religiosa morreu em casa, no domingo à tarde, no Centro de Formação Martina Torloni, uma comunidade religiosa da Congregação das Irmãs de Jesus na Eucaristia, situada na Prainha, em Vila Velha.
Segundo a irmã Rita Lourdes Zorzanelli, haverá uma celebração eucarística de corpo presente, às 14 horas desta segunda, numa cerimônia reservada às religiosas, na capela da comunidade, em Vila Velha.
O sepultamento será às 16 horas no cemitério Parque da Paz, também em Vila Velha.
Irmã Fausta teve um agravamento de saúde após quadro de trombose, mas vinha se recuperando.
“Com a idade, seus órgãos foram diminuindo a atividade. Ela estava sendo cuidada em casa. Foi uma passagem muito tranquila”, lembrou a irmã Rita.
Ela ressaltou que a Irmã Fausta era muito querida por toda congregação e recebeu mensagens de várias partes do Brasil e do exterior.
Irmã Fausta era uma pessoa que Roberto Carlos tem profundo respeito e carinho. Os dois mantinham contato. Em 2009, quando fez um show em Cachoeiro, o artista a recebeu no hotel em que estava hospedado.


fonte: Blog Mauro Ferreira- 03.01.2021
ÁLBUM DE 1971 QUE CONSOLIDOU REINADO DE ROBERTO CARLOS
FAZ 50 ANOS COM RELEVÂNCIA E ATUALIDADE

MEMÓRIA – De agosto de 1965 a janeiro de 1968, Roberto Carlos encarnou com perfeição o rei da juventude no castelo construído pela Jovem Guarda, primeiro movimento pop da música do Brasil.
A partir do álbum intitulado O inimitável e lançado no dezembro de 1968, o cantor iniciou inteligente processo de transição da fase juvenil para o universo predominantemente romântico do mundo adulto.
O rito de passagem foi desenvolvido nos dois posteriores álbuns de 1969 e 1970, grandes discos embebidos na música negra norte-americana que atestaram a evolução de Roberto Carlos como compositor, sempre em parceria com Erasmo Carlos.
Lançado em dezembro de 1971, o álbum Roberto Carlos sedimentou a transformação gradual do artista e consolidou o reinado do cantor no Brasil conformista e anestesiado do inicio da década de 1970. A ilustração do cantor na capa do LP já simboliza a virada pela exposição do semblante mais adulto.
Emblemático, esse disco completa 50 anos em 2021 – ano em que também Roberto faz 80 anos em 19 de abril – sem perder a relevância, tanto pelo repertório irretocável quanto pela produção musical capitaneada por Evandro Ribeiro, homem forte da diretoria da gravadora CBS e decisivo na trajetória fonográfica de Roberto Carlos, com quem trabalhou de 1963 a 1983 – não por acaso, o período mais expressivo da discografia do cantor.
Também não por acaso, o álbum Roberto Carlos de 1971 foi o primeiro disco gravado pelo artista nos Estados Unidos – em outubro de 1971, no estúdio da gravadora CBS em Nova York (EUA), após pré-produção feita na cidade do Rio de Janeiro (RJ) em setembro daquele ano – com arranjos (geralmente orquestrais) criados e regidos pelo pianista e maestro norte-americano Jimmy Wisner (1931 – 2018).
Somente duas faixas saíram sem a assinatura de Wisner porque foram previamente gravadas para a série de coletâneas As 14 mais e reaproveitadas
no álbum.
Uma delas é Amada amante (Roberto Carlos e Erasmo Carlos). Balada gravada em 1º de maio de 1971, Amada amante fechou o disco, levando para a casa da tradicional família brasileira uma canção sobre relação extraconjugal, ainda que a letra pudesse ser lida como declaração de amor à mulher oficial (como entendeu Nando Reis ao regravar a música para álbum com o repertório de Roberto Carlos lançado em 2019).
A outra faixa sem o toque orquestral de Jimmy Wisner foi gravada entre junho e julho de 1971. É Eu só tenho um caminho, soul de Getúlio Côrtes, compositor identificado com o universo da Jovem Guarda.
Outro compositor associado à Jovem Guarda, Renato Barros (1943 – 2020), herói da guitarra no exército da juventude brasileira, comparece no disco como autor de Você não sabe o que vai perder, rock imerso na levada de rhythm and blues, uma das matrizes do gênero.
Você não saber o que vai perder é música que poderia figurar em qualquer disco de Roberto Carlos na fase da (então ainda recente) Jovem Guarda – fato que denota o cuidado do cantor na condução da transição.
Em que pesem os ecos do reinado juvenil, o álbum Roberto Carlos de 1971 reforça sobretudo a assinatura romântica do artista, a começar pela referencial canção Detalhes (Roberto Carlos e Erasmo Carlos), desde então música obrigatória no roteiro de qualquer show do cantor. Com elevada autoestima (traço notório do caráter do artista, aliás), o eu lírico da canção exprime confiança no poder de permanecer na memória da mulher que o deixou.
Primeira conexão de Roberto Carlos com a obra de Caetano Veloso, a gravação do blues Como dois e dois – música inédita do compositor baiano, enviada a Roberto por Caetano do exílio em Londres – se diferencia no disco por trazer, ainda que de forma cifrada, referências à sombria situação política do Brasil em 1971.


fonte: Blog Mauro Ferreira - 01.01.2021
ERASMO CARLOS, NANA CAYMMI, NEY MATROGROSSO E ROBERTO CARLOS COMPLETAM 80 ANOS EM 2021

Já é 2021! O ano novo chega e já aponta grandes comemorações no horizonte da música brasileira. Nada menos do que quatro ícones da MPB – Erasmo Carlos, Nana Caymmi, Ney Matogrosso e Roberto Carlos – se tornarão octogenários ao longo de 2021.Sim, pode até não parecer, e não parece mesmo, mas os quatro artistas – nascidos em 1941 – estão bem perto dos 80 anos.
O primeiro a festejar a data é Roberto Carlos, que faz aniversário em 19 de abril e, até lá, já deverá ter lançado single com música inédita. Na sequência, ainda em abril, mas no dia 29, é a vez de Nana Caymmi festejar 80 anos. Dois meses depois, em 5 de junho, é Erasmo Carlos quem faz 80 anos. Por fim, em 1º de agosto, Ney Matogrosso completa 80 incríveis anos com vigor jovial que desmente a idade do camaleão.
Em comum, os quatro cantores têm o fato de estarem ainda em plena atividade profissional. Nana lançou álbum em 2020 com músicas de Antonio Carlos Jobim (1927 – 1994) e Vinicius de Moraes (1913 – 1980). Erasmo, Ney e Roberto esperam somente o recrudescimento da pandemia para retomarem as agendas de shows, sempre cheias.
Com exceção de Ney, que irrompeu no universo pop brasileiro em 1973, os artistas estão na estrada há cerca de 60 anos. Merecem aplausos tanto pela longevidade da vida quanto da carreira.


fonte: GShow Online - 22.12.2020
ANA MARIA BRAGA RECORDA NERVOSISMO EM RECEBER ROBERTO CARLOS:
'MINHAS PERNAS TREMIAM, SOU APAIXONADA POR ELE'
'Mais Você" reexibiu visita do rei ao programa,
e apresentadora relembrou a adolescência embalada pelos sucessos do cantor.

Relembre o dia em que Ana Maria recebeu o Rei Roberto Carlos
Hoje à noite, 22/12, tem especial de Roberto Carlos na Globo, uma tradição que perdura há 46 anos. E como o Rei é o Rei, além de ocupar a telinha à noite, teve uma participação mais que especial do cantor no Mais Você.

Apresentadora relembrou a sua história com o Rei Roberto Carlos:
'Embalou meus amores e desamores da adolescência'
Ana Maria Braga reexibiu a visita de Roberto Carlos na Casa de Cristal, em dezembro de 2015, confessou seu nervosismo em estar ao lado do Rei, e surpreendeu ao falar de sua ligação com o cantor.
"Roberto Carlos foi o meu ídolo da adolescência. Eu me lembro de uma vitrolinha rosa que ganhei com um compacto do cantor. Eu ouvia tanto... As músicas dele embalaram meus amores e desamores. Eu sonhava com o Roberto. Fui apaixonada e sou apaixonada por ele. E como eu estava nervosa no dia em que ele veio ao nosso estúdio, minhas pernas tremiam...", recordou-se Ana Maria, que falou também da solidariedade do cantor ao confortá-la pela morte de Tom Veiga, intérprete do Louro José:
"Eu e o Roberto não somos amigos íntimos, mas ele foi muito gentil em me ligar na semana em que o Tom morreu. Fiquei tão sensibilizada. Obrigada pelas palavras que me confortaram tanto, Roberto."


fonte: O Globo Online - 22.12.2020
ESPECIAL ROBERTO CARLOS EM JERUSALÉM:
REI CANTA 'JESUS CRISTO' COM BRASILEIROS QUE VIVEM NA TERRA SANTA
Show de 2011 vai ser reexibido nesta terça-feira, dia 22, às 22h45m na TV Globo

Roberto Carlos em Jerusalém - Roberto Carlos no deserto da Judeia
No ano da pandemia de Covid-19, a TV Globo reexibirá um dos mais emblemáticos especiais de Roberto Carlos na emissora. "Emoções em Jerusalém", gravado originalmente em 2011, será transmitido nesta terça-feira (22), a partir de 22h45m.
No programa, o Rei se apresenta num palco de pouco mais de mil metros quadrados na localidade conhecida como "Piscina do Sultão", próximo ao Monte Sião e junto às muralhas da Cidade Velha de Jerusalém. A direção do show é de de Jayme Monjardim.
No show, há clássicos da carreira do cantor como "Detalhes", "É preciso saber viver" e "Como é grande o meu amor por você". Roberto interpreta ainda canções em outras línguas. Entre elas, "Como vai você", numa versão em espanhol, e "Unforgettable", música que ficou conhecida na voz de Nat King Cole. Italiano e hebraico também estão na lista de idiomas ouvidos pelo público. A parte religiosa, é claro, não ficou de fora: na companhia de um coral de 30 brasileiros que vivem em Israel, ele canta "Jerusalém de Ouro" e "Jesus Cristo". A apresentação é de Glória Maria.
Na apresentação de 2011, a equipe incluiu mais de 300 pessoas, entre elas o iluminador britânico Patrick Woodroffe, responsável por shows dos Rolling Stones e Pink Floyd. No palco, Roberto foi acompanhado por 25 músicos regidos pelo maestro Eduardo Lages.
Nos intervalos das músicas, há trechos do passeio do cantor pelos principais lugares de peregrinação. Enfrentando o calor de 40 graus do verão israelense da época, Roberto Carlos esteve na Igreja do Santo Sepulcro, na Via Dolorosa, no Muro das Lamentações e no Jardim do Getsêmani, no Monte das Oliveiras.


fonte: Blog Lauro Jardim - 13.12.2020
VEM AÍ A NOVA MÚSICA DE ROBERTO CARLOS

Depois de dois anos sem lançar música, Roberto Carlos manda para as plataformas de streaming em janeiro "Bicho solto", uma balada pop de letra bem-humorada.
Foi composta e gravada por ele no período de pandemia.


fonte: R7 Online- 05.11.2020
ESPECIAL DE ROBERTO CARLOS NA GLOBO AINDA NÃO TEM CONFIRMAÇÃO

Especial de Roberto Carlos corre o risco de não ser apresentado
Novembro em curso e até o momento não existem detalhes sobre a programação de fim de ano da Globo.
A grande expectativa, claro, é o especial de Roberto Carlos, uma tradição.
Por enquanto não há uma informação oficial se será exibido ou não.
Consultada, a informação é que a grade ainda “está sendo fechada”.
Na verdade, mesmo em se tratando de Globo, que costuma fechar a programação de dezembro com muita antecedência, essa demora é natural.
Os especiais musicais têm como uma de suas características as aglomerações. Não só em ginásios, estádios de futebol, mas também nos estúdios de TV.
E é tudo o que não pode acontecer ou não é recomendável para este momento.
Daí a necessidade de estudos para a sua viabilização.
Se realmente algum programa do gênero for gravado, na Globo ou em qualquer outra emissora, terá que ser dentro do “novo normal”, adotando uma série de cuidados.
Fica o suspense.


fonte: Caras Online- 04.11.2020
DUDU BRAGA, FILHO DE ROBERTO CARLOS, REVELA QUE TRATAMENTO CONTRA O CÂNCER ESTÁ NA FASE FINAL O FILHO DE ROBERTO CARLOS ESTÁ LUTANDO CONTRA UM CÂNCER NO PERÍNEO

Dudu Braga conta que tratamento contra o câncer está no fim
! Dudu Braga está na fase final do seu tratamento contra um câncer.
O filho do rei Roberto Carlos foi diagnosticado pela terceira vez, em um ano e meio, com um tumor no pâncreas, e realizou a sexta sessão de quimioterapia, nesta última terça-feira, 3, acompanhado do médico Fernando Maluf.
Em entrevista para a colunista Fábia Oliveira, do jornal O Dia, Dudu falou sobre a reta final do tratamento. "Ainda faltam mais duas sessões e acredito que daqui a duas semanas eu termine o tratamento para poder fazer um novo exame e saber como o câncer reagiu", afirmou ele.


fonte: Aqui Tem Fofoca Online- 22.10.2020
COM ÚLTIMO CONTRATO VALENDO, ROBERTO CARLOS FARÁ LIVE NO FINAL DO ANO

Com o seu último contrato valendo com a TV Globo, Roberto Carlos pode perder o seu vínculo fixo com a emissora dos Marinhos, firmado em 1974, ou seja, há 40 anos.
Uma das definições sobre o tradicional show de fim de ano deve sair ainda no decorrer desta semana, neste ano por causa da pandemia do novo coronavírus será feito por live, sem plateia.
Até hoje, ele só não foi exibido em 1999, por causa do agravamento da doença de Maria Rita, esposa do artista na época, que morreu no mesmo ano. A direção da Globo tentou não fazer o ”especial”, porém como pode ser a despedida do ”rei” da emissora, segue o cronograma.
Roberto Carlos é o único artista que detém exclusividade com a Globo, segundo informações ele custou em 2007 cerca de R$ 10 milhões por um contrato de 13 anos, que venceria agora, em 2020.
A Globo procurada afirma que “os projetos de fim de ano ainda estão em fase de desenvolvimento”.


fonte: Tô Na Mídia Online- 21.10.2020
PROJETO EMOÇÕES DE ROBERTO CARLOS SERÁ EM JUNHO NA PRAIA DO FORTE NA BAHIA


O Rei Roberto Carlos está anunciando o Projeto Emoções que tradicionalmente acontece num navio em alto mar, será no próximo ano na semana dos namorados na Praia do Forte na Bahia. O evento acontecerá de 9 a 13 de junho de 202, na semana dos namorados no complexo hoteleiro Iberostar.
Assim como no cruzeiro, o Projeto Emoções terá diversas atividades com a presença do Rei, tendo como ponto alto seus shows acompanhados por sua orquestra e coral. O evento também celebrará os 80 anos de Roberto Carlos.
No repertório só clássicos além das surpresas apresentadas pelo rei interpretando canções em outros idiomas, duetos, como sempre convidando uma personalidade para dançar uma música românica, e finalizando com o esperado entrega de rosas.
Já o projeto ‘Emoções em Alto Mar’ de 2021 foi transferido para o verão de 2022.


fonte: Blog Michel Ferreira- 07.10.2020
ESPECIAL DE FIM DE ANO COM ROBERTO CARLOS DEVERÁ SER EM FORMATO DE LIVE

No ar há mais de 40 anos, nem o tradicional especial de fim de ano da Rede Globo com o cantor Roberto Carlos se livrou das mudanças causadas pela pandemia do coronavírus. A programação, que acontece desde 1974, deverá acontecer em formato de live neste ano. O plano inicial é de que a atração seja gravada em um estúdio, apenas com o cantor e os músicos de sua banda. Além disso, amigos do Rei participariam do especial através de depoimentos, também gravados. Um dos objetivos da emissora com o programa seria mandar palavras de apoio e esperança para os telespectadores. Entretanto, a Globo declarou que os projetos de fim de ano ainda estão em fase de desenvolvimento.


fonte: O Antagonista Online- 28.09.2020
JUSTIÇA NEGA A ROBERTO CARLOS E ERASMO POSSE DE 72 MÚSICAS

A Justiça de São Paulo negou a Roberto Carlos e Erasmo Carlos a posse sobre os direitos de 72 músicas, em disputa contratual com a editora Fermata. De acordo com o processo, os contratos foram assinados entre 1964 e 1987 e envolvem músicas como “É Preciso Saber Viver”, “Namoradinha de um Amigo Meu” e “Sentado à Beira do Caminho”.
Os artistas alegavam que o negócio não envolveu a cessão de direitos autorais, apenas o direito de exploração comercial, e que eles foram levados a ceder todos os direitos sem saber o que estavam fazendo.
Mas, segundo o juiz Rodrigo Ramos, da 2ª Vara Cível de São Paulo, os contratos são claros quanto à cessão de direitos autorais e nunca foram rescindidos.
“Quem celebra um contrato pensando se tratar de outro e não concorda com os termos do efetivamente assinado, com certeza não repetiria o mesmo ato novamente. Os autores, contudo, mantiveram a parceria com a ré por mais de duas décadas (de1964 a 1987), cedendo no período os direitos de 72 obras, com esses mesmos termos, o que novamente exclui a possibilidade de um erro de concepção”, escreveu o juiz, na sentença.
A única música que ficou com a dupla foi “Preciso Urgentemente Encontrar um Amigo”, porque, segundo o magistrado, foram apresentadas provas de que o contrato foi rompido.
Veja a lista de músicas que continuam com a Fermata:
• A Bronca da Galinha
• A Tristeza do Pinduca
• A Volta
• Allting Forandras Utom Varens ( versão)
• Alô Benzinho
• Canção de Enganar o Coração
• Champagne (Namoradinha de um Amigo Meu)
• Coqueiro Verde
• Deixe-me Outro Dia, Menos Hoje
• Dejame Otro Dia
• Desamarre meu Coração
• Dizem que Um Homem não pode Chorar (versão)
• Du Bist Die Sonne in Meinem Augen
• É Difícil Amar na Minha Idade
• É Duro ser Estátua
• E Por Isso Estou Aqui
• É Preciso Saber Viver
• Edifício Carinho
• El Regreso (versão)
• Ela É Boa Emoção
• Enamorado de La Novia de Un Amigo Mio (versão)
• Es Preciso Saber Vivir (versão)
• Estoy Enamorado de Ti (versão)
• Estou Apaixonado por Você
• Gotta Love Feeling (versão)
• I’ll Just Sit Here (versão)
• Io Mi Sento Abband donato (versão)
• Johnny Furacão
• Láppuntamento
• La Donna de Uno Amico Mio
• La Enamorada de Un Amigo Mio (versão)
• Largo Tudo e Venho te Buscar
• Le Rendez-Vous (versão)
• Lo Importante Es Saber Vivir
• Lucinha
• Meu Primeiro Amor
• Milhões de Vezes
• My Existence (versão)
• Namoradinha de um Amigo Meu
• Não Adianta mais Ficar me Esperando
• Não Adianta
• Nada Não é Papo para Mim
• Não Quero mais Saber de Mim
• Necesito Llamar su Atención (versão)
• O Dono da Bola
• Muro de Berlim
• Papai Noel Apanhou um Resfriado
• Peço a Palavra
• Preciso Chamar sua Atenção
• Preciso Encontrar um Amigo
• Promessa Promessa (versão)
• Que Bobo Fui
• Se Você Pensa
• Sentado à Beira do Caminho
• Sentado a la Vera del Camino (versão)
• Sentado a la Vera del Camino (outra versão)
• Se Tu Piensas
• Sitting in This Ugly Road (versão)
• Sou Feliz com Mamãe
• Telefonema
• Tenho Raiva do Mundo
• Todo Mundo está Falando (versão)
• Tomodachi no Koibito (versão)
• Você Sabe que Eu Não Volto Outra Vez
• Você Tem que Mudar meu Bem
• Você Vai Perder seu Bem
• Vou Deixar
• Vou Fechar a Porta
• Vou Ficar Nu para Chamar sua Atenção
• Vou Recomeçar


fonte: Extra Online- 21.09.2020
ROBERTO CARLOS FALA DO NERVOSISMO NO TEMPO DA TV AO VIVO:
'NÃO SABIA QUE EU SABIA APRESENTAR'

Figura importante na televisão brasileira, Roberto Carlos conversou remotamente com Glória Maria sobre a importância do veículo em sua trajetória e da experiência que viveu de apresentar um programa ao vivo na década de 60. Na época, o Rei comandava todos os domingos o programa "Jovem Guarda". E não esconde o nervosismo que sentia com o desafio.
"Foi uma alegria muito grande pra mim e foi uma coisa muito importante na minha vida, na minha carreira. Eu não sabia nem que eu sabia apresentar um programa de televisão. Logicamente o nervosismo antes de entrar no palco era muito grande, mas era um programa tão descontraído que a gente não sentia essa pressão. Eu falava da minha forma de falar, normal, não tinha script”, diz o cantor na entrevista que será exibida no segundo "Globo repórter" sobre os 70 anos de TV.
Roberto lembra também a primeira vez em que se viu num programa gravado na TV: “A 'Jovem Guarda' era ao vivo. Então, a primeira vez que eu me vi na televisão, num programa gravado, falei: caramba, eu sou assim? (risos) é isso que eu faço, né? Eu amei aquilo, queria ver aquilo outras vezes.”


fonte: Blog Social- 17.09.2020
ROBERTO CARLOS PODE SER O PRÓXIMO A SOFRER
COM OS CORTES DA GLOBO, DIZ JORNALISTA

Depois de encerrar o contrato com alguns nomes famosos como Antonio Fagundes e Tarcísio Meira; a Rede Globo agora deve repensar seus outros contratos, como o de Roberto Carlos. Pelo menos é isso o que deve acontecer nos próximos dias segundo o jornalista Flávio Ricco, do UOL. “Talvez não chegue a tirá-lo do casting, da exclusividade. Talvez uma redução ou mais presença dentro da programação anual da emissora. Pode ser interessante para ele”, explicou a apresentadora Cíntia Lima. Para quem não sabe, desde 1974 o cantor Roberto Carlos tem um contrato de exclusividade com a Globo. Assim, ele fica impedido de ser entrevistado por outros canais; assim como aparece anualmente no ‘Fim de ano da Globo’. Em 2007, outro jornalista do UOL informou que o cachê para mantê-lo exclusivo era nada menos que R$ 10 milhões.


fonte: Quem Acontece- 17.09.2020
DUDU BRAGA, FILHO DE ROBERTO CARLOS, FALA DE NOVO CÂNCER: "MEU PAI FICOU ARRASADO"
PRODUTOR MUSICAL JÁ HAVIA VENCIDO BATALHA CONTRA A DOENÇA OUTRAS DUAS VEZES

O produtor musical Dudu Braga, de 51 anos de idade, filho do 'rei' Roberto Carlos, de 79, que comemorou o fim de sua segunda luta contra o câncer em dezembro do ano passado, revelou que começou uma terceira batalha contra a doença.
No último dia 11, Dudu foi diagnosticado com três pequenos tumores no peritônio, membrana que recobre a parede abdominal, e iniciou a quimioterapia no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.
"Meu pai ficou arrasado. Eu também, na verdade", disse ele, que fez uma live no Instagram ao lado da mulher, Valeska Braga. O casal tem uma filha, Laura, que foi batizada com o mesmo nome da bisavó, mãe de Roberto Carlos.


fonte: Blog Mauro Ferreira- 03.09.2020
MÚSICAS PARA DESCOBRIR EM CASA
"MAIS UMA VEZ" (Maurício Duboc e Carlos Colla, 1978) com Roberto Carlos

Capa de 'Roberto Carlos', álbum de 1978 que apresentou a gravação original da balada
'Mais uma vez', de Maurício Duboc e Carlos Colla
? Os repertórios dos álbuns de Roberto Carlos nos anos 1970 e 1980 foram formados, em maior parte, por canções geradas ao longo da fundamental parceria do artista com Erasmo Carlos. Contudo, há compositores que, naquelas duas décadas, tinham lugares cativos nos discos de Roberto pela afinidade com o estilo do cantor.
O compositor carioca Maurício Duboc e o compositor fluminense Carlos Colla, por exemplo, abriram parceria valorizada por Roberto Carlos. Nada menos do que 17 músicas da dupla de compositores foram gravadas pelo cantor de 1971 a 1987. Entre estas 17 músicas, há grandes sucessos como Sonho lindo (1973) e Falando sério (1977).
Outras canções da dupla foram projetadas com menor força, mas são bonitas e merecem ser (re)descobertas. É o caso da melancólica balada Mais uma vez, apresentada em 1978 no álbum Roberto Carlos, produzido por Evandro Ribeiro com arranjos orquestrais criados e regidos pelo pianista e maestro norte-americano Jimmy Wisner (1931 – 2018).
Terceira das 11 músicas do álbum, na ordem do LP lançado com capa dupla em dezembro de 1978 em edição da gravadora CBS, Mais uma vez é bonita balada em cuja letra confessional o eu-lírico masculino remói lembranças de amor interrompido após ser concretizado duas vezes, no ímpeto da juventude e na realidade da vida adulta.
Conduzido pelo piano de Jimmy Wisner, o arranjo de Mais uma vez ganha cordas e crescente intensidade – em sincronia com a progressão dos acordes – quando a canção avança e narra o reencontro vislumbrado (mas não concretizado mais uma vez) por esse homem já maduro que, inseguro, fica paralisado diante da mulher amada.
Ofuscada pela maciça exposição radiofônica de outras canções do álbum (sobretudo Café da manhã, Fé e Lady Laura – três blockbusters da parceria de Roberto com Erasmo Carlos naquele ano de 1978), a balada Mais uma vez ficou conhecida somente pelos súditos mais fiéis do Rei. Fato lamentável, já que a interpretação da música por Roberto Carlos é primorosa, como é regra na discografia desse cantor de afinação, emissão tão exemplares quanto a combinação de técnica e emoção.
Na sequência da edição do disco no Brasil, o próprio Roberto Carlos regravou a canção – em versões em espanhol e em italiano, escritas para as edições latino-americana e italiana do álbum de 1978 – antes de Mais uma vez começar a ficar esquecida.
Em 1978, o tecladista Lafayette tocou a música em disco instrumental em que rebobinou todo o repertório do álbum lançado por Roberto Carlos naquele ano de 1978.
Em 1980, o ator paulistano Rubens de Falco (1931 – 2008) incluiu Mais uma vez na seleção romântica do disco Os detalhes... de Roberto Carlos, LP em que declamou 14 músicas do repertório do Roberto Carlos sobre fundo musical. Há também obscuro registro da canção na voz da cantora Cláudia Moura em gravação feita para o álbum Emergentes da madrugada.
? Ficha técnica da Música para descobrir em casa 11 :
Título: Mais uma vez
Compositores: Maurício Duboc e Carlos Colla
Intérprete original: Roberto Carlos
Álbum da gravação original: Roberto Carlos
Ano da gravação original: 1978
Regravações que merecem menções: a declamada feita pelo ator Rubens de Falco no disco Os detalhes... de Roberto Carlos (1980).
? Eis a letra da canção Mais uma vez:
“Quando eu te amei
Pela primeira vez
Tudo era poesia
A juventude andava em nossos corpos
Em nossa fantasia
E eu te amei como um menino pode amar
E me perdi em sonhos
Quando você foi embora, eu chorei
Como um menino sabe chorar
Quando eu te amei
Pela segunda vez
Já era um homem feito
E nos meus braços você foi mulher
Com todos os defeitos
E eu te amei como um adulto sabe amar
Com toda realidade
Quando você foi embora, eu chorei
Como um homem não deve chorar
Quando a solidão
Revivendo as lembranças
Me fez sentir um resto de esperança
Você passou pela rua
E o passado voltou
A lembrar seus abraços
E mais uma vez eu te amei
E lembrei de você
Linda e nua em meus braços
Quase que chamei você
Mas olhei pra mim mesmo
E parei os meus passos
De tanta saudade, percebi
Que um homem
Também sabe chorar”


fonte: O Globo- 30.08.2020
UM AR DE NORMALIDADE
2020 foi completamente atípico, mas terminará como todos os últimos 46 anos – com o especial de fim de ano de Roberto Carlos na Globo. Já está definido que o show será gravado com convidados especiais e, provavelmente, nos Estúdios Globo – mas sem plateia, afinal Roberto, que já era conhecido por ter preocupações com vírus e germes, antes da pandemia, ainda mais paranoico do que nunca com a higienização dos ambientes. Estão previstas também gravações externas com Roberto. No programa, que será novamente dirigido por Boninho, o rei deve lançar uma de suas quatro novas canções que gravou recentemente.


fonte: Site Oficial RC- 05.08.2020
SHOWS REMARCADOS



fonte: O Globo Online- 11.07.2020
ROBERTO CARLOS RECUPERA NA JUSTIÇA
O DIREITO SOBRE SUAS OBRAS PRODUZIDAS NAS DÉCADAS DE 1960 A 1990

Roberto Carlos conseguiu na Justiça a rescisão de seus contratos de cessão de direitos autorais com a Universal Publishing e a Irmãos Vitale, ação movida pelo advogado Berith Santana. Com a decisão da 2ª Vara Empresarial, o Rei recupera o direito sobre as obras produzidas nas décadas de 1960 a 1990, período em que compôs os seus principais sucessos.


fonte: O Globo Online- 12.06.2020
"AS PESSOAS NÃO CONHECEM O LADO BEM-HUMORADO DO ROBERTO CARLOS',
DIZ LIAH SOARES, QUE GRAVOU DUETO COM O REI
Grávida de 8 meses, cantora espera primeira filha e lançamento da música 'A cor do amor' em novela

Roberto Carlos e Liah Soares
Depois de Ivete, Elba, Sandy & Junior, Maria Gadú e Ivan Lins gravarem músicas de Liah Soares, chegou a vez de Roberto Carlos. Além de escolher “A cor do amor” para entrar em seu repertório, o Rei convidou a artista paraense para cantar junto, em um dueto que vai entrar na trilha sonora da próxima novela das nove da TV Globo, "Um lugar ao sol", de Lícia Manzo, que sucederá "Amor de mãe". “Durante o Círio de Nazaré do ano passado, ele me ligou dizendo que a minha música era um hit e me fez o convite”, conta a compositora. “Gravamos em janeiro, no estúdio dele na Urca. Foi um sonho. As pessoas não conhecem o lado bem-humorado do Roberto, que tive o prazer de conhecer”.
Dois meses depois, a dupla gravou o clipe da música, ainda sem data de lançamento. "Quando contei para ele que estava grávida, ele pediu para agilizarmos o clipe antes que a minha barriga começasse a aparecer. Fizemos poucos dias antes do início da quarentena". Liah conhece Roberto Carlos há oito anos, por conta de amigos em comum. "No 'The Voice', cantei uma música dele, que já conhecia o meu trabalho autoral", conta. "Sempre sonhei em cantar com ele no especial de Natal, será que esse ano vai?", indaga. A música que vão gravar juntos fala sobre uma amizada que virou paixão. "O compositor se alimenta de vida. Acho que muita gente vai se identificar com a letra. Eu mesma era amiga do meu marido", conta ela, casada com o ator Carlo Porto. A primeira filha do casal, ainda sem nome definido, deve nascer em breve. Mês passado, Liah lançou mais uma música do álbum "Infinito", "Bossa Diluviana", uma composição em parceria com Guilherme Fiuza.


fonte: Nordeste Notícias Online- 08.06.2020
SAIBA QUEM COMPROU O IATE DE ROBERTO CARLOS
É cantor sertanejo que não atrasou o pagamento de seus funcionários, mesmo sem shows, durante a pandemia.
O cantor Gusttavo Lima comprou o iate do Rei Roberto Carlos Lady Laura IV.
Pagou R$ 25 milhões.

Como NE Notícias informou, Roberto Carlos já havia vendido dois iates e decidiu ficar com o Lady Laura III, decorado por Maria Rita.


fonte: Isto É Online- 29.05.2020
CANTORA DE 27 ANOS É APONTADA COMO NOVA NAMORADA DE ROBERTO CARLOS

O cantor Roberto Carlos, de 79 anos, pode estar vivendo um novo amor. De acordo com o programa ‘ A Tarde é Sua’, comandado por Sonia Abrão, na RedeTV!, o artista estaria vivendo um romance a cantora capixaba Tamara Angel, de 27 anos, que participou da sétima edição do ‘The voice Brasil’, da TV Globo. Ainda segundo informações da atração, o namoro do casal teria começado antes da quarentena e segue a distância.
Nas redes sociais de Tamara, ela tem algumas postagens ao lado do Rei: “Dei um pulo no Rio ontem pra visitar um amigão”. “Um TBT memorável com o Rei e cachoeirense. Muita admiração e respeito pelo conterrâneo”, escreveu ela na legenda das publicações.
Em recente entrevista para o canal “Lisa, Leve e Solta”, da jornalista Lisa Gomes, Dudu Braga, filho do cantor, falou sobre a vida amorosa do pai, que sempre mantém a discrição quando o assunto é relacionamento. No bate-papo, Dudu deixou escapar que existe sim uma mulher na vida do Rei.
“Está chegando esse momento. Percebo no meu pai que o coração dele está se abrindo novamente para de repente assumir alguém”, disse Dudu.

fonte: Bahia Comenta Online- 27.05.2020
ROBERTO CARLOS RETORNA À BAHIA COM PROJETO EMOÇÕES EM 2021

O projeto Emoções do rei Roberto Carlos, tradicionalmente realizado em um cruzeiro em alto mar, acontecerá em terra firme. A assessoria do cantor confirmou o retorno do show de Roberto ao Iberostar Praia do Forte no próximo ano. A última vez que o cantor se apresentou no complexo hoteleiro foi em fevereiro de 2017. O objetivo é atingir o público na semana do dia dos namorados e acontecerá, conforme a previsão, de 09 a 13 de junho de 2021. O cruzeiro retorna no projeto do verão de 2022. Para mais informações sobre pacotes, envie um e-mail para contato@projetoemocoes.com.br


fonte: Isto É Online- 27.05.2020
FILHO DE ROBERTO CARLOS FALA SOBRE O PAI TER UM NOVO AMOR:
"ELE TEM QUE PROCURAR"

Dudu Braga, filho do cantor Roberto Carlos, durante uma entrevista para o canal “Lisa, Leve e Solta”, da jornalista Lisa Gomes, falou sobre a vida amorosa do pai, que sempre mantém a discrição quando o assunto é relacionamento. No bate-papo, Dudu deixou escapar que existe sim uma mulher na vida do Rei.
“Está chegando esse momento. Percebo no meu pai que o coração dele está se abrindo novamente para de repente assumir alguém”, disse Dudu Braga.
O radialista ainda lembrou da ex-mulher de Roberto, Maria Rita, que morreu em 1999, vítima de um câncer na região pélvica. “Outra Maria Rita ele não vai encontrar e se ele procurar isso, ele não vai encontrar, ele tem que procurar um novo amor. Ela foi o grande amor da vida do meu pai. Ele é um homem no tempo dele. É claro que já passaram algumas pessoas pela vida dele, isso não tenho dúvida nenhuma”, contou.
Querendo muito que o pai volte a amar de novo, Dudu disse que até pensou em usar seu programa de rádio para encontrar uma nova madrasta. “Eu queria fazer uma promoção na rádio. Se candidate a madrasta do Dudu! Eu gostaria de ter uma madrasta”, brincou ele.

fonte: O Dia Online- 27.05.2020
FILHO DE ROBERTO CARLOS DIZ QUE CANTOR TEM UM NOVO AMOR
O Rei evita falar sobre o assunto, mas em algumas entrevistas deixou a entender
que estava disposto a conhecer pessoas novas

Rio - Parece que o coração de Roberto Carlos está ocupado. O Rei evita falar sobre o assunto, mas em algumas entrevistas chegou a comentar que seu coração estava aberto em busca de um novo amor e o seu filho, Dudu Braga deixou escapar que existe uma mulher sim na vida do pai. E mais: que RC pode revelar o nome da nova amada: "Está chegando esse momento. Percebo no meu pai que o coração dele está se abrindo novamente para de repente assumir alguém".
Em entrevista ao canal "Lisa, Leve e Solta", da jornalista Lisa Gomes, Dudu ainda lembrou de Maria Rita, que morreu em 1999, vítima de um câncer na região pélvica. "Outra Maria Rita ele não vai encontrar e se ele procurar isso, ele não vai encontrar, ele tem que procurar um novo amor. Ela foi o grande amor da vida do meu pai".
Dudu também entregou que, após a morte de Maria Rita, Roberto Carlos chegou a se arriscar em novos amores: "Ele é um homem no tempo dele. É claro que já passaram algumas pessoas pela vida dele, isso não tenho dúvida nenhuma", revela.
Chamado carinhosamente de Segundinho, Dudu é radialista e diz que até pensou em usar seu programa de rádio para encontrar uma nova madrasta. "Eu queria fazer uma promoção na rádio. Se candidate a madrasta do Dudu! Eu gostaria de ter uma madrasta", brinca.

fonte: Área Vip Online - 26.05.2020
FILHO DE ROBERTO CARLOS FAZ REVELAÇÃO ÍNTIMA SOBRE O PAI

O rei Roberto Carlos, que está com 79 anos, está prestes a assumir um novo amor. Sempre muito discreto em relação à vida pessoal, o cantor sempre evita falar sobre esse assunto, mas em algumas entrevistas recente ele comentou que seu coração estava aberto e em busca de um novo amor.
O ídolo da Jovem Guarda está buscando uma companheira para dividir a vida, e quem revelou essa informação foi o próprio filho do artista, Dudu Braga, durante uma entrevista ao ‘Canal Lisa, Leve e Solta’ da jornalista Lisa Gomes.
O rapaz confessou que o grande amor da vida do seu pai foi Maria Rita, que morreu em 1999 vítima de um câncer na região pélvica. O relacionamento com ela foi o último casamento de Roberto, e Duda explicou que mesmo tendo alguns casos, o rei nunca encontrou um amor como teve com ela.
“Outra Maria Rita ele não vai encontrar e se ele procurar isso, ele não vai encontrar, ele tem que procurar um novo amor, mas acho que tá chegando a hora”, afirmou o radialista.
“Ele é um homem no tempo dele. É claro que já passaram algumas pessoas pela vida dele, isso não tenho dúvida nenhuma”, revela ele, que garante que sempre teve uma boa relação com a madrasta. “Maria Rita era minha amiga”, garantiu.
Dudu também revelou que ele e Roberto são bons amigos e parceiros, e que sempre que estão juntos gostam de conversar bastante, principalmente sobre relacionamentos, e o radialista confessou que o rei é um ótimo conselheiro. “Ele abre o coração comigo pra falar de amores, ele sempre me deu ótimas dicas”, afirma.
Ele ainda brincou sobre encontrar uma nova madrasta e para isso vai usar seu programa no rádio. “Eu queria fazer uma promoção na rádio. Se candidate a madrasta do Dudu! Eu gostaria de ter uma madrasta”, brinca.
Atencioso nos sinais do pai, Dudu garante que em breve Roberto Carlos deve revelar uma nova paixão. “Tá chegando esse momento. Percebo no meu pai que o coração dele tá se abrindo novamente pra de repente assumir alguém”.


fonte: Diário de Pernambuco Online- 15.05.2020
CRUUZEIRO DE ROBERTO CARLOS É ADIADO PARA 2022 POR CAUSA DA PANDEMIA

Desde 2005, Roberto Carlos sai em um cruzeiro de cinco dias
lotado de fãs e canta seus grandes sucessos.
O tradicional cruzeiro do cantor Roberto Carlos, Emoções em Alto Mar, foi adiado para 2022. O evento aconteceria entre 6 e 10 de fevereiro do ano que vem, mas agora ocorrerá no verão do ano seguinte. Segundo a assessoria de imprensa de Roberto Carlos, o motivo é a pandemia do novo coronavírus. Como não é possível saber como a situação estará até fevereiro de 2021, a decisão de adiar agora foi a mais prudente para evitar cancelamentos mais perto do embarque no cruzeiro.
Segundo a assessoria, os passageiros chegam de muitos lugares tanto do Brasil como do mundo, e a aglomeração seria inevitável. Por prudência, portanto, foi tomada a medida de adiamento. Quem já comprou terá de esperar mais um tempo. Porém, o projeto Emoções na Praia do Forte (BA), apresentação similar à que ocorre no cruzeiro, segue marcado para o segundo semestre de 2021. Este, em terra firme.
HISTÓRICO
Desde 2005, Roberto Carlos sai em um cruzeiro de cinco dias lotado de fãs e canta seus grandes sucessos em um supernavio que singra pela costa brasileira. Em fevereiro de 2020, aconteceu a 16ª edição desse projeto, chamado Emoções em Alto Mar, e veja bem, bicho: foi mesmo um mar de altas emoções ter feito parte do grupo de cerca de 70 jornalistas que subiu a bordo no dia 16.
Houve uma inesperada trombada do nosso barquinho ao chegar no navio, vaias épicas na entrevista coletiva e um show de primeira com o rei desfiando um repertório excelente. Tudo isso no barco MSC Fantasia, com capacidade para 4.300 pessoas e ancorado a cerca de 500 metros da costa de Búzios.
Pouco antes das 23h, Roberto iniciou o segundo show dos três que faria na viagem. Como o teatro não comporta todos os passageiros, eles são divididos em três grupos. A apresentação foi excelente. É um teatro mais intimista do que os estádios ou casas de shows em que canta normalmente. Isso traz uma proximidade muito grande do público com seu rei.
Até demais: dos camarotes superiores próximos ao palco, era possível ver a tela, como a de uma TV, que ficava aos seus pés com as letras das canções. Piadinhas, cacos e interações com o público também estavam todas lá, previamente redigidas.


fonte: G1 Online- 14.05.2020
EDIÇÃO DE 2021 DO PROJETO EMOÇÕES EM ALTO MAR,
TRADICIONAL CRUZEIRO COM ROBERTO CARLOS, É CANCELADA
Segundo assessoria, edição foi transferida para 2022.
Mudança foi feita 'visando o conforto e o bem estar dos clientes e passageiro'’.

Roberto Carlos embarcou no cruzeiro Emoções em Alto Mar em 2020
A edição de 2021 do Projeto Emoções em Alto Mar, o tradicional cruzeiro com Roberto Carlos, foi cancelada.
Segundo a assessoria, o evento que aconteceria entre os dias 06 e 10 de fevereiro de 2021 foi transferida para 2022. A mudança foi feita "visando o conforto e o bem estar dos nossos clientes e passageiros". A nova data do projeto de verão ainda não foi anunciada.
Segue programado para 2021 uma outra edição do Projeto Emoções, esta em terra firme e acontecendo na Praia do Forte, na Bahia.
O "Projeto Emoções Praia do Forte", acontece na Semana dos Namorados, celebrando a data romântica no Brasil. O vento será realizado no complexo hoteleiro Iberostar de 09 a 13 de junho de 2021.
Assim como no cruzeiro, o evento tem shows de Roberto Carlos na companhia de sua orquestra e coral.
Live de quarentena
Durante o período de quarentena, Roberto Carlos já realizou duas lives. Na primeira, realizada em abril, celebrou seu aniversário de 79 anos. Na segunda, feita no último domingo (10), fez uma homenagem ao Dia das Mães.



fonte: Blog Social 1 Online- 11.05.2020
LIVE DE ROBERTO CARLOS TEM RECORDE DE DOWNLOADS DE ROSAS VERMELHAS

Roberto Carlos acena para fãs
A última live do cantor Roberto Carlos, no último domingo, 10, contou com uma distribuição digital de rosas, acredita? A tradicional entrega das flores aconteceu através de um QR Code disponível na tela da apresentação. Quem prestigiasse o show poderia baixar, compartilhar ou até mesmo presentear a tal rosa vermelha. O sucesso, claro, foi instantâneo: 2 milhões de downloads foram realizados durante o ao vivo! Incrível, não?


fonte: Extra Online- 11.05.2020
ROBERTO CARLOS ACENA PARA FÃS APÓS DEIXAR ESTÚDIO NA ZONA SUL DO RIO

Roberto Carlos acena para fãs
Já era noite quando Roberto Carlos deixou o estúdio de onde apresentou sua live no bairro da Urca, Zona Sul do Rio, no último domingo. Simpático, o Rei acenou para fãs que encontrou pelo caminho. O cantor deixou o local do mesmo jeito que chegou: dirigindo o próprio automóvel. Ele usava máscara no rosto, na ocasião.
E não é qualquer calhambeque, não! Trata-se de um modelo Audi, na cor vermelha. O carro, avaliado em cerca de R$ 700 mil, é conversível e com teto solar. Foi nele que, horas antes, Roberto deixou a sua residência, no mesmo bairro. Religioso, ele fez questão de fazer o sinal da cruz antes de sair do local.
A live de Roberto Carlos foi transmitida pela televisão e também pela internet. Na apresentação, cantou diversas canções clássicas que integram o seu repertório. Ele abriu o show com "Lady Laura", música que leva o nome de sua mãe.



Roberto Carlos deixa estúdio de máscara
Após o show no estúdio, um lanche foi servido na área externa para o pessoal que trabalhou com Roberto, informou a equipe do artista.


fonte: Extra Online- 10.05.2020
ROBERTO CARLOS VAI A ESTÚDIO DIRIGINDO CARRO DE CERCA DE R$ 700 MIL NO RIO

Roberto Carlos a caminho do estúdio
Quem é Rei não perde a majestade. Roberto Carlos saiu de sua residência na Urca, Zona Sul do Rio, e foi dirigindo o próprio veículo até o estúdio para transmissão sua live especial para o Dia das Mães. Pela ruas do bairro, o não guiava um Calhambeque, como diz um dos clássicos de seu cancioneiro, mas um Audi V10, na cor vermelha.
O automóvel dirigido pelo rei tem valor de cerca de R$700 mil. Trata-se de um modelo conversível, com teto solar. Religioso, Roberto Carlos fez questão de fazer o sinal da cruz, antes de deixar a sua residência, no início da tarde desta domingo.
Antes de a live iniciar, o Rei reiterou o convite para a apresentação em suas redes sociais. "Venha Assistir a Live", consta de uma mensagem publicada em sua conta no Twitter. O cantor abriu a apresentação com a canção "Lady Laura", mãe do artista.



fonte: GShow Online- 08.05.2020
EDUARDO LAGES ADIANTA DETALHES DA LIVE COM ROBERTO CARLOS EM HOMENAGEM AO DIA DAS MÃES: 'UMA EMOÇÃO MUITO GRANDE'. PARCEIRO DO CANTOR HÁ 42 ANOS, MAESTRO DIZ QUE JAMAIS IMAGINOU PASSAR PELA EXPERIÊNCIA DE FAZER UM SHOW VIRTUAL E FALA SOBRE O QUE ESTÃO PREPARANDO PARA A TRANSMISSÃO DESTE DOMINGO, 10/5
Maestro, instrumentista, arranjador, regente, produtor musical e compositor, Eduardo Lages é uma referência na música brasileira – e, aos 73 anos, ainda encontra formas de se reinventar. Dos 55 anos de carreira, 42 são dedicados a uma parceria e amizade com Roberto Carlos, e é ao lado do Rei que ele vive neste domingo, 10/5, mais um capítulo inédito em sua história. Acompanhados de outros quatro músicos, os dois fazem uma live às 15h, com transmissão na TV Globo, em homenagem ao Dia das Mães.
O isolamento social decorrente da pandemia do novo coronavírus tem feito muitos artistas recorrerem às transmissões on-line para manterem o contato com o público e, com eles, não foi diferente. Depois de um primeiro show em abril, no dia do aniversário de Roberto, eles se preparam para fazer uma nova live, no próximo fim de semana. Eduardo conta que essa é uma experiência que nunca imaginou viver, mesmo após tantos anos de carreira: "É curioso, porque estou há 42 anos com ele e não passei por uma situação dessa, uma coisa tão inusitada que é o caso de fazer lives."
Para quem está acostumado a fazer shows para grandes plateias, a sensação de não poder sentir o calor o público que está assistindo chega a gerar um certo desconforto. "Eu fico muito nervoso, é uma sensação muito estranha. Me sinto aflito quando faço, porque você olha para uma câmera pequena e vai tocando a música, imaginando que tem milhares de pessoas ouvindo e vendo, mas você não vê absolutamente nada. É bastante diferente do que estamos acostumados. Imagino que o Roberto deva sentir exatamente o mesmo", diz o maestro.
Ao mesmo tempo, poder manter algum contato com o público em meio a esta quarentena tem sido um prazer. "Faz muito bem à gente. Por mais que estejamos no nosso ambiente, ficamos nervosos, porque queremos nos mostrar de alguma forma mais, queremos dar carinho para as pessoas. E esse carinho que estamos dando acaba sendo um carinho para conosco também. É uma sensação muito boa".

Roberto Carlos faz sua primeira live com apenas dois músicos,
o maestro Eduardo Lages e o tecladista tutuca
Nos preparativos para o show do próximo domingo, Eduardo conta como surgiu a ideia de fazer uma nova apresentação. "Na vez passada, o Roberto fez a live só com dois músicos: eu e o Tutuca, que é o tecladista da banda dele. E foi muito bom, ele ficou muito feliz com o que fez e todos nós nos sentimos muito felizes, até que ele falou: 'Quero fazer agora uma live para o Dia das Mães'", diz.
O maestro aproveita para adiantar alguns detalhes do que vem por aí e matar a curiosidade dos fãs. Para começar, a banda terá uma estrutura mais completa – o que não quer dizer que os cuidados com o vírus diminuíram.
"Desta vez, vêm mais três músicos, seremos cinco no total. Vamos estar num estúdio grande, com um espaço bem amplo para manter a distância recomendada. Ensaiamos conforme da outra vez, com máscaras, todos protegidos. O Roberto tem um cuidado muito grande com isso, e faz muito bem. Temos que nos cuidar mesmo."
Sobre o repertório, Eduardo conta que eles só costumam bater o martelo pouco antes da apresentação. "Da outra vez também foi meio em cima da hora que resolvemos o repertório, vamos experimentando certas coisas", explica ele, adiantando duas canções que já estão definidas e prometem emocionar:
"Claro que, por ser Dia das Mães, o ponto alto vai ser ele cantando tanto 'Lady Laura' quanto a música 'Nossa Senhora'. Acho que isso não vai faltar. A maior emoção dessa live vai ser o Roberto cantar essas duas músicas."
Sem entregar muito, ele garante que público também pode esperar por algumas surpresas. "Vai haver uma ou outra música que a gente não esteja acostumado a cantar em nossos shows na estrada, que são tantos. Mudar alguma coisa, uma surpresinha. Nesta sexta-feira vamos sentar e todos vão dar palpites. Ele, principalmente, e nós, os músicos, vamos dar sugestões para tentar fazer com que seja da forma mais bonita".
"É uma emoção muito grande. Nós todos ficamos muito emocionados na gravação do aniversário do Roberto e, agora, essa emoção só tende a aumentar. Estamos ali para dar o nosso amor, o nosso carinho."

Além da parceria com Roberto Carlos,
Eduardo Lages também tem feito suas próprias lives nas redes sociais
E quem ficar com saudades do maestro entre uma live e outra do Rei também pode conferir as transmissões que Eduardo tem conduzido de sua casa. Ele tomou gosto pela coisa e tem dividido com o público frequentemente um pouco do seu repertório. "Estou fazendo as minhas próprias lives. Claro que muito mais simples, eu sozinho, na minha casa, sentado no piano, contando um pouquinho da minha carreira. Mas, de qualquer forma, dando uma alegria, um pouco de música para os amigos, as amigas e as pessoas que gostam da gente", diz ele, que tem divulgado a agenda em suas redes sociais. Por ora, o maestro faz seu convite final para o show deste domingo ao lado de seu parceiro de tantos anos:
"É muito prazeroso isso, eu me sinto muito bem e tenho certeza que o Roberto também. Vai ser lindo, num domingo, Dia das Mães, à tarde. Tomara que muita gente assista. O repertório com certeza vai ter as músicas que o público gosta e mais alguma coisa, uma provável surpresa."


fonte: Blog Mauro Ferreira - 05.05.2020
ROBERTO CARLOS REVELA 'A COR DO AMOR' COM LIAH SOARES EM GRAVAÇÃO PARA NOVELA
Terceira atração do projeto 'Em casa', da TV Globo, cantor faz live no Dia das Mães.

Em fevereiro, Roberto Carlos revelou, em entrevista durante a 17ª edição do projeto Emoções em alto mar, o plano de gravar dueto com a cantora e compositora paraense Liah Soares em música romântica de autoria da própria Liah. A música se chama A cor do amor e é uma parceria de Liah com Iana Marinho. A gravação com Roberto e Liah foi idealizada para a trilha sonora da próxima novela das 21h da TV Globo, Um lugar ao sol, escrita por Lícia Manzo com direção de Maurício Farias.
E por falar em Roberto Carlos, o cantor é a terceira atração do projeto multimídia de lives Em casa, criado pela TV Globo em parceria com a plataforma Globoplay e com os canais de TV Multishow e GNT. Às 15h do próximo domingo, 10 de maio, Dia das mães no calendário de 2020, o cantor fará a segunda live da carreira dentro da programação do projeto Em casa.
Dedicada ao público feminino que segue o artista com fidelidade, a apresentação ao vivo de Roberto Carlos tem garantida no roteiro a música Lady Laura, composta pelo artista com Erasmo Carlos e lançada pelo Rei no álbum Roberto Carlos de 1978 como homenagem à mãe do cantor, Laura Moreira Braga (1914 – 2010).


fonte: Puente Libre - 04.05.2020
ROBERTO CARLOS OFRECERÁ CONCIERTO VIRTUAL POR EL DÍA DE LAS MADRES
El interprete Roberto Carlos, compartió en redes sociales que ofrecerá un concierto virtual para el festejo del día de la madre, el próximo 10 de mayo, a través de su canal de YouTube.

Roberto Carlos dará un concierto virtual, para celebrar el día de las madres el próximo 10 de mayo, así lo dio a conocer a través de Instagram.
“Confirmado, el día de las madres, el 10 de mayo, Roberto Carlos hará un en vivo, próximamente más información ", escribió.
El tema Lady Laura destacará en la presentación,ya que Roberto Carlos la compuso dedicada a su madre, Laura Moreira Braga, fallecida en 2010.
Anteriormente Roberto Carlos, realizó un concierto virtual a principios de abril, con motivo de su cumpleaños. En esta ocasión será acompañado por sus músicos, Eduardo Lages y el tecladista Tutuca Borba.


fonte: RD1 Online - 03.05.2020
BASTIDORES DA LIVE DE ROBERTO CARLOS REVELAM DETALHES IMPRESSIONANTES
Roberto Carlos faz pedidos especiais para realizar lives

Aos 79 anos, Roberto Carlos acompanhou o momento e reinventou seu conceito de show para conseguir realizar as tão pedidas lives durante o período de isolamento social, recomendado como medida preventiva contra o novo Coronavírus. Entretanto, algumas regras curiosas precisam ser seguidas para que os eventos aconteçam.
Segundo publicação do Jornal Extra, apesar de manter os detalhes discretos, foram reveladas algumas exigências do Rei. A principal delas é a redução máxima do número de colaboradores envolvidos para que a live aconteça. Participam apenas o maestro Eduardo Lages e um músico, além do diretor artístico e de Boninho, da Rede Globo.
Outra integrante indispensável é a cabeleireira e maquiadora de Roberto, Neide, responsável por garantir que a aparência do cantor esteja impecável, mesmo numa transmissão via internet. Apesar da importância dela, Roberto foi bem claro quanto à orientação: é preciso que ela use luvas, proteção para os pés e máscara. “Não entenda como assédio, é uma súplica”, justificou ele.
Também por prevenção, o cantor vedou a participação de outros músicos de forma presencial na live, apesar dos pedidos constantes por um dueto com Erasmo Carlos.
A próxima live de Roberto acontece no domingo (10), às 15h, e será transmitida pela Globo, Globoplay, Multishow e no canal do cantor no YouTube. Na ocasião, ele vai incrementar o repertório com a música ‘Lady Laura’. A canção foi por ele, em homenagem à sua mãe, e vai ser uma uma extensão da homenagem que ele fará a seu público feminino, já que muitas mães estarão longe dos filhos na data.


fonte: MidMax Online - 02.05.2020
ROBERTO CARLOS VAI FAZER LIVE DE 70 MINUTOS NO DIA DAS MÃES
A transmissão seguirá o modelo da Globo em todas as multiplataformas

No dia 11 de maio, Dias das Mães, terá live de Roberto Carlos. A transmissão ao vivo terá duração de 70 minutos e seguirá modelo da Globo das lives nas multiplataformas (YouTube oficial do artista, TV aberta, Globoplay, Instagram e Multishow). Segundo a coluna de Fábia Oliveira, do Portal O Dia, Facebook e o Twitter também vão transmitir o show do rei.


fonte: São Gonçalo Online - 29.04.2020
TV GLOBO DIVULGA HORÁRIO DA LIVE DE ROBERTO CARLOS
A transmissão será realizada no dia das mães

O Rei garante que o repertório 'Lady Laura' não irá faltar.
A Rede Globo divulgou hoje (29) a data e horário da live da estrela, Roberto Carlos. No próximo dia 10 de maio, às 15h, a transmissão será feita para homenagear às mães no horário de almoço em família.
O Rei promete que não faltará o repertório de 'Lady Laura', feita para a matriarca de suas famílias. Além de muitos outros de seus sucessos mais aclamados pelos fãs.


fonte: G1 Online - 23.04.2020
ROBERTO CARLOS ANUNCIA LIVE PARA O DIA DAS MÃES
Cantor vai fazer homenagem às mães com 'Lady Laura'
e outros sucessos no dia 10 de maio, domingo.

Roberto Carlos confirmou nesta quinta-feira (23) uma live no Dia das Mães. Será a segunda transmissão ao vivo do cantor durante a quarentena do novo coronavírus.
"Pela primeira vez na história as mães estão longe dos filhos e netos, por conta da quarentena. A live marcada para o dia 10 de maio irá unir a família em torno do programa e desta forma RC presenteará todas as mamães com a canção 'Lady Laura' (música feita para a mãe de Roberto) e outros grandes sucessos", diz o comunicado divulgado pela assessoria de imprensa do cantor.
Ainda não foram divulgados horário e detalhes sobre como será a transmissão.


fonte: Blog Jacieny Dias - 20.04.2020

O rei Roberto Carlos se rendeu as lives. E foi no dia do seu aniversário de 79 anos, no domingo (19), que o cantor saiu da sua quarentena e presenteou os fãs com uma apresentação de 1h, direto de seu estúdio, no bairro da Urca, no Rio de Janeiro, e transmitida pela TV Globo, Globoplay e Youtube.
Roberto, que foi acompanhado do maestro Eduardo Lages e de Tutuca Borba, nos teclados, cantou sucessos como “Emoções”, “Detalhes”, “Canzone per te”, “Nossa Senhora” e “Como é grande o meu amor por você”. Em 60 minutos de live, teve mais de 1.400.00 pessoas assistindo, simultaneamente, com 7.957.657 visualizações e quase 4 mil comentários. Além de brasileiros, a apresentação de Roberto foi assistida também por peruanos, mexicanos e espanhois. A apresentação do cantor rendeu muitos elogios. “Essa live vai estar pra sempre no meu coração. Perfeita”, disse uma fã. “Trilha sonora da vida de muitos brasileiros...por isso é o rei da nossa música popular! Deus te abençoe sempre”, escreveu outra internauta. “Feliz aniversário Roberto Carlos. Eu amo todas as músicas que vc canta”, escreveu outra fã. “Parabéns ao Roberto Carlos por tudo, carreira, voz e talento. Deus te abençoe”, disse um fã. “Quero agradecer a todos vocês que estão assistindo essa live, sei que são milhares de mensagens. Quero agradecer todo esse carinho, todo esse amor que estou recebendo”, disse Roberto.
O artista também agradeceu a todos os profissionais que estão trabalhando nesse momento tão delicado. “Quero falar dos heróis que nós estamos conhecendo em toda esta situação. Todo o pessoal da saúde, todo o pessoal necessário pra nós, os médicos, os enfermeiros e os caminhoneiros”. A live teve um total de 12 músicas que emocionaram, inclusive Euzinha. No final da live, o aniversariante soprou as velinhas, cortou o bolo e dedicou o primeiro pedaço a todos que assistiam a live, que nesse momento chegou a 1.440.00 pessoas. "Obrigado por tudo e um beijo pra todos", falou Roberto.


fonte: O Dia Online - 19.04.2020
COR DO FIO DO MICROFONE DE ROBERTO CARLOS INTRIGA FÃS

O Rei trocou o fio tradicionalmente branco por um azul
Quem acompanha Roberto Carlos sabe que azul e branco são as cores preferidas do Rei. Em seus shows, até o fio do microfone é branco. Pois o cantor intrigou aos fãs na live deste domingo (19). É que o fio do microfone usado por ele é azul. A coluna explica: fio branco para os shows e fio azul no estúdio.
A transmissão da live foi feita no estúdio que Roberto tem dentro de sua casa, na Urca. Conforme a coluna antecipou, apenas dois músicos acompanharam o Rei na apresentação.
No início da live, Roberto mostrou uma máscara e disse que estava com ela até a hora de começar a cantar.
No final, ele deu o seu recado: "Quero agradecer a todos e dizer que não esqueçam das máscaras e não saiam de casa. E as pessoas que estão aqui comigo estão cumprindo a distância, como manda o figurino", disse o Rei, que soprou velinhas pelos seus 79 anos completados neste domingo (19). O bolo era de coco com abacaxi - o preferido do Rei!


fonte: Extra Online - 19.04.2020
ROBERTO CARLOS CELEBRA SEUS 79 ANOS COM LIVE DE CASA
E INCENTIVA USO DE MÁSCARA

Roberto Carlos comemora aniversário com sua estreia em lives
Ontem, o Rei Roberto Carlos completou 79 anos, e seus súditos puderam participar da festa, de dentro de suas casas. É que o cantor decidiu comemorar o aniversário de maneira inusitada: apresentando uma live diretamente de seu estúdio na Urca, na Zona Sul do Rio, acompanhado somente do maestro Eduardo Lages e do pianista Tutuca Borba. A transmissão começou durante o “Domingão do Faustão” e seguiu no Globoplay e no Youtube do cantor, alcançando 1,4 milhão de pessoas simultaneamente, somente neste canal.
“É uma experiência um pouco rara pra mim, em fazer alguma coisa ao vivo. Mas é sempre bom”, afirmou Roberto, que começou o show com o clássico “Como é grande o meu amor por você: “Eu escolhi essa canção para começar porque nela eu tenho a chance de dizer tudo o que sinto. Eu amo vocês”.

Roberto Carlos teve a companhia do pianista Tutuca Borba e do maestro Eduardo Lage
O Rei aproveitou para incentivar os fãs a usar máscara neste período de pandemia do novo coronavírus. “Eu estava usando essa máscara até agora há pouco. Só tirei porque preciso cantar. Vocês têm que usar, com certeza. Isso é uma defesa muito grande contra tudo isso que está acontecendo nesse momento. Eu não gosto nem de falar o nome. Fiquem em casa”, pediu.

Roberto incentivou o público a usar a máscara
Durante quase uma hora de show, Roberto desfilou sucessos como “Detalhes”, “É preciso saber viver”, “Amigo” e “Eu te amo tanto”. Antes de cantar “Caminhoneiro”, comentou: “Quero falar dos heróis, de todo o pessoal da saúde tão necessário pra nós: médicos, enfermeiros... E dos caminhoneiros. Quando menino, eu sonhava ser caminhoneiro, era fascinado pelas histórias que eles contavam. Essa canção eu ofereço a esses heróis”.

O primeiro pedaço de bolo foi oferecido pelo Rei a seus fãs
Ao interpretar “Canzone per te”, homenageou a Itália, um dos países mais afetados pela Covid-19. As religiosas “Nossa Senhora”, “Todos estão surdos”, “Jesus Salvador” e “Jesus Cristo” encerraram a apresentação, que ainda teve direito a “Parabéns pra você”, com o próprio Roberto acendendo e apagando as velas do bolo de abacaxi com coco. O primeiro e robusto pedaço ele ofereceu aos fãs que o acompanhavam. “São milhares de mensagens. Recebo todo esse carinho e amor. Eu não sei nem como agradecer a tudo isso”, emocionou-se.

Roberto com sua equipe e o diretor Boninho (a direita): todos seguindo protocolo de proteção com as máscaras


fonte: G1 Online - 19.04.2020
ROBERTO CARLOS PEDE PARA TODOS USAREM MÁSCARA
EM SHOW DE COMEMORAÇÃO DO ANIVERSÁRIO DE 79 ANOS
Em apresentação ao vivo transmitida pelo Globoplay,
o cantor ressaltou pedido para que as pessoas fiquem em casa
durante a pandemia de Covid-19.


Roberto Carlos se apresenta em show transmitido pelo Globoplay
O cantor Roberto Carlos se apresentou ao vivo neste domingo (19), direto de seu estúdio no Rio de Janeiro, para comemorar o aniversário de 79 anos, em show transmitido pelo Globoplay.
Entre sucessos como "Emoções", o rei aproveitou para reforçar um pedido durante a pandemia de Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus: "Fique em casa". Ele ainda mostrou a máscara que estava usando antes de começar a cantar e ressaltou a importância do uso.
"Só tirei porque preciso cantar, cantar de máscara é estranho", justificou.
"Quero dizer para vocês que estava usando essa máscara, ela está usada. Vocês têm que usá-la com certeza. Isso é uma defesa muito grande contra tudo isso que está acontecendo neste momento, que eu não gosto nem de falar o nome", disse Roberto.
Com uma produção mínima e cercado de cuidados, Roberto Carlos se apresentou acompanhado apenas do maestro Eduardo Lages e de Tutuca Borba, nos teclados.
Além de curtir os sucessos e comemorar o aniversário junto com Roberto Carlos, o público é convidado a se juntar à corrente de solidariedade que toma conta do Brasil e do mundo e conhecer o ParaQuemDoar.com.br, plataforma criada pela Globo que reúne projetos de institutos, fundações, entidades e movimentos sociais que estão atuando e precisam de apoio para minimizar os impactos da pandemia.


fonte: G1 Online - 17.04.2020
ROBERTO CARLOS COMEMORA ANIVERSÁRIO
COM APRESENTAÇÃO NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO E NO GLOBOPLAY

Público poderá acompanhar apresentação do Rei no Globoplay
e no canal de Roberto Carlos no Youtube.


Roberto Carlos vai comemorar seu aniversário de 79 anos nesse domingo (19), com a TV Globo e o Globoplay. O cantor estará em seu estúdio, na Urca, no Rio de Janeiro, e o Domingão do Faustão exibirá, ao vivo, às 19h45, as duas primeiras músicas.
O público poderá cantar todos os sucessos com o Rei e acompanhar a apresentação completa, com duração prevista de 45 minutos, no Globoplay e no canal de Roberto Carlos no Youtube.
Com uma produção mínima e cercado de cuidados, Roberto Carlos estará acompanhado apenas do maestro Eduardo Lages e de Tutuca Borba, nos teclados.
Além de curtir os sucessos e comemorar o aniversário junto com Roberto Carlos, o público será convidado a se juntar à corrente de solidariedade que toma conta do Brasil e do mundo e conhecer o ParaQuemDoar.com.br, plataforma criada pela Globo que reúne projetos de institutos, fundações, entidades e movimentos sociais que estão atuando e precisam de apoio para minimizar os impactos da pandemia.


fonte: Extra Online - 17.04.2020
ROBERTO CARLOS SOBRE LIVE NESTE DOMINGO:
'VOU LEVAR UM POUCO DE AMOR NESTE MOMENTO'
Roberto Carlos completa 79 anos e comemora com live


Roberto Carlos bem que tentou, mas não conseguiu escapar da onda de lives nas redes sociais durante a quarentena recomendada para combater o novo coronavírus. No próximo domingo, o Rei comemora 79 anos com um show de aproximadamente 45 minutos que será transmitido em seu canal no YouTube, no Globoplay e na Globo, que vai exibir somente as duas primeiras canções, às 19h45, no “Domingão do Faustão”.
— Fazer a live no dia do meu aniversário é uma forma de estar próximo dos meus meus fãs e admiradores — define Roberto, que cedeu aos recorrentes pedidos na internet e topou fazer a apresentação virtual para evitar a tradicional aglomeração em frente ao seu prédio na Urca, Zona Sul do Rio, no dia em que completa mais um ano de vida: — Vou poder levar um pouco de amor neste momento em que devemos manter o isolamento social.
E mesmo durante a live, todos os devidos cuidados para evitar a transmissão da Covid-19 serão tomados. Segundo a colunista Patrícia Kogut, do jornal “O Globo”, uma equipe reduzida trabalhará na produção, já que Roberto está dentro do grupo de risco.
Quanto ao repertório, que o Rei apresentará ao lado do maestro Eduardo Lages e o tecladista Tutuca Borba, os amantes do cantor podem se preparar para as performances de clássicos como “Emoções” e “Nossa Senhora” e, ainda, músicas que o astro não interpreta no seu show atual.
Canal Viva exibe especiais retrôs
Rei que é rei merece uma comemoração extravagante e duradoura, não é? Desde o início do mês, o canal Viva vem festejando o aniversário de Roberto Carlos com a exibição dos especiais de fim de ano do cantor das décadas de 1970 e 1980. As transmissões inéditas no canal acontecem aos sábados, sempre às 19h30, e são reprisadas ao meio-dia de domingo.
Amanhã à noite, os nostálgicos poderão rever um Roberto com cabelos cheios e calça boca de sino no programa de 1975, que mostrou a vida agitada do cantor com registros feitos pelo próprio cantor. Dentre os convidados do show estão Caetano Veloso, Dorival Caymmi, Erasmo Carlos, Wanderléa e mais.


fonte: Veja Online - 15.04.2020
ROBERTO CARLOS DEVE FAZER UMA LIVE NESTE FIM DE SEMANA
Detalhes sobre a transmissão ainda não foram confirmadas


O cantor Roberto Carlos está interessado em fazer uma apresentação para ser transmitida ao vivo, a famosa live, e essa é a expectativa do público nas redes sociais. No entanto, a assessoria de imprensa do artista não confirma como e quando será feita, apenas do interesse do cantor em fazê-la. Roberto Carlos completa 79 anos neste domingo, por isso, a expectativa de que ele apareça com a surpresa. Por enquanto, em seu perfil do Instagram, a mensagem de que o cantor passaria o aniversário em casa, mas preparou playlists especiais nas plataformas de streamings para cada perfil de fã.


fonte: Ana Maria Online - 15.04.2020
ROBERTO CARLOS PUBLICA VÍDEO E RUMORES SOBRE A REALIZAÇÃO DE UMA LIVE SURGEM
O cantor comemorará seus 79 anos no próximo domingo

Roberto Carlos gera rumores ao compartilhar vídeo
Roberto Carlos deixou um mistério no ar para seus fãs resolverem na última terça-feira (14).
Isso porque o cantor compareceu às redes sociais para fazer um anúncio para lá de suspeito.
O famoso publicou um vídeo em seu perfil do Instagram, que deu a entender que talvez ele estaria planejando seguir a moda, que surgiu por causa da quarentena, e fazer um vídeo ao vivo, seguindo o estilo de um show.
“Este é um ano diferente de todos os que já vivemos, e a comemoração será dentro das recomendações da Organização Mundial da Saúde. Roberto Carlos vai celebrar em casa. Para você participar dessa data, a nossa festa será virtual e você é a/o convidada/o especial”, escreveu na legenda da publicação.
Um dos motivos que está fazendo os admiradores e as mídias da imprensa criarem expectativas é que o Rei completará 79 anos no próximo domingo (19). No entanto, segundo a matéria da revista ‘Veja São Paulo’, a assessoria de imprensa do compositor não havia confirmado como e quando será feita a gravação ao vivo.


fonte: O Tempo Online - 15.04.2020
ROBERTO CARLOS SE RENDE ÀS LIVES E FARÁ SHOW VIA INTERNET NESTE FIM DE SEMANA
Cantor está acertando os últimos detalhes da apresentação;
ele completa 79 anos neste domingo

A agenda de apresentações transmitidas pela internet ganhou um nome de peso nesta quarta-feira (15). Roberto Carlos se rendeu às lives e fará um show neste fim de semana, informou o colunista Guilherme Amado, da revista “Época”.
De acordo com o colunista, a informação foi confirmada por Dody Sirena, empresário do Rei. O cantor estaria acertando os últimos detalhes da apresentação para anunciar o dia exato da apresentação, como data e horário. O show também fará parte das comemorações dos 79 anos de Roberto Carlos - ele faz aniversário no dia 19 de abril.


fonte: Extra Online - 15.04.2020
ROBERTO CARLOS FARÁ LIVE PARA EVITAR TRADICIONAL AGLOMERAÇÃO
NA PORTA DE CASA EM SEU ANIVERSÁRIO

Cantor completa 79 anos no domingo, está no grupo de risco da Covid-19
e pensa em como fazer transmissão ao vivo sem reunir muita gente

Roberto Carlos planeja live nessa quarentena
Está confirmado: Roberto Carlos fará uma live no próximo fim de semana. Os detalhes sobre o dia, a hora e por qual rede social a apresentação acontecerá serão definidos entre hoje e amanhã.
O cantor vinha recebendo muitos pedidos dos fãs pelas redes sociais para que fizesse uma transmissão ao vivo durante esse período de quarentena, mas se mostrava resistente. No entanto, com a proximidade de seu aniversário de 79 anos, no próximo domingo (19), RC resolveu atender ao apelo dos fãs.
O cantor também acha que a manifestação online pode evitar aglomerações em frente ao seu prédio, na Urca, Zona Sul do Rio de Janeiro. O lugar costuma ficar cheio de gente nos aniversários de Roberto.
No momento, ele se preocupa com os detalhes técnicos, já que uma live costuma reunir pessoas, e ele está no grupo de risco da Covid-19.


fonte: Veja Online - 03.04.2020
ROBERTO CARLOS: OS NOVOS PROTOCOLOS DE HIGIENE DO CANTOR DURANTE PANDEMIA

Em tempos de coronavírus, o germofóbico mais famoso do Brasil
passou a evitar todo e qualquer contato direto com fãs e amigos

Roberto Carlos: por conta do TOC, cantor sempre esteve na vanguarda nos protocolos de higiene
Lavar as mãos com água e sabão várias vezes ao dia? Rotina desde a década de 70. Viver recluso em um apartamento asséptico? Normal, a vida toda foi assim. Por força do diagnóstico de transtorno obsessivo compulsivo (TOC), pode- se dizer que Roberto Carlos é avant-garde nos protocolos de higiene que o avanço do coronavírus instalou na nossa realidade. Mas faltava ao rei ajustar um detalhe nem tão pequeno em seu comportamento social: o abraço.
Até o início da pandemia, quando alguém estendia a mão para cumprimentá-lo, o germofóbico cantor preferia abraçar o fã, ainda que timidamente, meio de ladinho. Pois quem abraçou, abraçou. Para evitar todo e qualquer contato, Roberto, de agora em diante, fará o cumprimento japonês, curvando a cabeça diante do interlocutor, ou, mais carinhosamente, colocará a mão sobre o coração. Novos tempos, bicho.


PÁGINA INICIAL VOLTAR MENU AGENDA